domingo, setembro 25, 2016

Ciao!!!



Em junho, Mia vai para Washington ser a namorada-troféu por um bem maior. Só não tinha ideia do que a aguardava entre os mais ricos entre os ricos do país.

A Garota do Calendário: Junho – Audrey Carlan – Verus
(Calendar Girl: June – 2015)
Personagens: Mia Saunders e Warren Shipley

Mia foi contratada para ser acompanhante e o trunfo de Warren Shipley. Ela poderia ajudá-lo a conseguir o apoio de outras pessoas que tinham um estilo de vida que ele deveria fingir seguir. Mia entendeu a importância do projeto e embarcou na rotina do One Percent, aquele grupo dos mais ricos do mundo. Além da chance de fazer a diferença, trouxe o bônus de conhecer Aaron, o senador galã filho de Warren e potencial futuro presidente dos Estados Unidos. No entanto, neste mundo, Mia pode ser traída pelas aparências.

Comentários:

- Por imaginar o contexto real dos vários fatos presenciados e que ocorrem com Mia neste livro, posso dizer que foi o que menos me agradou até agora. Mia tem que fingir ser a namorada-troféu com idade de neta do ricaço Warren Shipley. Pelo menos a causa é boa: ele tem um projeto que quer levar vacinas a países pobres. No entanto, para viabilizar, precisa se relacionar com pessoas que também têm muito dinheiro, mas um estilo de vida com o qual ele não concordava, mas deveria aparentar viver.

- Por isso, Mia embarca na rotina de encontro e festas com homens que tinham muito mais dinheiro do que ela seria capaz de conceber e com as acompanhantes-namoradas que desfilavam ao lado deles, como um atestado da virilidade e de que tinham muito dinheiro para se cercar de coisas e pessoas bonitas. E descobriu que, embora decorativo, ela realmente poderia ser influente e conseguir ajudar Warren.

- É um mês para Mia aprender a “confiar na jornada”, que se tornou seu mantra. E valorizar tudo que viveu, todos que conheceu e o que experimentou ao longo da missão de ser acompanhante e conseguir quitar a dívida feita pelo pai. Só que ela também embarcou em algo que não consegue rotular para si mesma – e que trouxe consequências com as quais não consegue lidar e solucionar de imediato. 

- Neste mês, as aparências serão fundamentais e enganosas. Ela vai se deparar com uma situação que “todos ouvem dizer” até quando ocorre com alguém próximo. Não vou dar spoiler, porque o livro é curto. Mas é algo (infelizmente) real e a atitude dela pode dividir opiniões (que foi exatamente a reação de alguns personagens). Enfim, é complexo, complicado, tinha muita coisa em jogo e a decisão foi dela. Pensem bem em todos os aspectos antes de julgar. Afinal, na situação dela, o que você faria?

A garota do calendário
1 – January – Janeiro: Weston Charles Channing III
2 – February – Fevereiro: Alec Dubois
3 – March – Março: Anthony Fasano
4 – April – Abril: Mason Murphy
5 – May – Maio: Tai Niko
6 – June – Junho: Warren Shipley
7 – July – Julho
8 – August – Agosto
9 – September – Setembro
10 – October – Outubro
11 – November – Novembro
12 – December - Dezembro


Bacci!!!

Beta

sábado, setembro 24, 2016

Ciao!!!


Em maio, Mia vai para o paraíso, de várias maneiras possíveis. Enquanto trabalha, vai conhecer mais prazeres da vida tendo um samoano sexy como guia.

A Garota do Calendário: Maio – Audrey Carlan – Verus
(Calendar Girl: May – 2015)
Personagens: Mia Saunders e Tai Niko

Mia foi contratada por Angel d’Amico para posar para um catálogo de moda praia no Havaí. Cenário paradisíaco e, desta vez, teria a visita e a companhia da irmã Maddy e da amiga Gin. Enquanto elas não chegam, ela encontrou companhia em um samoano sexy que foi esculpido com muita generosidade por Deus. De parceiro nas fotos e vizinho no bangalô, Tai se tornou o melhor amigo-amante que ela poderia encontrar nesta jornada louca em que estava para salvar o pai e proteger a si mesma e à irmã.

