sábado, dezembro 15, 2018

Ciao!



E chega ao fim mais uma série da Nora Roberts. No geral, gostei dos personagens, mas já estava acostumada com a dinâmica base dos acontecimentos, que são semelhantes ao de outras séries, inclusive da própria autora.
Mas é Nora, né? Eu leio até bula de remédio se ela escrever!
Ainda mais quando começa citando um dos meus livros favoritos!

Ilha de Vidro – Nora Roberts – Arqueiro (Os Guardiões 3)
(Island of Glass - 2016)
Personagens: Riley Gwin e Doyle McCleary

Os Guardiões estão na Irlanda, atrás da Estrela de Gelo, última parada da jornada para localizar a Estrela de Gelo e devolvê-la à segurança da Ilha de Vidro. Enquanto se recuperam da última batalha, correm contra o tempo para cumprir as missões antes que Nerezza tente interferir. Cercado pela urgência da situação e pelos amigos apaixonados, Riley e Doyle começam a se sentir atraído um pelo outro, mas será que conseguirão manter até o fim a promessa de não se comprometerem?

Comentários:

- Depois de lutas contra Nerezza e vitórias parciais localizando as Estrelas de Fogo e Água em Corfu e Capri, a Irlanda é a terceira parada dos Guardiões. Pelo que descobriram, tanto a Estrela de Gelo quanto o caminho para a Ilha de Vidro estariam na região da costa selvagem de Clare, onde Bran construiu uma casa e Doyle viveu séculos atrás, quando ainda era mortal.

- O grupo se divide em suas habilidades para não só encontrar o que buscam como se prepararem para a batalha final contra Nerezza, que certamente se recuperaria e viria disposta a tudo contra eles. Treinos físicos, buscas em cavernas, aquisição de materiais necessários, preparação de feitiços de proteção. E também pesquisas e mais pesquisas – o que aproximou os últimos solteiros do grupo: Riley buscava padrão e simbolismo nos inúmeros livros da biblioteca de Bran e como estavam escritos em língua antiga, precisava do apoio de Doyle para traduzir.

- Pode ser o clima de amor em meio à guerra – visto que Bran e Sasha se acertaram e que o amor à primeira vista de Sawyer por Annika foi correspondido –, ficou meio óbvio que surgiria algo entre os dois personagens acostumados a se virarem sozinhos. Riley era uma licantropa, portanto, estava acostumada a confiar em poucas pessoas e a não se prender a ninguém. Doyle era imortal e decidiu não se envolver com outros, porque acabaria sozinho. Ambos acostumados a fazerem como querem, a mandarem, inteligentes, valentes e, sim, bem teimosos. Uma disputa de personalidades fortes.

- Confesso que compreendo os sentimentos de Doyle, mas houve momentos em que o achei tão “disco arranhado” que fiquei com pena de ele ser o parceiro da Riley. A arqueóloga e pesquisadora do grupo tem um tipo de personagem sobre o qual me agrada ler: um tipo de mulher forte, determinada, corajosa, independente e que tem momentos de ternura. Um pouco distante do perfil das próprias amigas de grupo. Nem toda menina é 100% fofinha e cor de rosa. Riley representa este grupo. E de certa forma, me identifico com ela por isso.

- Gostei da série, achei que fluiu melhor que Os Primos O’Dwyer, com a qual tive muitas dificuldades. Muito pelos personagens principais que são diversificados (e tenho especial xodó por Sawyer e Annika como casal e por Riley, pelo que acabei de contar) e encontram laços ao longo da jornada. Haverá momentos perigosos, tensos, frustrantes porque o complexo pode ser resolvido de forma simples (porque sabe como é, o que a gente sempre procura está debaixo do nosso nariz). E o final que eles pensam alcançar pode não ser o necessário. Na hora do “tudo ou nada”, todos vão revelar o seu verdadeiro potencial para a coragem e o sacrifício para salvar este e outros mundos.

Trilogia Os Guardiões
Estrelas da Sorte – Stars of Fortune
 – Sasha Riggs e Bran Killian
Baía dos Suspiros – Bay of Sighs – Annika Waters e Sawyer King
Ilha de Vidro – Island of Glass – Riley Gwin e Doyle McCleary


Bacci!!!

Beta

quarta-feira, dezembro 12, 2018

Ciao!!!



Sim, detesto ler séries fora de ordem, mas foi o que aconteceu, então paciência!
Depois de alguns passeios pela série, que tal ir no começo das duas temporadas?

