terça-feira, janeiro 17, 2017

Ciao!


O banner é antigo. E infelizmente, a partir de agora, desatualizado.
Harlequin Brasil suspendeu a publicação dos Históricos.

Isso mesmo que você leu. Já havia uma desconfiança desde que os lançamentos de janeiro foram divulgados no site e não havia o histórico do mês. Até que a Ly Cintra compartilhou a resposta que recebeu da editora.

O tema foi intensamente discutido no grupo das Queridas, os blogs parceiros, nesta terça. A título de curiosidade, não houve publicação oficial da editora por lá para dar uma satisfação.


Achei na internet. Se alguém souber o criador, me fala para dar o crédito!

Como blogueira, estou me sentindo um lixo, diante desta situação que deixa a leitora aqui ao mesmo tempo triste e com muita raiva. Para que entendam o motivo, terei que abusar da paciência de vocês com a minha singela história pessoal.

O primeiro livro adulto que li – fora os contos de fadas, os paradidáticos, as enciclopédias e os amados da Coleção Vaga-lume – foi um romance histórico: Ilusões de Amor, Jennifer West , aos 12 anos.

(sim, merece uma resenha melhor. Será feita. Está aguardando apenas eu conseguir um novo exemplar, porque o meu foi “afogado”). 

Eu o encontrei na estante da minha prima, pedi emprestado, ela perguntou à #MadreHooligan se podia, fui autorizada e pronto: leitora compulsiva ampliou a área de atuação para sempre. Exatamente, comecei nesta vida pelos Históricos e só depois cheguei nas autoras contemporâneas. 
1ª pausa rápida no texto: sei que agora está na moda chamar Romance de Época. Entendo e respeito. Mas ainda prefiro chamar de Romances Históricos, por permitir designar livros com tramas que se passam antes de Cristo até a 2ª Guerra Mundial – o que abrange as idades Antiga e Média, Renascimento, Descoberta da América, Colonização Americana, Imigração da Europa para o Novo Mundo, Guerra da Secessão, Regência, Revolução Francesa, Independência Americana, Napoleão, Colonização da África e da Oceania, período Vitoriano, Revolução Industrial, 1ª Guerra Mundial, Anos 20, Grande Depressão e 2ª Guerra. (Essa divisão temporal é exclusiva da minha cabeça insana. Nunca vi definição oficial. Se encontrar seria até muito útil)
Volta e meia comento na saudosa parceria Nova Cultural-Harlequin, onde a gente tinha acesso a muitos romances históricos ótimos publicados no selo Clássicos da Literatura Romântica. Primeiro emprestados. Depois, com a ajuda do sebo, já consegui comprar muitos (mas sempre falta algum) e uma parcela deles já apareceu no Baú da Beta no Literatura de Mulherzinha. Depois que cada editora foi para um lado, vieram várias autoras que nunca tinha ouvido falar. 

  


Todas elas contribuíram na minha formação como leitora. Ajudaram a moldar meus gostos, minhas exigências, meu olhar para a construção de uma história.

Todos foram publicados no formato banca.

Comprei na banca da pracinha do bairro ou nos sebos (a maioria, que não recebi via parceria). 
2ª pausa rápida no texto: agora vem aquela parte chata – e eterna – sobre o preconceito sofrido por quem se manifesta abertamente como leitora de romance de banca. “Mas você lê isso?” Sim, leio. Sim, nem todos são perfeitos (quer o exemplo de um que está na minha lista da antipatia eterna e eu fui criticada por dizer isso?) – mas no formato livraria, clássico, internacional. Sim, muitos deles são construídos em cima de clichês – mas não é “privilégio” deles: cinema, teatro, novela, seriado, livros de “grife” deitam em rolam em cima do “mais do mesmo” e às vezes nem se dão ao trabalho de disfarçar isso. Mas é lendo que a gente identifica e separa o joio do trigo e decide com qual dos dois quer se alimentar. Menosprezar porque é mais barato que outras opções semelhantes. Porque está ali na banca da esquina. Porque não tem “grife”... Enfim, já tem textão sobre isso no Literatura de Mulherzinha: fique à vontade! 
Então, vocês entendem porque eu estou lamentando a decisão de “suspender”. As aspas são porque, depois de anos nesta indústria vital (Literatura de Mulherzinha completa 12 anos em abril, fora toda a experiência prévia como leitora compulsiva), sei que isso pode ser um eufemismo tipo “diga tchau, Lilica” ou “perdeu, blogueira”. Ou direto no povão: dançamos. Não volta. Pelo menos não como nós conhecemos.