Comentários: 
 “Maio. Melhor. Mês. de. Todos”.
- Olha, a gente sabe que a vida da Mia até agora tem sido uma jornada que trouxe amantes e amigos, nem sempre simultaneamente. Wes e Alec foram explosivos à sua maneira. Tony e Mason viraram família, após o “empurrãozinho” da Mia-conselheira. Aí vem o Tai. MEODEOS. Até eu que estava de boa com a série, me empolgando mais com os clientes ou com detalhes da trama, fui afetada pelo “Samoano Sexy”. Sério que tem alguém assim na vida real? 
Tatuagens tribais pretas. Músculos definidos, de babar, envoltos por um padrão de design intrincado, em desenhos que se espalhavam na pele bronzeada”.
Todo o som pareceu desaparecer, e o ambiente se concentrou na caminhada daquele homem pela areia. Era de tirar o fôlego. Os músculos das coxas grandes pulsavam e tensionavam a cada passo. Uma fina camada do abdome definido ondulava, e a pele recuava a cada movimento. Seu peito brilhava como uma opala, num turbilhão de cores suaves. Mas talvez fosse só o calor e a minha visão distorcida”.


- É primitivo, é instintivo, é animal o que liga Tai e Mia. Desejo puro e combustão instantânea. Não há sonhos de “para sempre” porque ambos sabem que não representam isso um para o outro. O que não impede de aproveitar o momento de todas as formas possíveis e em todos os lugares possíveis. E estabelecer uma cumplicidade a tal ponto de ela conhecer a família dele e se encantar com as tradições que eles orgulhosamente mantêm vivas.

- Basicamente Mia tirou férias, com um amante sexy como companhia; com a presença de Maddy e Gin e ainda foi bem paga por um editorial de moda. Só pra gente dizer que não foi tudo perfeito, ela foi surpreendida por uma notícia que abalou suas convicções e a fez entender que nada é mesmo para sempre, as coisas mudam. De resto continua

- Por fim, não deixa de ser curioso ver Mia, capaz de dar duplos twists carpados e esticados no quarto ou fora dele, quase ter uma síncope quando a irmã decide conversar sobre sexo com ela. Como se manter a irmã pura (ou quando muito) longe do jeito como ela mesma leva a vida garantisse alguma redenção nesta jornada de sacrifício a que Mia se dispôs.

- No mais, ela continua sem se entender, sem se perdoar e levando como é possível – desfrutando sempre e ainda se permitindo sendo assombrada pela consciência que não entra em acordo sobre como rotular a jornada deste ano como Garota do Calendário.

A garota do calendário
1 – January – Janeiro: Weston Charles Channing III
2 – February – Fevereiro: Alec Dubois
3 – March – Março : Anthony Fasano
4 – April – Abril: Mason Murphy
5 – May – Maio: Tai Niko
6 – June – Junho:
 
7 – July – Julho
8 – August – Agosto
9 – September – Setembro
10 – October – Outubro
11 – November – Novembro
12 – December - Dezembro


Bacci!!!

Beta

quarta-feira, setembro 21, 2016

Ciao!!!



Em se tratando de Orgulho & Preconceito, não sou a maior fã de Lydia Bennet. Aliás, não sou nada fã dela. Nem do Sr. Collins. Mas não é que acharam um jeito de pelo menos eu parar pra pensar no lado dela?

As épicas aventuras de Lydia Bennet – Kate Rorick e Rachel Kiley – Verus
(The epic adventures of Lydia Bennet – 2015 – Pemberly Digital)
Personagem: Lydia Bennet

Lydia estava bem. Muito bem. Praticamente ótima. Só que não. Após o trauma de ter sido exposta na internet pelo ex-namorado interesseiro, tentava lidar com a eterna preocupação de todos que gostavam dela, com a incapacidade de colocar a vida nos trilhos e parar de decepcionar a si mesma e aos outros. É a jornada dela para se reencontrar, se entender e se perdoar, para conseguir seguir em frente, em direção ao que realmente quer da vida.

Comentários:

- Sim, para minha vergonha, ainda não vi a webserie, portanto meu contato com a personagem está no livro narrado por Lizzie e na inspiração de tudo, Orgulho & Preconceito. Como antecipei, sofro de um caso crônico de antipatia pelas atitudes que ela toma na história original. E na adaptação narrada por Lizzie estava tudo seguindo como sempre até o momento em que George apronta feio com ela. Porque, não importam meus julgamentos, nenhuma garota merece ser exposta. Aliás, ninguém merece ver algo feito em confiança e na intimidade se tornar público contra a sua vontade por desejo de obter alguma vantagem ou vingança.