Pecado da Atração – Cathy Williams – Paixão 444 (Preguiça)
(To Sin with the Tycoon – 2014 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Alice Morgan e Gabriel Carbera

Gabriel Carbera tinha alcançado o topo sozinho, não acreditava em tempos cronometrados e não fazia muita questão de se envolver em relacionamentos. E tinha um sério problema com as secretárias que não entendiam isso. Até que Alice Morgan começou a trabalhar para ele. Toda cheia de regras e com uma conduta que destoava abertamente das antecessoras e, justamente por isso, despertou a atração do patrão. Só que Gabriel é do tipo que não quer abrir mão do comodismo da vida como ele quer. Será que ele vai aceitar sair da casinha pra arriscar algo mais profundo com Alice?

Comentários:

- Ai que preguiça do Gabriel! Sabe quando você não simpatiza com a cara de um dos protagonistas e passa o livro I-N-T-E-I-R-O olhando torto pra ele? Ok, confesso, isso ocorreu comigo. Ele era um preguiçoso emocional, descrito como sem vontade de se apegar a nada e que despachava as mulheres conforme elas pensavam ter algo mais sério. No entanto, ele não hesitou em tirar conclusões precipitadas o tempo inteiro, em se dedicar em tirar o sossego dela, em invadir a privacidade dela, porque achava ter este direito.

- Alice era uma pessoa muito travada por conta de problemas pessoais, relações de confiança que não foram respeitadas e a necessidade de cuidar da mãe a fizeram procurar emprego e deixar para depois o curso que gostaria de fazer. Um tantinho em mim queria que ela tivesse sido mais firme, porque ela começa com uma postura “durona” que vira patê ao longo da trama. Sabe quando você tem certeza de que vai dar errado, muito errado, e não consegue evitar a tragédia? Esta foi a sensação que eu tive sobre ela. O tempo inteiro ela fez uma análise precisa do caráter do chefe preguiçoso e mandão e mesmo assim aceitou se chamuscar com ele. 
- Não sou. Mas sou realista. Como você. E temos realidades diferentes. Quero um homem pra a vida toda e estou disposta a fazer o possível para encontrá-lo. Você quer uma mulher para dois minutos, nada mais longo que isso.
- Claro que ambos acharam que poderiam lidar de forma adulta com a atração que surgiu (aham). Aceitaram um caso por tempo limitado. Só que Gabriel quis mudar as regras. Alice, não. Aí começou o ataque de criatura mimada que acha que tudo pode – e quanto mais ele aprontou para se impor (usando as habituais estratégias dos personagens destes livros: primeiro ostenta, depois tenta humilhar e por fim se coloca em uma posição onde ela tem que aceitá-lo até a hora que ele queira dar um fim), mais antipatia eu tinha dele. 

- Se, a essa altura, eu não tinha a menor simpatia pelo protagonista, depois disso, não sobrou nada pra ir com a cara dele. Nem quando surgiu a tradicional revelação sobre o passado infeliz do protagonista, que criou traumas que impediram que ele fosse um adulto que sabe lidar com as emoções de forma saudável e sem brincar com o sentimento dos outros.

- Enfim, o livro me pegou em um dia muito atravessado porque só fiquei rezando pra terminar logo a história porque não achei nada sexy a preguiça de Gabriel. Me deu preguiça dele e só revelou que não teria a menor paciência com gente assim. Mas claro que ele e Alice encontraram o caminho para seu final feliz. E eu fui procurar o meu em outras bandas, em outros livros.

Série Os 7 Pecados Sensuais – Seven Sexies Sins

Primeira Temporada
1 - Pecado da Atração – To Sin with the Tycoon - Cathy Williams - Alice Morgan e Gabriel Carbera - Paixão 444 (Preguiça)
2 - Pecado da Sedução The sheikh’s sinful seduction - Dani Collins - Fern Davenport e sheik Zafir - Paixão 446 (Luxúria)
3 - Pecado do Orgulho The Sins of Sebastian Rey-Defoe - Kim Lawrence - Mari Jones e Sebastian Rey-Defoe - Paixão 448 (Orgulho)

Segunda Temporada
1 - Um gosto de Pecado – A taste of sin -  Maggie Cox - Rose Hearthcote e Gene Bonnaire - Paixão Audácia 1 (Gula)
2 - Redenção do Pecado – The Sinner’s Marriage Redemption - Annie West - Ava Cavendish e Flynn Marshall - Paixão Audácia 2 (Inveja)
3 - Bodas de um Pecador A marriage fit for a sinner - Maya Blake - Eva Pennington e Zaccheo Giordano - Paixão Audácia 3 (Ira)
4 - Inocente Pecadora - The Innocent’s sinful craving – Sara Craven – Dana Grantham e Zac Belisandro – Paixão Audácia 4 (Avareza)


Bacci!!!

