sábado, agosto 27, 2016

Ciao!!!!





Uma das estrelas da Bienal de São Paulo deste ano, Lucinda Riley é a autora de um lançamento em primeira mão para o Brasil e dois relançamentos (com novas capas), todos relacionados à série As Sete Irmãs.
Baita incentivo para começar a série e falar sobre ela aqui no Literatura de Mulherzinha ;)

As Sete Irmãs – Lucinda Riley – Arqueiro (As Sete Irmãs 1)
(The Seven Sisters - 2014)
Personagem: Maia D’Aplièse

Maia é a mais velha das seis meninas adotadas por Pa Salt que viveram em um castelo digno de contos de fadas na Suíça. Agora, todas estavam unidas pela perda repentina e por uma série de perguntas que aparentemente não teriam respostas. No entanto, o pai deixou uma esfera armilar com frase e coordenadas a serem decifradas e uma carta para cada uma. E com medo do passado recente, Maia partiu atrás de suas origens, o que a trouxe para os segredos de uma família no Brasil.

Comentários:

- Bendita seja a vinda de Lucinda Riley para a Bienal! Assim, a Arqueiro relançou os dois primeiros livros com capas novas e trouxe o lançamento do terceiro, antes do resto do mundo – pra eles, só em novembro. Assim, quem como eu, ainda não havia conhecido a história desta série, teve a chance. E, se tudo seguir como o apresentado no primeiro livro, farei questão de seguir até o final.

- Inspirada no mito das Plêiades, uma constelação conhecida como as “Sete irmãs” e sobre a qual foram criadas várias histórias e lendas, inclusive pelos gregos, Lucinda Riley criou uma história engenhosa, complexa, misteriosa, de laços de família e de irmandade. Ao mesmo tempo, incentiva cada uma das seis meninas adotadas por Pa Salt a ir atrás das origens biológicas para que possam compreender mais sobre si mesmas. E como sempre, tudo ocorre em momentos cruciais na vida delas.
Nunca deixe o medo decidir seu destino.
- Maia era a filha que não partiu, morava no pavilhão anexo à casa. Graças à facilidade para aprender línguas, trabalhava como tradutora e recentemente tinha concluído a tradução do livro de um autor brasileiro para o francês.  Após a morte do pai e confrontada com algo do próprio passado, optou por seguir as coordenadas que ele deixou e partiu para o Brasil. Na carta, alguns objetos que não pareciam ter sentido e apenas aumentavam o enigma em que Maia sentia estar envolvida.

- Com a ajuda de Floriano Quintelas, o escritor cujo livro ela traduziu, embarcou em uma pesquisa que levou à sociedade carioca no início do século 19. Maia era a imagem viva de Izabela Bonifácio, filha de imigrantes italianos que enriqueceram com o café, e que foi prometida a Gustavo Aires Cabral, de família aristocrática, mas sem recursos. Só que antes de se casar, Izabela conseguiu viajar com a família do responsável pela construção do Cristo Redentor para Paris. No ateliê do mestre que seria responsável por esculpir a imagem de Nosso Senhor, encontrou um estudante por quem se apaixonou. E este triângulo amoroso vai exigir uma decisão crucial para todos os envolvidos. Cada descoberta que Maia faz sobre esta história, percebe os reflexos, as reavaliações e os questionamentos que pode fazer a respeito da própria vida e o que fará agora.

- Devo dizer que Lucinda capricha na descrição dos locais importantes na trama – sim, as cidades tem personalidade que afetam os personagens. Atlantis, a casa onde Pa Salt criou sua família, é de uma beleza espetacular. A Paris de 1920 surge efervescente, equilibrando beleza e melancolia, genialidade e excessos, opulência e pobreza – remetendo às lembranças que tenho de dois filmes, Moulin Rouge (que se passa 20 anos antes) e Meia-Noite em Paris, que cita personagens que também aparecem aqui. E meu Deus, a Lucinda consegue falar e retratar o Brasil melhor que muita gente por aqui. Dá para sentir a delicadeza que resultou do trabalho de pesquisa elaborado que ela fez. Sem contar o detalhe de resolver uma curiosidade que eu nem sabia que tinha: como é que o Cristo Redentor foi construído. Acreditam que nunca me perguntei isso?