   

Na melhor esperança, pode voltar no formato livraria. O que seria muito comemorado. Afinal de contas,  até mesmo por saber que há interesse (afinal de contas, vocês não acham que fui a única neste Brasil il il que cresceu lendo os Históricos e gosta do estilo, né?), várias editoras estão lançando série atrás de série (estou escrevendo de memória, portanto se deixei alguém de fora, acrescentem por favor nos comentários).

A Arqueiro investiu uma fortuna (não sei quanto mas é ÓBVIO que barato não foi) e temos Sarah MacLean, Loretta Chase, Lisa Kleypas, Mary Balogh e vai trazer um box da Julia Quinn em fevereiro e a própria Julia Quinn de novo em março (alguém diga a ela que eu amo o Benedict Bridgerton, por favor? Eu diria, mas ela teria que vir tomar café com broa e pão de queijo aqui em Minas) e tem série da Eloisa James vindo aí neste ano. 

A Planeta trouxe a Nicole Jordan e a Megan Maxwell.

A Gutemberg colocou nas prateleiras Tessa Dare e Sarah MacLean.

Selos do Grupo Editorial Record também tem suas estrelas: Patricia Cabot e Georgette Heyes e, nem me atrevo a deixar de fora, a Carina Rissi com as aventuras de Sofia e Ian pelo tempo.

Lucy Vargas publicou sua série histórica na Editora Charme e estamos viajando pela Escócia com a série da Maya Banks pela Universo dos Livros.

E própria Harper Collins (leia-se dona da Harlequin no Brasil) está lançando uma série da Stephanie Laurens

Ou seja, ainda temos uma esperançazinha. Pequena. Um fiapo. Melhor que nada. 
3ª pausa rápida no texto: se você pensou “ah, mas você estava gongando os livros de formato livraria ali em cima e agora vem pagar de tiete”, volte e releia o texto. Estou gongando quem usa isso como motivo para torcer o nariz para os livros de banca sem conhecer. Pelamor, nunca ouviu o ditado: “Não julgue um livro pela capa?” O que importa é o conteúdo. Essas autoras que citei e outras que me esqueci enquanto escrevo este texto desabafo são boas publicadas de qualquer maneira: banca, livraria, mangá, papiro, audiobook. Quem gosta de ler quer histórias de qualidade e torce para que o orçamento espremido pela crise permita sempre a compra do “próximo”. 
A maior prova disso vem aí: Bodas de Fogo, de Deborah Simmons, um dos mais amados, incensados e desejados livros de banca finalmente será relançado no Brasil no formato livraria pela Editora Bezz

Não conheço uma pessoa que tenha lido e não tenha se apaixonado pela saga da intrépida Isadora (Aisley, no original) e o temido Cavaleiro Vermelho, Piers de Montmorency.

Para encerrar, a sabemos que pode ser uma parte de um problema ainda maior.

Como disse a Flavinha no grupo das Queridas, o temor é que a suspensão dos Históricos seja um capítulo antes do ponto final da Harlequin no Brasil. 

“Sobrevivemos ao fim da Nova Cultural. Sobreviveremos ao fim da Harlequin Brasil”.

  

Se isso ocorrer, posso afirmar a vocês que os romances de banca, seja do meu acervo, do sebo, das trocas com as outras leitoras sempre terão espaço, carinho, a defesa e as críticas merecidas aqui no Literatura de Mulherzinha.

Seguiremos em frente. Lendo. Amando. Compartilhando. Simples assim.

 
Enfim, era só isso tudo que queria desabafar. Obrigada a você que teve a paciência de ler até aqui.

Bacci!!!!

Beta

ps: Enquanto isso, a Harlequin Internacional escolheu justamente a segunda quinzena de janeiro para realizar uma grande promoção em torno dos Romances Históricos: curiosidades no Instagram e no Facebook; chamada no Twitter e um hotsite só para isso.

Definição de ironia cruelmente atualizada pela vida...

domingo, janeiro 15, 2017

Ciao!!!


