quarta-feira, maio 22, 2019

Ciao!


A Editora Sextante vai reunir os seus autores no fim de semana 8 e 9 de junho no Teatro Gazeta em São Paulo.

A programação está disponível no site do evento. As entradas estão à venda pela internet no Ingresso Rápido ou na bilheteria do Teatro.

*Corre que já tem horário esgotado*

Bacci!!!

Beta


domingo, maio 19, 2019

Ciao!







  
E sigo devagar e sempre no cumprimento da meta pessoal de reler toda a série MacGregor e dar a cada livro o post que merece no Literatura de Mulherzinha (afinal de contas alguns já constam no Cap. 20).
Engraçado como no caso deste livro o tempo fez diferença

Beijos que conquistam– Nora Roberts – Harlequin (Os MacGregors)
(The Winning Hand – 1998 - Silhouette)
Personagens: Darcy Wallace e Robert MacGregor Blade 

O mundo seguro e confiável de Darcy estava muito instável. Fugiu de um casamento que queriam lhe impor em sua cidade natal no Kansas e foi parar em um cassino em Las Vegas. Apostou as últimas moedas e ganhou um prêmio de quase 2 milhões de dólares. Mac Blade se surpreendeu com a fadinha inocente que se tornou milionária no Comanche. E sentiu que era responsável por protegê-la nos dias seguintes à reviravolta. Ainda mais porque sabia que o maior perigo para ela poderia ser ele mesmo.

Comentários:

- A minha lembrança era de que, quando li a primeira vez, não gostei tanto do livro. Faltou química minha com os personagens, algo que tenho de sobra em outras histórias da série. Nada como o tempo para fazer a gente repensar algumas coisas, né?

- Nora explora os contrastes: a garota que sempre foi tolhida pelos pais e que se viu confinada emu ma vida segura encontra o homem que fazia das apostas (sejam as dele ou as dos clientes) a forma de ganhar vida. Ela, totalmente inocente. Ele, cínico e experiente. Ela sonhava com castelos, contos de fadas e em viver da própria criatividade como escritora. Ele não tinha essa visão tão romântica da vida porque sabia que era questão de probabilidades e, na grande maioria, a casa vence, não importa quão boas fossem as cartas nas mãos do jogador.

- E como duas personalidades tão distintas poderiam ser perfeitas uma para a outra? Nada como as tais probabilidades. E também porque temos Daniel MacGregor piando no assunto – e em nenhum momento da série vemos o casamenteiro-mor da família se enganar, né?

- Sei que os MacGregors são irresistíveis, mas o interesse aqui é ver Darcy desabrochar. A sorte no jackpot permitiu isso: ter dinheiro para não ter medo da vida, do destino que outros queriam lhe impor e de descobrir novos ambientes, novos divertimentos, novas questões pessoais e refletir sobre o que gostaria de ser e fazer. Ela se liberta da “velha” Darcy e abre as portas para novas experiências. E aí que Mac paira entre ser uma boa notícia ou um grande problema.

- Afinal de contas, ele passou a idealizá-la como uma jovem inocente que caiu no antro de tentações e das perdições, onde poderia perder o melhor de si mesma. E ainda, por cima, se sentia disposto a colaborar com isso, porque a desejava e percebia que ela o queria também.

- Mac pira um pouco ao presumir que a inocência de Darcy a impedia de decidir sobre a própria vida. Até parece que a garota é burra. Não é. Deveria ter dado um pouco mais de crédito a ela. Mas como bem lembrou Daniel, ela é uma Wallace, sangue escocês forte. Não vai hesitar em deixar isso bem claro. E quem lê agradece. Não sei onde estava com a cabeça quando não gostei do livro. Agora que entendo a força de Darcy, ele se tornou bem especial para mim.