- No diário da Lizzie vemos o que isso causa para a família e temos uma ideia do que traz para Lydia. Mas é aqui que podemos aprofundar no trauma de quem foi a vítima. Ela embarcou na ideia de ter um canal de vídeos e ser uma webestrela, mas viu que não era tudo perfeito quando a situação se virou contra ela e a transformou em vidraça dentro e fora das redes sociais. (Se cada um cuidasse da própria vida, o mundo seria tão melhor, né?). Agora ela está desnorteada, confusa, magoada, sem a plena compreensão do motivo de George ter feito o que fez (a razão entende, mas o lado emocional cobra uma resposta satisfatória ao “por quê?”) e sentindo o peso de decepcionar a família e ela mesma. 
- Abri mão da minha voz por alguém que eu mal conhecia. 
- Só que ela não admite isso nem pras irmãs, pros pais, pra prima Mary, pra terapeuta e muito menos pra ela mesma. E por não reconhecer a raiz do problema, vai se atrapalhando cada vez mais com as consequências, que se manifestam principalmente na inabilidade de dar sequência à vida. Mesmo quando se resume a um detalhe ou uma finalização que depende apenas dela – uma resposta a uma pergunta que paira o livro inteiro é a maior prova disso. E sem admitir que precisava de ajudar a si mesma, Lydia vai chegar a um grande impasse onde precisa encontrar o rumo que deseja em meio aos escombros do que sua vida e sua autoestima se tornaram.

- No meio disso, reencontramos o sr. e a sra. Bennet; Lydia e Bing (tem casal mais adoravelmente feliz e bondoso, não importa a adaptação?); Lizzie também aparece; Darcy é citado; há uma menção – horror dos horrores – ao Sr. Collins. No entanto, quem brilha mesmo é a prima Mary. E é engraçado, porque sempre despertou a minha curiosidade pelo pouco que vemos dela no material original. O foco está sempre em Lizzie, Jane e Lydia, então encontramos lampejos da filha mais calada dos Bennet. Gostei que, aqui, ela tenha personalidade própria e uma história paralela à jornada de recuperação e autodescoberta da Lydia.

Dueto
O diário secreto de Lizzie Bennet – Bernie Su e Kate Rorick
As épicas aventuras de Lydia Bennet – Kate Rorick e Rachel Kiley


Bacci!!!

Beta

domingo, setembro 18, 2016

Ciao!!!



Em abril, Mia tem a missão de ajudar um babaca a melhorar a imagem pública. E vai aprender que os primeiros julgamentos podem ser bem incompletos.

A Garota do Calendário: Abril – Audrey Carlan – Verus
(Calendar Girl: April - 2015)
Personagens: Mia Saunders e Mason Murphy

Mia foi para Boston para ser a namorada de fachada de Mason Murphy, astro em ascensão do beisebol, uma das estrelas do Red Sox. O problema era que a fama de bad boy já estava incontrolável e comprometendo a carreira dele. Com uma namorada, os patrocinadores ficariam mais tranquilos e tudo poderia voltar aos trilhos. Só que Mia descobre duas coisas: que ele era um babaca com nenhum respeito pelas mulheres, mas havia uma que poderia mudar tudo isso, se tivesse coragem de arriscar.

Comentários:

- Desta vez, Mia não teve uma breve pausa em Las Vegas, despediu dos novos amigos em Chicago e foi direto para Boston, onde seria a namorada-de-fachada-recupera-imagem de um dos astros do Red Sox, Mason Murphy. O cara era uma potencial estrela do beisebol, mas estava jogando tudo fora com farra, gandaia, Marias-bastão (deve ser o equivalente às Maria-chuteiras) e bebedeiras. Por isso, foi montada uma operação emergencial para salvar a imagem dele antes da perda total de valor.

- E se com alguns dos clientes anteriores, Mia teve algo mais porque quis, com Mason, nem pagando. Ele era um babaca que tratava as mulheres como pedaços de carne que podia comprar. O jogador a tirou do sério com menos de 10 minutos de convivência e deu para notar que ela teria que colocá-lo nos trilhos além da imagem pública. Então descobriu a assistente Rachel, responsável por cuidar da imagem e da carreira dele e percebeu onde estaria uma possível solução.

- Ao longo do mês, Mia percebe como é a vida de namorada de um jogador – com o bônus de ser do time que ela torcia. Conheceu as esposas e namoradas (EENs), viajou pelo país para assistir a jogos, passou a conviver com os rapazes da equipe. Também conheceu os rapazes da família Murphy. E ainda ajudou em iniciativas que realmente ajudaram a mudar a percepção do público e (mais importante) dos patrocinadores sobre Mason. Como o próprio livro comenta, todos amam um bad boy regenerado. Seguindo na vibe “Mia Conselheira” descoberta no livro anterior, aqui ela decide dar o empurrãozinho que faltava para uma história acontecer e terá que lidar com alguns percalços na execução do plano.