Como contei no texto de Princesa dos Mares, os livros da Paula Pimenta estavam na minha lista há um bom tempo, desde que a conheci pessoalmente. Só consegui realizar o desejo em 2016. Aproveitei o fim de ano e trouxe os outros dois livros das releituras dos contos de fadas escritos por ela para casa.
Agora, iniciando o cumprimento das 15 Metas de 2017, chega ao Literatura de Mulherzinha, Áurea/Anna Rosa, a adaptação de uma das minhas favoritas, Aurora, a Bela Adormecida.

Princesa Adormecida – Paula Pimenta – Galera Record
(2014)
Personagens: a vida de Áurea Bellora/Anna Rosa Lopes

O amor de uma estudante brasileira, Doroteia, por um integrante da nobreza de Liechtenstein, Stefan, parecia saído dos contos de fadas. Só que Marie Malleville, obcecada por ele, não ia deixar este amor ter paz. Para proteger a pequena Áurea, que era o alvo da vilã, ela “morreu” ainda criança e renasceu sob nova identidade no Brasil, onde morava com os tios. Sem compreender plenamente a trama onde estava envolvida, logo após o aniversário de 16 anos, Anna Rosa começa a quebrar algumas regras e mudar a própria vida.

Comentários:

- Eu adoro a história da Bela Adormecida. Do trio clássico dos filmes da Disney, é de LONGE a minha favorita. E adaptar esta trama para um contexto mais realista, sem as explicações envolvendo maldição e magia é um desafio e tanto para quem se propõe. Outra releitura que li – Enquanto Bela Dormia  – passou pelo mesmo desafio em outro contexto, ao situar a trama na Idade Média. Paula Pimenta tirou de letra e encontrou uma forma atual e singela de narrar a história de uma jovem que desconhecia a própria identidade e se vê ás voltas com mudanças radicais na vida e, ao mesmo tempo, encontra o primeiro amor.

- Ela não tinha lembranças dos pais e era superprotegida pelos tios. Até que suas amigas de internato decidem que ela iria comemorar o aniversário de 16 anos saindo para ir ao shopping e a um bar onde havia uma matiné. Afinal de contas, ela nunca agia como as outras. Receosa, ela aceita e se diverte – e até ganha da DJ Cinderela uma música como presente. Como na vida real (atire a primeira pedra que nunca passou por isso), a fuga é descoberta e rende uma negociação com os tios por um pouquinho de liberdade.

- Pouco depois, Anna Rosa recebe no celular uma mensagem de um estranho que dizia que queria apenas conversar. Primeiro, ela fica ressabiada, mas ele é gentilmente persistente e, sem dar detalhes comprometedores, os dois trocam mensagens, onde vão descobrindo um pouco mais sobre o outro. claro que Marie Malleville estava apenas aguardando a primeira brecha na segurança para atacar.

- Não vou contar o que ela faz porque foi uma das ótimas sacadas. Tudo o que você conhece da história da Bela Adormecida vai aparecer no livro. A releitura destaca o primeiro amor que precisou percorrer caminhos tortos e inesperados, vencendo desafios mortais, para chegar ao final feliz. 

- Adorei por trazer fofura e sentimentos singelos à minha vida. Agora, tão logo seja possível, assim como Anna Rosa e Arielle, vou dançar ao som da DJ Cinderela ;)

Releituras das Princesas:
Princesa Adormecida
Cinderela Pop


Bacci!!!

Beta

sábado, janeiro 14, 2017

Ciao!!!



Então, o que eu disse no texto sobre Promessas de Prazer continua valendo aqui: quanta gente desfuncional, confusa e desorientada reunida em duas histórias.
Estou falando do rei e do príncipe, obviamente. Coitada da rainha.

Segredos da Realeza – Maisey Yates - Paixão Ardente 12 (Os Príncipes de Petras 2/2)
(The Queen’s New Year Secret – 2015)
Personagens: rainha Tabitha e rei Kairos Demetriou, de Petras

Qualquer um com olhar mais atento perceberia que faltavam todos os sentimentos no casamento entre o rei Kairos e a rainha Tabitha. O fato de não terem conseguido conceber um herdeiro após cinco anos juntos era a ponta do iceberg de um relacionamento que não se sustentava em base nenhuma. Por isso, no Ano Novo, Tabitha tomou uma decisão drástica: pediu o divórcio. Acostumado a se sacrificar para cumprir o dever, Kairos encarou o pedido como um fracasso. Mas ao saber que finalmente a rainha estava grávida se viu empenhado em fazer o casamento continuar, ela querendo ou não.