Série Os MacGregors (The MacGregors)
1. Jogo da Sedução Playing the Odds (1985) – Serena MacGregor e Justin Blade
2. Destino Tentador - Tempting Fate (1985) – Caine MacGregor e Diana Blade
3. Orgulho e Paixão All the Possibilities (1985) – Alan MacGregor e Shelby Campbell
4. Encanto da Luz - One Man's Art (1985) – Genevieve Grandeau e Grant Campbell,
5. Hoje e sempre - For Now, Forever (1987) – Anna Whitfield e Daniel MacGregor
6. Rebelde – Rebellion (1988) – Serena MacGregor e Brigham Langston
7. Um mundo novo - In From the Cold (1990) – Alanna Flynn e Ian MacGregor
8. Instinto do amor The MacGregor Brides (1997) - Julia, Gwen e Laura
9. Beijos que conquistam The Winning Hand (1998) – Darcy Wallace e Robert MacGregor Blade
10. Amor nunca é demais - The MacGregor Grooms (1998) – D.C., Duncan e Ian
11. Um vizinho perfeito - The Perfect Neighbor (1999) – Cybil Campbell e Preston McQuinn


Bacci!!!

Beta

sábado, maio 18, 2019

Ciao!!!



  
Foi uma leitura que me marcou pela sororidade entre as protagonistas, que se conheceram como sogra e nora e se tornaram além de família por casamento.

Procura-se um novo amor – Debbie Macomber – Harlequin
(A girl’s guide to moving on - 2016)
Personagens: Leanne e Nichole seguindo em frente

Ao saber que foi traída pelo marido, Nichole colocou fim ao casamento. E inspirou a sogra, Leanne, a fzer o mesmo. Agora elas estavam no processo de superar os matrimônios fracassados, os traumas deixados por estas relações e redescobrirem si mesmas, seus talentos e suas prioridades como seres humanos independentes.

Comentários: 
“- Eu não preciso de um homem. Na verdade, um relacionamento nem está na minha lista de prioridades. Se aprendi alguma coisa nos últimos dois anos é que a minha vida é boa exatamente como está” (Leanne, página 91) 
- Leanne e Nichole eram sogra e nora, passaram pelo trauma do fim do relacionamento em que depositavam os sonhos e a parceria de toda uma vida. Leanne soube dos casos de Sean e optou por ignorar por vários anos. Ao descobrir que o filho Jake imitava o comportamento do pai, contou a verdade para a nora, Nichole, que pediu o divórcio. E isso foi a inspiração para que ela fizesse o mesmo.

- O livro começa mostrando as consequências dois anos depois destas decisões. Enquanto Sean facilitou o divórcio a Leanne, mas a magoou até o fim, Jake protelou o quanto pode porque estava certo de que Nichole não teria coragem de seguir em frente. Ao perceber que sim, fez o possível para ter a esposa e o filho de volta e não admitiu que não tinha conserto.

- Para se ajudarem nesta fase de adaptação à nova realidade, Nichole e Leanne estabeleceram algumas regras – o “Guia para seguir em frente” que é o título original: 
  1. Não se permita afundar na dor. Procure ajuda. Seja voluntária. Faça algo que você ama ou para ajudar os outros.
  2. Cultive novas amizades.
  3. Desapegar para receber.
  4. Ame a si mesma 

- Elas sabiam que não seria um período fácil, precisariam de tempo para absorverem o que houve, entenderem os sentimentos diante do fim do casamento, se perdoarem (porque a culpa sempre surge) e voltarem a ser emocionalmente saudáveis.

- O ponto mais positivo do livro para mim é o apoio que Leanne e Nichole se dão nos bons e maus momentos – e recebem de algumas outras personagens. Deveria haver mais disso na vida real. Essa sororidade de ovir oferecer um ombro amigo e um ponto de vida sem ser julgando, faz muita diferença.

- Geralmente o que ocorre é o sentimento de exclusão, a vergonha social, o “coitada dela, todos sabiam” e os interessados em ouvir para compartilhar fofocas. E neste caso nem Sean nem Jake agem com a consciência de que erraram, mas sim como quem descartou algo velho e/ou não entende porque ela não “colaborou” e terminou com o casamento.