- Enquanto isso, Mia está às voltas com uma descoberta que era até previsível (mas ela preferiu ignorar) e, por orgulho ferido, embarca em um revival.

Segue a série. Estou atualizando com o nome do cliente do mês à medida que os livros chegarem ao Literatura de Mulherzinha. 

A garota do calendário
1 – January – Janeiro: Weston Charles Channing III
2 – February – Fevereiro: Alec Dubois
3 – March – Março: Anthony Fasano
4 – April – Abril: Mason Murphy
5 – May – Maio
6 – June – Junho
7 – July – Julho
8 – August – Agosto
9 – September – Setembro
10 – October – Outubro
11 – November – Novembro
12 – December - Dezembro


Bacci!!!

Beta

sábado, setembro 17, 2016

Ciao!!!



As aventuras de Mia em busca da quantia para pagar a dívida do pai continuam. Depois de dois intensos meses na Califórnia e em Seattle, a próxima missão era em Chicago.

A Garota do Calendário: Março – Audrey Carlan – Verus
(Calendar Girl: 2015)
Personagens: Mia Saunders e Anthony Fasano

Em Chicago, Mia seria a falsa noiva de Anthony, o comandante do império de restaurantes e culinário Fasano. O menino dos olhos de Ma Fasano, que já faz o planejamento do casamento com uma moça de família católica e espera para o mais rápido possível muitos netinhos e netinhas para dar continuidade e a próxima geração dos Fasano. Mia se envolve em uma confusão familiar e, quem diria, vira conselheira.

Comentários:

- A série continua seguindo o molde dos capítulos anteriores. Um novo cliente por 30 dias. A dívida do pai, que ainda não se recuperou da surra que levou do agiota, que precisa ser paga.

- Também temos mais cenas sobre dilema moral que persegue Mia: resolver consigo mesma os sentimentos sobre o que está fazendo. Porque a impressão que tenho é de que ela ainda não sabe lidar com o fato de ser contratada para passar um mês com um homem, ter a liberdade de dormir com os clientes e ser paga por isso. Não encontrou um rótulo que a satisfaça e não a limite como “acompanhante”, “garota de programa” ou para os dias de pensamento mais agressivo e autopunitivo “puta”. Sempre que eu imagino que ela parou de pirar com isso, há uma recaída em cima de alguma forma de se consolar, seja se vendo como mártir oferecida em sacrifício ou como “já que saiu na chuva, não tem problema em se encharcar”.

- No entanto, por mais que Mia seja a protagonista, confesso que o cliente da vez é sempre quem mais me interessa. E posso dizer que amei tudo a respeito do Anthony Fasano. Adoro a dinâmica de grandes e barulhentas famílias italianas e também acho interessante o que se esconde por baixo de tanto ruído, tanto abraço e tanto amor. No caso de Anthony, o bendito (e bota bendito nisso, porque o homem descrito pela autora é daqueles tão lindos que você nem consegue fingir que não sentiu o impacto) fruto entre cinco filhos, o chefe da companhia após a morte do pai e que estava se sentindo pressionado a fazer o possível e o impossível para não desagradar ninguém.

- Por isso, ele contratou Mia. A mãe o estava enlouquecendo com a pressão para assumir uma namorada e se tornar logo um homem de família. Além dos netos, seria ótimo para os negócios. Tudo perfeito para todos, menos para ele, que não queria isso. No entanto, vivia na corda banca, conciliando o interesse de todos, acaba se sacrificando. E as consequências podem ser desastrosas. O mais engraçado de tudo é ver Mia agindo de forma positiva, como conselheira de Anthony. Logo ela, cuja vida está caótica. Deve ser aquilo que dizem: quem está de fora tem melhor visão do assunto.

- Amei todos os personagens ligados ao Fasano. Eles tornaram a história divertida, passional e intensa. Vou sentir saudades deles. E gostei do desfecho da trama. Aliás, gostei até de uma “pegadinha” da autora, que me fez pensar que Mia teria “férias” em março, para poder fazer uma surpresa no fim. Interessante.

Segue a série. Estou atualizando com o nome do cliente do mês à medida que os livros cheguem ao Literatura de Mulherzinha. 

A garota do calendário
1 – January – Janeiro: Weston Charles Channing III
2 – February – Fevereiro: Alec Dubois
3 – March – Março: Anthony Fasano
4 – April – Abril: Mason Murphy
5 – May – Maio
6 – June – Junho
7 – July – Julho
8 – August – Agosto
9 – September – Setembro
10 – October – Outubro
11 – November – Novembro
12 – December - Dezembro


Bacci!!!

Beta