- Tudo isso apenas valoriza os personagens da intricada trama que ela criou. Temos pistas que imagino serão desdobradas nos livros seguintes. Temos perguntas, dúvidas e hipóteses que não serão respondidas de imediato. Ela não buscou saídas fáceis. O maior mérito foi apresentar personagens humanos, ou seja, pessoas falíveis, que erram, que sentem medo e dúvidas, que arriscam, que tomam decisões difíceis e que sofrem. Não tem como não gostar desta série. Ainda bem que finalmente consegui ler!

As Sete Irmãs
1 – The Seven Sisters – As sete irmãs
2 – The Storm Sister – A irmã da tempestade
3 – The Shadow Sister - A irmã da sombra
4 – The Pearl Sister – autora ainda está pesquisando


Bacci!!!


Beta

quarta-feira, agosto 24, 2016

Ciao!!!

Literatura de Mulherzinha fica muito feliz em poder compartilhar que tem livros novos da autora Flávia Cunha chegando: o 2º da série Springville (que, cronologicamente, se passa antes de Escolhida pelo Lobo) e a estreia dela na literatura infanto-juvenil.
Ah sim quem for a Bienal vai poder conversar com ela.

Resgatada pelo Lobo
Springville#2

Depois de um período sombrio marcado por uma onda de loucura e pelo sangue de inocentes, uma nova liderança assume matilha. Agora o Clã dos Lobos está instalado em Springville, Texas. E a matilha vive em “Lone Wolf”, um lugar seguro e confortável para aqueles que desejaram seguir com o novo Alfa, Hunter Lonewolf.
Grace Sullivan está em busca de um novo emprego e uma nova oportunidade de recomeçar em outro lugar... e acabou caindo em uma armadilha. E então um homem maravilhoso a salvou e transformou a sua vida.
Aidan Wild é um dos melhores amigos do Alfa e se preocupa, assim como ele, com o futuro da matilha. Ao ajudar uma jovem em apuros, ele não tem ideia de que está frente a frente com a sua companheira. Afinal, Grace Sullivan é humana!
Essa incrível descoberta renova as esperanças de futuro, mas traz o medo de uma nova onda de loucura. Além disso, como Grace reagiria ao descobrir que foi resgatada por um lobo?
Esse livro pode ser lido separadamente, não sendo necessária a leitura de "Escolhida pelo Lobo"
Ebook: R$9,90
Ebook: R$9,99
Lançamento na Bienal de São Paulo.
Sessão de autógrafos dia 02 de setembro a partir das 12h no Estande nº 69, da Ler Editorial.

A lista de desejos de Gabriela

Depois de perder os pais, Gabriela vê sua vida mudar drasticamente. Sai do interior de Minas Gerais para morar no Rio de Janeiro com a tia e as primas. Para ajudá-la a superar a tristeza, sua tia sugere que ela faça uma lista de desejos...
Embarque nessa aventura e se divirta com a lista de desejos de Gabriela.

Este é um romance infanto-juvenil, livre para todas as idades. É educativo e interativo (traz atividades, receitas e informações)

Ebook: R$9,90 (A versão ebook não dá pra fazer as atividades.)

Lançamento na Bienal de São Paulo.
Sessão de autógrafos dia 02 de setembro a partir das 12h no Estande nº 69, da Ler Editorial.


Bacci!!!

Beta

domingo, agosto 21, 2016

Ciao!!!



Ok, todo mundo sabe que não sou do fã clube dos sheiks, porque o “perfil-padrão” do personagem costuma sempre me irritar.
Aí encontro um livro como este da Maisey Yates e não tem como não gostar! 

Flor do Deserto – Maisey Yates – Paixão 476
(Bound to the warrior king – 2015 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: rainha viúva Olívia Bretton, de Alansund e sheik Tarek Al-Khalij

Olívia e Tarek estavam em situações delicadas e diante de papeis que não lhes cabiam. Ela, como rainha viúva, era um peso morto para a realeza de Alansund. Seria útil se conseguisse um casamento diplomático vantajoso para o país. Tarek era a espada, o protetor do país até então comandado pelo irmão. Só que agora, rei morto, rei posto. Os dois poderiam ser úteis um ao outro, bastava apenas que desejassem unir forças e as vidas pelo bem dos outros e talvez por si mesmos.

Comentários:

- Duas pessoas magoadas pela vida que se encontram e podem ser aliadas na nova jornada que serão obrigadas a enfrentar. No entanto, precisam aprender a confiar em quem ainda não conhecem. Tarek vivia no deserto, geralmente sozinho, encontrando famílias beduínas e lidando com os inimigos da fronteira. Havia sobrevivido à perda dos pais, à tortura e se tornado incapaz de amar, mas programado e preparado para defender os interesses do povo de Tahar.