Beta

domingo, dezembro 09, 2018

Ciao!!!

  
Sabe quando o livro anda em círculos? Então, é este caso.
Neste caso, a trama veio como brinde no livro. Li por tabela.

Um cantinho no coração – Jessica Steele – Harlequin Special 75 (A noiva mais linda do mundo)
(Vacancy: wife of convenience – 2005 – Mills & Boon Tender Romance)
Personagens: Columbine “Colly” Gillingham e Silas Livingstone

A morte inesperada e precoce do pai não tinha sido a única dor com que Colly precisou lidar. Ter sido preterida no testamento e praticamente expulsa de casa pela madrasta se tornaram menores diante do fato de que não tinha experiência nem lugar para morar. Ao se arriscar numa entrevista para trabalhar como secretária executiva de uma empresa, percebeu que não seria tão fácil resolver o problema. Até que Silas Livingstone surgiu com uma proposta que somava os interesses dela ao dele: um casamento de fachada.

Comentários:

- Ô livro que se arrasta. Mas quando eu digo, arrasta, é arrrrrrrrrraaaaassssstttttaaaaaaa mesmo. Colly é muito indecisa, do tipo que não soa fofo, mas sim, chato para quem lê. Ela não quer o casamento, mas se vê empurrada para ele porque a madrasta a estava expulsando da casa onde crescera e onde servira como governanta sem direito a uma remuneração decente. 

- Aí, ao se tornar esposa, não quer consumar o casamento (o que é compreensível), nem depender do dinheiro dele (o que na situação dela, beira o orgulho e não o bom senso). Eles mantem o casamento em segredo, ela leva uma vidinha normal, trabalhando por um salário baixo em uma galeria até chegar a época de tentar entrar em uma faculdade.

- Só que ela começa a se interessar por ele e fica confusa. Porque ela não entende os sentimentos, porque ela não quer conflitar com este casamento de conveniência. No entanto, a dependência dela ao casamento não dura muito, graças a uma reviravolta – então, ela permanece casada para manter a palavra a Silas, que precisava de uma esposa pelo bem do futuro da empresa. Ou seja, menos um drama em potencial. 

- Só que a tensão sexual entre eles dá passinhos para o lado e volta ao mesmo lugar, porque ela é uma confusa no mau sentido, que ao invés de perguntar tira conclusões e corre das respostas. Houve vários momentos em que ela muda de ideia no mesmo parágrafo. 

- Cansa todo mundo – desde os personagens até a leitora, que contava as páginas para fechar o livro e partir para o próximo.


Bacci!!!


Beta

sábado, dezembro 08, 2018

Ciao!

Eita, gente, 2018 está terminando - Natal e Ano-Novo batendo na porta!!! - e temos novidades da autora Flávia Cunha! 


A todos os leitores que me deram uma chance ao ler a Trilogia Irmãos Angelis, ainda lá na Comunidade Adoro Romances do Orkut, e que me fizeram embarcar de vez na vida de escritora. Vocês que pediam um conto exclusivo para Rafael e Serena, os pais dos trigêmeos Gabe (Gabriel), Mica (Micael) e Nate (Natanael)... Vai sair sim! É pra vocês! 


O Dia do Vizinho é comemorado anualmente dia 23 de dezembro no Brasil. Existem vizinhos quietos, fofoqueiros, barulhentos... e com as suas características particulares eles se tornam especiais.
Pra comemorar, o conto Um vizinho muito sexy estará gratuito na Amazon!



Romances em Contos 3 é um livro que reúne autores contando histórias românticas no período natalino. Treze autores reúnidos para trazer para você a magia do Natal em lindas histórias de amor!

Autores: Anitta Cardoso – Bibiane Santos – Carla Blackhawk – Dill Ferreira – Drica Bitarello – Flávia Cunha – Jhonatas Nilson – Merari Tavares – Rebecca Agra – Roberta Del Carlo – Sheila Mendonça – Stella Regina – Susana Silva

Saiba tudo sobre essas e outras novidades!
Beta

quarta-feira, dezembro 05, 2018

Ciao!


Eita livro! Fiquei um bom tempo com ele porque as crônicas de Victor Degasperi conseguiram uma façanha: me fazer ter dificuldade em me expressar.
Depois de muito matutar, achei o caminho. 