Comentários:

- Cadê um terapeuta familiar pra lidar com os homens da família real de Petras? Sagrada família, eles são totalmente descompensados e com zero empatia para com os sentimentos alheios. Kairos foi moldado em chumbo para ser rei e listava as obrigações que precisava cumprir. Ao ver a noiva ideal humilhá-lo, arrumou uma substituta em um piscar de olhos: a assistente pessoal. Relacionamento que começa errado, segue errado, até mesmo pra terminar... dá errado. Em um momento de perda de controle de ambos, finalmente o bebê tão necessário resolveu dar o ar da graça. Por causa de um médico que não soube respeitar o sigilo da paciente, o real marido ficou sabendo. E o divórcio tão desejado por Tabitha subiu no telhado.

– O que você pensa que está fazendo? – perguntou ela.
– Não acho que esteja fazendo nada estranho. Esta é a situação, minha querida esposa. Ou você vem comigo agora ou vamos fazer isso aqui em Petras mesmo.
– Fazer o quê, exatamente?
– Chegar a um acordo sobre exatamente o quê vamos fazer agora que estamos prestes a ser pais. E por “chegar a um acordo” estou dizendo que eu vou decidir. Não se esqueça que eu sou o rei. Quaisquer que sejam as leis que se apliquem ao restante do povo, elas não se aplicam a mim.

- Há limites para um casamento de conveniência onde não há relação, não há sentimento, não há nada. E a essa altura, não há nem respeito, porque Kairos não perde chance de lembrar que ela era pobre, tudo que tem é graças ao casamento e não pode lutar com o poder e o dinheiro dele. E ainda fica indignado quando Tabitha explicou que ela mudou e não se adequava mais ao casamento que ele poderia dar a ela. O problema era que estava unida a um homem que afirmava categoricamente que não sentia nada por ela nem por ninguém. E mesmo assim não entendia porque a rainha desistiu e queria se divorciar.


Os príncipes de Petras merecem...
- Filhos de um casal desestruturado, Kairos, assim como o irmão, não sabe lidar com os sentimentos nem os próprios nem os dos outros. Queria um relacionamento onde se relacionar ficava apenas no papel para não ter que correr risco de ficar vulnerável. No entanto, o rei sabia muito bem o que dizer e o que fazer para magoar a rainha conveniente que escolheu. Sempre. Várias vezes a gente tem a sensação de que ele vai dar um passo para frente, só pra vê-lo retroceder e ferir como forma de uma pseudoautodefesa. Isso me irritou muito e anulou qualquer chance de simpatia por ele. Claro que o amor surgirá e ele não terá como lutar contra o óbvio, mas não sei se na vida real algum relacionamento saudável seria possível após uma etapa tão conturbada.

- Enfim, mais dois pro acervo do Literatura de Mulherzinha e menos dois na minha lista.

Dueto Os Príncipes de Petras
1 – Promessas de Prazer – princesa Zara Stoica, de Tirimia e príncipe Andres Demetriou, de Petras
– Paixão Ardente 11
2 – Segredos da Realeza – rainha Tabitha e rei Kairos Demetriou, de Petras – Paixão Ardente 12


Bacci!!!

Beta

quinta-feira, janeiro 12, 2017

Ciao!!!


Vi esta tag no Literakaos, achei curiosa e olhei para a pilha e vi que tinha muitos livros aqui me esperando (além dos que acrescentei à coleção com as compras de aniversário e Natal). Eis a lista. E espero cumpri-la até o fim do ano.


1 – Trilogia Redenção – Nana Pauvolih
Cumprindo promessa que fiz à Nana na Bienal de Juiz de Fora: na próxima vez que eu a encontrasse, teria lido todos os livros dela. Por isso, Redenção de um Cafajeste, Redenção e Submissão, Redenção pelo amor vão aparecer no Literatura de Mulherzinha nos próximos meses.

  

2 – Série das Princesas – Paula Pimenta
Eu li Princesa das Águas  e me apaixonei pela série de releituras da Paula Pimenta. Cinderela Pop e Princesa Adormecida já estão aguardando a sua vez.