- Olivia era uma jovem de família rica, mas que sentia falta de ser amada. Embarcou em um casamento por companheirismo e por saber que seria útil. Precocemente viúva, não teria nenhuma função para a realeza, exceto uma união diplomática para o bem de Alansund. Por isso foi enviada para Tahar, para tentar este acordo. E encontrou um sheik longe do que esperava. Um homem que escondia algo por trás da aparência de fera. Um homem que ela poderia ajudar. Um homem que não a queria por perto.

- Temos duas pessoas frágeis e endurecidas pela vida, conformadas pelos papeis que desempenhavam. No entanto, elas são muito mais que foram “formatadas” para ser e o encontro pode colocá-las neste trilho. Só que não será fácil para Olivia ter coragem para se abrir para sentimentos e arriscar novamente a ser rejeitada, magoada e ignorada. E Tarek não sabe que não está preparado completamente para ser rei, mas entende de proteção, de juramentos e de compromisso. Está disposto a ser o que Taher precisa depois dos desmandos do falecido irmão. Uma rainha conveniente traria segurança à missão dele. Mas Olívia poderia fazê-lo se aventurar em partes que ele não sabe como agir. Afinal de contas, quem foi sempre uma arma não consegue ser humano, consegue?

- Ao despir o sheik de sua onipotência e a rainha de sua coroa, quem ambos são de verdade é o verdadeiro valor do livro da Maisey Yates, que aborda inseguranças, medo, vulnerabilidade e a determinação em ser alguém que faça a diferença. Difícil não se encantar e torcer por eles. Eu curti cada momento e recomendo.


Bacci!!!


Beta

sábado, agosto 20, 2016

Ciao!!!



Sabe a sensação de embarcar no trem andando? A pessoa pega o livro do meio de uma trilogia, sem ter lido o primeiro. Sim, sou dessas. E foi o que aconteceu aqui.

Crônicas de Blackwell: Corvos de Odin – K.L. Armstrong e M.A. Maar – Rocco Jovens Leitores
(The Blackwell Pages boosk 2: Odin’s Ravens – 2014)
Personagens: Matt Thorsen, Fen e Lauren Brekkie, os outros descendentes e os inimigos

Matt, Fen e Lauren precisavam ir até os subterrâneos para resgatar Baldwin. E também achar Mjölnir. Só assim conseguiriam ter condições de impedir o Ragnarök. Os adolescentes de Blackwell descendentes dos deuses nórdicos estavam em um jogo da vida real onde todas as decisões traziam riscos e consequências. E os desafios eram mortais. E os inimigos estavam prontos para atacar.

Comentários:

- Então, se você for como eu que não leu o primeiro livro e caiu de paraquedas no meio da confusão dos adolescentes de Blackwell (sim, existe um livro chamado Lobos de Loki que eu não tenho. Isso será corrigido o quanto antes), não se desespere: dá pra entender o que rolou antes, o que está em risco agora e o que eles precisam fazer.

- Basicamente, Blackwell é uma cidade em Dakota do Sul onde todo mundo tem alguma ligação com os deuses nórdicos. Matt é o Thorsen que será o Campeão de Thor na batalha (só que precisa estar convicto disso, porque é uma missão que, se ninguém mudar a profecia, vai terminar com ele morto). Lauren e Fen são primos Brekke, os herdeiros de Loki. Owen é o representante de Odin na jornada, mas quando o livro começa ele está separado do trio e bem encrencado. Os gêmeos Rey e Reyna são os descendentes de Frey e Freya, que preferiram deixar o grupo após o assasinato de Baldwin, o representante do deus Balder. Na mitologia, a morte dele desencadeia o Ragnarök porque Loki não lamenta e impede que o deus retorne do Hel, o Submundo, reino dos mortos.