O amor nas 4 estações – Victor Degasperi – Faro Editorial
(2018)

Costumava ler rápido, devorando cada linha, vírgula, ponto. Uma tracinha compulsiva (se quiserem atribuir algum culpado astrológico, meu ascendente é o inquieto Gêmeos). 
No entanto, desde o ano passado, notei que meu ritmo desacelerou (brutalmente, diga-se de passagem). 
Ao invés da absorção rápida, passei a encarar os livros de forma mais serena, me permitindo pausas para buscar mais aprendizados do texto que estou lendo.

Claro que nem todo livro me permite isso. Alguns me puxam pela mão na velocidade de um Fórmula 1.
Pois bem, O Amor nas 4 estações faz mais o estilo caminhada. Fones no ouvido (gosto de ler escutando músicas – atualmente estou mesclando o Ámame, novo trabalho do Il Volo com valsas. Nem busque sentido. Escorpião com Gêmeos rendem uma mistura muito maluca com resultados inesperados). 
“Há universos que se pertencem. E quando eles se encontram, eles se reconhecem. Eu não consigo dar nenhuma explicação lógica, porque tudo isso fala sobre sentir. E quem quer perder tempo explicando o que já se pode aproveitar sentindo. Seria bobo em tentar. É o que é e vive aqui dentro de mim. E como vive”. 
Justamente esta mudança de ritmo me fez observar a passagem das estações do ano. Sério. Agora já sei quando as sapucaias ficam rosas, quando os ipês – de diferentes cores – desabrocham. Descobri onde as garças dormem em uma cidade com 600 mil habitantes. Dancei ao som de Beirute em meio às folhas de outono. E Nirvana em uma manhã nublada de inverno. Sim, sei que houve gente que me achou maluca. Mas sim, houve quem simplesmente sorriu diante do inesperado de ver uma pessoa apenas vivendo – do jeito dela – um momento. 
“A vida me ensinou que olhares e gestos dizem imensidões que as palavras não conseguem alcançar, e que estar atento a estas imensidões pode fazer a sua vida mudar. (...) Aprendi que a vida é cada dia mais linda se você apende a escutar e que agradecer por todas essas preciosidades faz do seu coração felicidade que nunca vai deixar de te estar”.
Ah, gosto de textos só de diálogos, a dança de comentários e respostas conduzidas por travessões. E fico feliz em encontrar textos assim, só de diálogos, em meio a parágrafos. Permitem um respiro, um novo ritmo, uma nova possibilidade de ouvir as palavras. Às vezes, na vida a gente simplesmente conversa sem ficar divagando muito. Falar e escutar. Aprender. 
“Não há muita explicação, mas às vezes a gente encontra alguém que faz tudo fazer sentido. E quando a gente encontra, ainda sem querer encontrar muita explicação, a gente só quer dividir a vida. E, sinceramente, dividir a vida com alguém me parece o ato de coragem mais apaixonado do mundo”. 
Nas crônicas escritas por Victor Degasperi, o amor é o fio que costura os sentimentos que ele expressa no papel. Não apenas o amor romântico – encontrei reflexos do que sinto por algumas pessoas próximas que são amigas-irmãs e até de quem de quem já me despedi nos caminhos da vida.  
"Qual mergulho a sua alma quer dar? Há oceanos imensos, assim como o que sentimos. Há quem insista em mergulhar em desertos. Há quem insista em mergulhar em desertos. Há mãos que se encontram e continuam soltas. Precisamos encontrar mares que nos recebam e também dedicar os nossos mares a receber. Precisamos ser a grandiosidade do que queremos encontrar. E quando encontrarmos, precisaremos reconhecer com importância e raridade, assim como também merecemos ser vistos. Afinal, nenhum mar é igual a outro e nenhum mar é igual sempre”. 
Como o próprio Victor disse, ele já não é o mesmo que iniciou a jornada de escrever durante a passagem das estações e não será o mesmo se fizer uma releitura. Saudemos as mudanças e sejamos sempre capazes de ver algo sempre positivo e aprender com elas, foi a melhor lição que ele compartilhou comigo durante esta experiência enriquecida pelo delicado e bem-feito projeto gráfico do livro. As ilustrações são lindas – impossível escolher uma só. Só me resta agradecer e seguir em frente...


Bacci!!!

Beta

ps.: Este é o primeiro livro que participa da campanha da Faro Editorial divulgando a importância de fazer os exames para diagnóstico precoce da hepatite e do HIV! Cuidem-se!