3 – Corte de Névoa e Fúria – Sarah J. Maas
Um dos meus autopresentes de aniversário: eu amei Corte de Espinhos e Rosas e queria muito ler a continuação para saber mais sobre o que acontece com Feyre e Tamlin. Como é um livro maior, talvez tenha que esperar quando tiver alguns dias de folga pra poder ler sem interrupção.







4 – Herdeira do Fogo e Rainha das Sombras (Trono de Vidro vol.3 e 4) – Sarah J. Maas
Celaena, a diva! Adoro a série. Demorei para conseguir estes dois livros e ainda me falta o A lâmina da assassina, que reúne as prequels da série.






5 – O Bicho-da-seda e Vocação para o mal – Robert Galbraith
Eu adorei o Chamado do Cuco e não consegui ler O Bicho-da-seda em 2016. Então agora tenho dois para colocar em dia até sair o próximo da série Cormoran Strike.






6 – Magnus Chase: O martelo de Thor – Rick Riordan
A minha primeira experiência com o autor foi o A espada do Verão. Amei o estilo dele, amei tudo e, como bônus, ainda tinha Loki. E se tem Loki no meio, lá vou eu...






7 – Outro dia – David Levithan
Caso seja a sua primeira visita ao Literatura de Mulherzinha, fique sabendo: eu AMO David Levithan. E Todo dia serviu para me apresentá-lo e eu me apaixonei. Os livros solo dele são sempre experiências que me deixam sempre muito feliz. Demorei para conseguir Outro Dia, não consegui ler nas férias e ele acabou ficando para 2017.


8 – A maleta de criaturas: explore a magia do filme Animais Fantásticos e Onde Habitam – escrito por Mark Salisbury e criado por MinaLima
Desta lista, este é um dos dois livros que não garanto resenha. Não consigo me comportar racionalmente com qualquer coisa relacionada ao universo de Harry Potter. Vi este livro no dia do meu aniversário, comprei na promoção e ainda pouco o abri porque quero ter “o momento” só para isso.



9 – Harry Potter e a criança amaldiçoada – J.K. Rowling
O presente “mais óbvio do fim de ano” chegou quase na virada do ano, mas chegou. É o outro que não garanto resenha porque Harry Potter é algo muito pessoal que ainda não encontrei uma forma de me expressar coerentemente sobre ele.




 

10 – Série Sprindle Cove – Tessa Dare
Os três livros e a novella já estão aqui em casa por causa de #MadreHooligan. Ela já leu e fez ressalvas. Agora será a minha vez de descobrir a história e ver o que acho delas.


 


11 – Série Encantados – Raiza Varella
Eu adoro cavalos, acho um animal bonito, forte. Então, um livro que tenha cavalo na capa vai me chamar a atenção. Foi assim que descobri os dois primeiros livros desta trilogia na livraria. E O garoto de olhos azuis e O garoto que tinha asas também vieram no trenó do Papai Noel. Ah, claro, #MadreHooligan já confiscou ambos pra pilha dela.



12 – Cabeças de Ferro – Carol Sabar
A Carol me fez ter crises intermináveis de risos com Azar o Seu!  e fiquei vigiando o novo livro dela - que dará início à uma série. Só consegui comprá-lo no fim do ano (e o recebi agora em janeiro), então, mais um pra meta!





 
13 – The Roman/O inferno de Gabriel – Sylvain Reynard
Então, The Roman é a prioridade, mas como não sei quando o desfecho da série Noites em Florença será lançado no Brasil, deixei a opção do primeiro da Trilogia de Gabriel, que #MadreHooligan leu e amou, e ainda está na minha lista de pendências. Então, chegou a hora de sair da pilha, né?





14 – A garota que eu quero – Markus Zusak
Era uma vez uma criatura que foi à Bienal do Livro de 2013 no Rio, comprou um monte de livros... e leu quase nenhum! Até que os encontrou em uma gaveta e colocou na pilha para ler. Então, conheceu o Vinícius Grossos, que recomendou este livro e ela se lembrou que tinha. Pronto, mais um pra lista!



 

15 – Alvo em movimento, Cecil Castelucci e Jason Fry & A missão do contrabandista, Greg Rucka
Da série de livros relacionados a Star Wars publicados pela Seguinte, faltam estes dois para eu ler. Por isso, já eram metas do ano. Nada mais natural que colocá-los aqui




Tem mais de 15 livros aí, com certeza (se contei direito, são 26 - o que me dá uma ótima margem de erro)! Decidi aproveitar mesmo para diminuir a famigerada pilha de espera.
Agora é #partiuleitura para dar conta dela!