- Como desta vez nem tudo seguiu o script da profecia, porque os descendentes de Loki lamentaram a o assassinato do amigo, o trio Matt, Fen e Lauren decide ir ao submundo pedir a deusa Helen que permita a volta de Baldwin. É neste ponto que este livro começa. Os sete estão separados, parte sem saber o que os outros estão fazendo ou que tipo de perigos estão enfrentando. 
“– Como é que vamos chegar na batalha do fim do mundo se todo mundo fica se machucando, morrendo ou desaparecendo? – resmungou Fen” (p.177)
- A forma como as autoras costuraram a história é bem interessante, adaptando as referências à mitologia nórdica (conheço mais a mitologia Greco-romana. Meus conhecimentos dos deuses nórdicos são recentes e um tanto longe da fonte original: Cavaleiros do Zodíaco e Marvel, além da série do Rick Riordan). Para mim, funciona bem. Entretém sem ser cansativa. Cada capítulo tem um narrador diferente alternando entre Matt, Lauren, Fen e Owen. Podemos conhecer mais da identidade e dos temores de cada um diante da gravidade da missão, da preocupação uns com os outros e de como reagem aos perigos cada vez mais surpreendentes, sejam eles sobrenaturais, dos deuses ou mesmo humanos. Podemos nos apegar aos personagens e temer pelo futuro deles. As ilustrações ajudam a gente a entrar no clima e até facilita no entendimento dos inimigos sobrenaturais.

- Além disso, ajuda ao mostrar personagens femininas fortes (em qualquer história do estilo sou fã das Valquírias), uma personagem descobrindo sua força, e os diferentes tipos de crises internas que os meninos enfrentam. Todos estão na caminhada que os especialistas destacam como o “mito do herói” – que precisa construir a fé em si mesmo e na própria força para chegar à conclusão de sua jornada. No entanto, para o Joseph Campbell, o fim é a morte que eleva o herói ao Olimpo (ou Valhala, no caso). Mas estou na torcida pelo final feliz do grupo.

- Ah sim, é o livro intermediário, então contente-se com algumas respostas e saiba que algumas coisas ficarão em aberto para serem concluídas no terceiro livro. Inclusive o gancho deixado no último capítulo que, por envolver um personagem ao qual me apeguei, me fez querer o fim da série para saber as consequências do que houve ali. Mas antes preciso achar o primeiro livro para colocar ordem na bagunça que eu fiz!

Crônicas de Blackwell
1 – Lobos de Loki - Loki’s wolves 
2 – Corvos de Odin - Odin’s ravens 
3 – Ainda não lançado em Português - Thor’s serpents 


Bacci!!!

Beta

quarta-feira, agosto 17, 2016

Ciao!!!


Então, pessoal, está chegando aquela hora do ano que acelera corações, desperta emoções de todo mundo que é louco por livros: a Bienal! Em 2016, é a vez de São Paulo sediar o evento.

Se quiser saber detalhes, pode ler no site oficialno G1 ou Facebook do evento.

Não poderei ir à Bienal. Então, quem for, faça o favor de se divertir por mim. E por isso, perguntei a escritoras e escritores que eu gosto quando eles estarão no Anhembi. Assim vocês também vão saber quando encontrá-los. #SavetheDate #MarquenaAgenda #Nãoperca #Ficaadica

*** Marina Carvalho
Livro mais recente: O Amor nos Tempos do Ouro
Encontro marcado: 27/8, às 20h, no estande da Saraiva (Atenção: distribuição de senhas a partir das 10h)

A Marina está entre as minhas autoras nacionais favoritas. Os livros dela, não importam onde e como, tem sotaque de Minas. Tem aconchego de Minas. Se você ainda não leu, deveria ler. O mais recente, O amor nos Tempos do Ouro, é um dos melhores que li neste ano. Mas como ainda tem muito 2016 pela frente, Bernardo vem aí. Junte-se a nós na contagem regressiva.

Livro mais recente: O livro delas.
Encontro marcado:
28/8:
10h - lançamento de "O Livro Delas" (área de autógrafos 1);
15h - Bate-papo "Literatura para jovens" (BiblioSESC - Praça da Palavra)
e 17h - sessão de autógrafos no estande da Livraria Leitura

Outra das minhas autoras-xodó, que conheci na Bienal de Juiz de Fora. Os livros dela falam sobre as felicidades e as dificuldades no crescimento e no amadurecimento. Ela é a autora de um dos favoritos de #MadreHooligan, Até te encontrar; já eu prefiro A namorada do meu amigo. E se conversar com ela, não perca a chance de contar qual final de Quando o vento sumiu você preferiu. ;)

Livros mais recentes: A lista dos desejos de Gabriela e Resgatada pelo Lobo.
Encontro marcado: 02/09: sessão de autógrafos a partir das 12h no Estande nº 69, da Ler Editorial.
03/09: workshop escrita gênero romance das 16h-17h, seguida de autógrafos a partir das 17h-18h no Estande D49, da Amazon.com.


