quinta-feira, abril 21, 2011

No começo do ano, a Beta me perguntou se eu gostaria de fazer um post especial sobre os melhores do LdM, para comemorar o aniversário do blog. E eu aceitei — obrigada, Beta. Aí começou a saga: reler, decidir o que colocar e o que não colocar, e por fim, como colocar. Eu sei que parece fácil, mas como retirar todas as resenhas que eu gosto sem colocar tudo? Então, decidi que se há um mundo literário, por que não passear por ele?

A Diana Palmer é uma das marcas registradas do blog. Restam algumas dúvidas sobre a existência de humanos além de Jacobsville, pois quem lê o LdM sabe que o único referencial que temos é Cash Grier, que apesar de ser o grande amor da vida da Mulherzinha, também já foi renegado por aqui — e nem quero imaginar o trauma que isso causou, pois além de os rapazes de tia Diana irem para a guerra, serem mercenários/agentes secretos/seguranças/adultos-habitados-figurativamenteéclaro-por-meninos-de-8-anos, eles têm um certo problema com aceitação e auto-estima. Ah, sem esquecer os Tremayne e os Irmãos Biscoito, que foram premiados — se para o bem ou para o mal — aqui. E ainda tem a coitada da Amelia, provando que no caso de tia Diana, babaquice é genética.

Falando em falar mal, imaginem o que a Mulherzinha vai ler 17 vezes seguidas depois que terminar um da tia Diana? Sim, isso, isso, isso e isso mesmo. Não é que ela surtou, é só uma maneira de se desculpar por ter feito tanto barulho por nada. ;)

Então, continuando nossa saga e mostrando que pelo menos para o LdM, há vida fora de Jacobsville, TX, USA, viajaremos para... A Europa. Mais especificamente para a Escócia, terra da família mais unida do mundo, que dá novos significados à expressão ‘laços de sangue’: os Murray, os papais e pimpolhos, que também foram protagonistas de outra entrega de troféus e ganharam uma biografia, e cuja falta de um membro querido gerou protesto.

Óbvio, a Escócia também é a terra natal dos Campbell da Ruth Langan, que também foram um dos times selecionados para a Copa do Mundo do LdM. Sem contar que os escoceses são audaciosos, atrevidos, seqüestradores de mocinhas inocentes, ou simplesmente escoceses machões que não sabem o que fazer com as mocinhas maluquinhas, mas sem cérebro de ostra.

Já descendo mais um pouco, viajaremos à Inglaterra. Sim, Inglaterra por aqui é sinônimo de de Burgh, de Reynold, de Cavendish... E anda de mãos dadas com a Regência, época em que Jane Austen com seu “Orgulho e Preconceito” influenciava muitas mulheres. Então, afastem-se de Gideon Carradice, pois ele é meu. Inglaterra é sinal de formalidade, de conquistas (nem sempre honestas), corsários, casamentos forçados entre inglesas e escoceses altos, bonitos e fortes, ou simplesmente um grupo de guerreiros que, ou chegaram com o rei Guilherme, o Conquistador, ou ainda são apenas quatro amigos ligados ou não ao governo. Também a Inglaterra é lar dos Crighton, que por ter sido lançado e relançado vezes sem conta, ganhou duas resenhas... A mais divertida é essa.

Descendo um pouco mais... Ah, claro — França. País natal de Zinedine Zidane, Brigitte Bardot, Gerard Depardieu... Paris, a cidade luz. País conhecido pelo LdM através dos Bouchard, dos Sayerne e das irmãs Morgan.

Continuando nosso tour pelo Velho Mundo, não poderemos nos esquecer da Espanha, terra de Xabi Alonso, Sergio Ramos e Javier Bardem, que interpretou um brasileiro na adaptação de Comer, Rezar, Amar.

E claro... A Grécia, o berço da civilização Ocidental. Ou apenas o país natal dos 300 de Esparta, que inspirou a Mulherzinha a resenhar A Escrava de Atenas. Também é a pátria de Alex Terzakis e outros membros da grande família PRECIPITADOPOULOS e outros desafetos que a Mulherzinha ama odiar e odeia amar.

Agora, é claro... A Itália. Também terra de homens arrogantes, teimosos, prepotentes, provavelmente possuidores de genes compartilhados com alguns escoceses e gregos e espanhóis. Mas também de homens mais velhos fofos, injustiçados e quase viraram lembrança, graças a uma megera.

Avançando mais... Rússia. Certo que nem em um milhão de anos eu vou entender o que eles falam por lá, mas é claro que eu quero um Mikhail Kazanov ou um Stefan Bariatinsky. Ah, claro, não pensem que me esqueci de fazer uma parada na Hungria e visitar os Senhores do Submundo, Maddox, Lucien e Reyes.

Descendo de novo... Austrália. Nem precisamos explicar: Austrália é a terra natal de Eric Bana, Hugh Jackman, Russell Crowe... É onde encontraremos o Clube do Pôquer erótico, a série que gira em torno de uma família vendedora de opalas e os Cavaleiros do Outback. É terra de Val Seymour, uma versão humana do lindão Vane Kattalakis. Ué, não sabe quem é esse? Pois é, difícil a Mulherzinha resenhar o que ainda não publicado aqui... *acordem editoras, acordem*

A destemida Mulherzinha conseguiu sumarizar o modus operandi de Lynne Graham e Julia James, além de ter conseguido a ajuda de Blake Kemp para processar J. B. Hammock e levantar alguns dados sobre Jacobsville.

Ah, ela também conseguiu sobreviver a provas de resistência propostos por uma dupla de patetasum ou outro sheik, um vampiro perfeitinho e sua namorada humana boba e deslocada — eu ainda acho que os bebedores de sangue seriam redimidos se ela lesse A Irmandade da Adaga Negra ou um dos Nightwalkers da Jacquelyn Frank, mas fica difícil saber, porque a Mulherzinha ficou com medo e foge desses livros como o diabo foge da cruz.

Claro que nem tudo é ruim. A Mulherzinha se esbaldou com um detetive que era um doce, mas disfarçava bem, com a busca por mocinhas chamadas Roberta (e ela reclama, mas todo sabe que ela queria ser a mocinha daquele cara chamado Luke e tem uma filha chamada Francesca...), jornalistas e um coitado que ativa o modo vergonha alheia em qualquer um. Sem contar é claro, comentou sobre o lado consumista que toda mulher tem. E ela também conseguiu dissecar, er, digo, analisar o Roarke da série Mortal.

Bem, acho que é isso. A única maneira de se conhecer o blog é lendo todas as 3258915154000 postagens — sem arrependimentos. :D

Por último, mas não menos importante, feliz aniversário pro LdM!

Lidy, do Emotion-Box.
Reações:

2 comentários :

  1. Lidy,

    Parabéns, você foi sensacional!!! É extremamente difícil escolher dentre tantas resenhas, mas você conseguiu fazer um apanhado e tanto!

    Presente maravilhoso para o LdM!

    Beijos!

    PS.: deixa comigo, que logo logo a Beta vai estar apaixonada pelos Adagas e, se precisar dormir de luz acesa é prá eles acharem o caminho prá casa dela sem erro!!!! kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Lidy, eu adorei essa postagem, que está muito bem escrita e muito bem humorada !

    Uau, Roberta ! Como seu blog é mesmo um lugar divertido e emocionante de estar e de visitar !

    ResponderExcluir