Bacci!!!

Beta

terça-feira, janeiro 10, 2017

Ciao!!!




Feliz Ano Novo!!!
E a Harlequin Brasil divulgou as opções para a leitura nas férias de janeiro!
Confiram!



Um romance proibido…

Há cinco anos, Abby Laurence daria qualquer coisa para se tornar amante de Luke Morelli. O sabor dos lábios e os toques irresistíveis dele eram a promessa de segurança com a qual ela sempre sonhou. Contudo, Abby sabia que esse amor era proibido. Afinal, ela era casada. Mas agora Luke está de volta, determinado a fazê-la pagar por suas mentiras e traições. Finalmente livre de seu terrível marido, Abby está certa de que existe apenas uma maneira de consertar os erros do passado: entregando-se para Luke de corpo e alma.


Um laço inabalável!

O fim do noivado do príncipe Raphael DeSantis virou um escândalo internacional. Mas,para Bailey Harper, foi ainda mais surpreendente. Ao ler nos jornais que o ex-amante é um membro da realeza, ela percebe que carrega no ventre um herdeiro ao trono! Agora que seu casamento de conveniência foi desfeito, Raphael só pensa em retomar o relacionamento que tinha com Bailey. E quando descobre que ela está esperando um filho seu, sabe que precisa transformá-la em sua esposa. Bailey pode até estar relutante em se tornar rainha,mas será que conseguirá resistir ao poder de persuasão desse estonteante príncipe?


ACORDO IMPULSIVO
Alejandro Aguilar não mistura negócios com prazer. Porém,sua nova funcionária, Elise Jameson, o faz querer quebrar as próprias regras. Ao trabalharem juntos em uma fusão multibilionária, ficam tentados a se entregarem ao desejo.Contudo, Alejandro vê traição por todos os lados… inclusive nos olhos de Elise.
UMA NOITE DE PRAZER
O bilionário Gael Aguilar só tem duas regras em seus relacionamentos: o tempo limite é de seis semanas, e ele não dá segundas chances. Mas a aspirante a atriz Goldie Beckett acaba quebrando ambas ao invadir uma reunião para devolver o dinheiro que ele deixara após a noite de paixão que tiveram.

  
 
 

MELODIA DO CORAÇÃO - Julia James
Bastiaan Karavalas adora o jogo de sedução, e seu alvo da vez é a hipnotizante Sarah Fareham. Pena que seus esforços não serão apenas por prazer… ela é uma ameaça a sua família que deve ser impedida a todo custo! A doce Sarah sonha em ser cantora de ópera, mas precisa sustentar-se trabalhando em uma boate. Por isso, esconde suas inibições por trás da personagem Sabine, que acaba se tornando seu único escudo ao ataque sensual de Bastiaan. Porém, ninguém consegue resistir a esse poderoso magnata por muito tempo. Será que a fachada dura de Sarah é suficiente para proteger seu coração?

ROMANCE DE FACHADA - Dani Collins
Gwyn Ellis se meteu em uma grande confusão! Fotos indecorosas dela foram publicadas na internet, ameaçando seu adorado trabalho na Donatelli International. Ninguém quis ouvi-la explicar que fora uma armação, a não ser seu chefe, o sensual Vittorio Donatelli. Ele está disposto a tudo para proteger o império de sua família de um escândalo. E se precisar transformar a bela Gwyn em sua amante para combater os rumores maliciosos, Vittorio o fará… e com muito prazer!



Um amor inesquecível?

As irmãs de Jo D’Angelo acham que conhecem o remédio perfeito para curar seu coração partido: alguns dias relaxantes no idílico chalé que pertencera a sua avó. Contudo, para ela, Rose Cottage é apenas uma lembrança dolorosa do romance que tivera com Pete Catlett, anos atrás.
Ele mal pôde acreditar quando descobriu que Jo estava de volta à cidade, mas teve a ligeira impressão de que era a última pessoa que ela queria encontrar batendo a sua porta.
Pete jurou recuperar a confiança de Jo e ganhar seu perdão.
E, quem sabe, conquistar novamente a mulher que jamais conseguiu esquecer.




Confira também no Pinterest e no site da Harlequin Brasil

Bacci!!!

Beta