Pra quem não sabe, a Flavinha, uma das Mulheres Românticas e da turma de amigas de Aracaju, também é escritora. Ler mais livros dela está na minha lista pro Literatura de Mulherzinha. Com os livros à venda na Amazon, terá as versões impressas na Bienal de Resgatada pelo Lobo, o #2 da série Springville e a primeira obra infanto-juvenil, A lista dos desejos de Gabriela.



*** A. C. Meyer
Livro mais recente: Encantada por você
Também escreveu: Louca por você, Apaixonada por você, Fascinada por você.
Encontro marcado: 27/8: sessão de autógrafos a partir das 17h, na Universo dos Livros.


E a espera chegará ao fim na Bienal do Livro, com o lançamento de Encantada por você do #4 da série After Dark. É a vez de ler a história de Alan e Livy. Uma série - mais uma das descobertas de #MadreHooligan na livraria (ela tem mão ótima para garimpar os livros nacionais) fofa, engraçada, que tocou em temas sérios chega ao desfecho. Quem tiver a chance, ainda vai conseguir bater papo com a autora no primeiro sábado da Bienal :)


*** Carol Sabar
Livro mais recente: Cabeças de Ferro (será lançado na Bienal)Também escreveu: Como (quase) namorei Robert Pattinson e Azar o Seu Encontro marcado: 03/10, a partir das 14h, no estande da Editora Jangada.

A Carol me fez dar muitas gargalhadas com as maluquices da Bia em Azar o Seu, que se passa em Juiz de Fora - ou seja, lugares onde passo se tornaram cenário (inclusive com direito de final apoteótico). E ela está tão chique porque o novo livro dela, Cabeças de Ferro, será um dos lançamentos da Editora Jangada na Bienal de São Paulo.




*** Augusto Alvarenga 
Livro mais recente: 1 + 1 = A Matemática doAmor
Também escreveu: Um amor, um café & Nova York 1 e Um amor, um café & Nova York 2
Encontro marcado: todos os dias da Bienal, a partir das 14h no estande da Leitura.

O Augusto chegou recentemente ao Literatura de Mulherzinha, outra das descobertas que fiz na Bienal de Juiz de Fora. Os dois primeiros livros dele entraram na minha lista de desejos, após a excelente impressão deixada por 1 + 1. Enquanto eles não chegam aqui em casa e o próximo não é lançado, eu aconselho a não perder a chance de encontrar e conversar com ele ;)

Foto: Luiz Carlos Lima
Livro mais recente: 1 + 1 = A Matemática doAmor 
Também escreveu: O garoto quase atropelado e Sereia Negra.
Encontro marcado: todos os dias da Bienal, a partir das 14h no estande da Faro Editorial.

Vocês precisam aproveitar que ele estará todos os dias na Bienal. Sabe o que eu fiz na Bienal de Juiz de Fora? Todos os dias, passei no estande para conversar e abraçar o Vinícius. Ele ganhou duas fãs aqui em casa porque é difícil convencer #MadreHooligan a tirar uma foto. O garoto quase atropelado já está aqui na pilha de próximas leituras. E 1 + 1 está entre os cinco melhores livros que li neste ano. #ficaadica

Livro mais recente: as versões físicas de Inspiração e Pecaminoso
Também escreveu: quadrilogia Inspiração; Pecaminoso; Deus do Rock
Encontro marcado:
03/09: workshop escrita gênero romance das 16h-17h;
seguida de autógrafos a partir das 17h-18h no Estande D49, da Amazon.com.

Todos os livros da Gisele foram para a lista após a Bienal. Atualmente ela está escrevendo a sequência de Deus do Rock – e como a série cita deuses gregos, o meu olho já cresceu e o radar da curiosidade disparou. Ela estará em um workshop e em sessão de autógrafos no evento que também terá além da Flávia Cunha, Nina Muller, Mi Meireles e Jhonatas Nilson. Ah, além das edições impressas, o próprio Deus do Rock estará lá ;)
  

Livro mais recente: relançamento de A Coleira e Tardes Sensuais
Também escreveu: Série Redenção (entre outros)
Encontro marcado:
28/08: 16h – Premiação a Amazon - Indicada a dois prêmios;
02/09: 18h - Rocco - Série Redenção;
03/09: 10h - Multifoco - Relançar A Coleira; 15 h - Universo dos Livros - Lançamento do livro de contos Tardes Sensuais e 19h - Amazon - lançamento dos livros digitais A Coleira e Tardes Sensuais.

Bacci!!!


Beta