- E justamente quando não estavam procurando, aparecem Nikolai e Rocco. Homens com passados bem distintos, vida diferente das que elas tiveram e reconstruíram. Algo surge. Elas terão que encarar as decisões que tomaram, o medo diante do desconhecido e a própria vida. Não será fácil, mas a vida continua e a gente precisa aprender a seguir em frente. Há momentos em que a gente entende, se irrita, sofre, ri e aprende com as decisões de Leanne e Nichole. Por este aspecto humano, saber que nem sempre as coisas são perfeitas, este livro é totalmente recomendado.

Série Novos Começos


Bacci!!!

Beta

quarta-feira, maio 15, 2019

Ciao!





Neste mês, tem novidade para o público infanto-juvenil na Astral Cultural!


Para saber mais: informações no Site OficialFacebookInstagram e Twitter da editora!

Bacci!!!

Beta

domingo, maio 12, 2019

Ciao!



No dia das mães, a história de uma jovem que viu o desejo de ter um filho se tornar um pesadelo. E que ficou longe de trazer paz ao ser realizado.
Afinal de contas, com um marido como Giorgio, haja paciência!

Luz da Vida – Melanie MIlburne – Paixão 229 (Os Sabbatini)
(One last night – 2010 – Mills & Boom Modern Romance)
Personagens: Maya e Giorgio Sabbatini

O divórcio de Giorgio e Maya estava se arrastando – ela só queria ficar livre dele e poder seguir em paz, depois de ver o casamento fracassar. Não conseguiram ter um filho nem ser felizes. Aceitou retornar à Itália como um favor para rever Salvatore, o avô de Giorgio. E foi surpreendida com a notícia de que estava grávida, após cair em tentação. O problema é que ela não confiava que daria certo tanto a gestação quanto a a suposta reconciliação deles.

Comentários:
“Maya podia sentir as barras de sua gaiola dourada fechando sobre ela como acontecera nos últimos cinco anos. Estava presa em uma farsa que ia contra tudo em que acreditava” 
- Passei o livro inteiro querendo abraçar Maya. Pensa só nas dificuldades de estar com um casamento com o bilionário, com toda a família pressionando por um herdeiro. E enfrentando a dor de passar por perdas sucessivas de bebês. Pensa no medo quando começava cada gestação e na dor que enfrentava após cada aborto. Agora imagina tudo isso sem o apoio de alguém que demonstre te ame e respeita. Moral da história: ela se sentiu inferiorizada, rejeitada, inútil e infeliz.

- Só mesmo os Sabbatini incapazes de olhar além do próprio umbigo achavam que ela estava errada ao querer colocar o ponto final no casamento. Era uma questão de buscar a saúde mental. E no caso dela, extremamente necessária.

- Giorgio tem traumas, é pressionado pela família, pelo trauma da perda da irmã e por um padrão que pensa que é obrigatório viver. Ok, até poderia entender. No entanto, ele é completamente insensível com a esposa. Joga na cara de Maya como ela se deslumbrou com o estilo de vida deles, não compreendeu de que tipo de apoio ela necessitava após os abortos (a cena dos brinquedos me tirou do sério). Brecou o divórcio por não querer admitir que havia fracassado.

- E ao se deparar com uma nova gestação, qual foi a primeira reação dele? Acusar Maya de ter dormido com outro! Giorgio não consegue olhar para a esposa e ver uma jovem com dores e sentimentos intensos e confusos. Ele vê alguém que “adquiriu” e não estava à altura do posto.

- Coitada da Maya de ter ficado grávida de uma criatura assim, incapaz de ter empatia – viram que nem estou pedindo amor – por outra pessoa. Basta o menor sinal de discordância com os desejos dele, para ser grosseiro. “ah, não gosto de surpresas e reagi.” Sério. Vai catar coquinho no inverno na Sibéria!

- O livro vale a pena por compartilhar a jornada de libertação de Maya – dos padrões a que ela se sujeitou, da dor que a deixou de coração partido e do amadurecimento que enfrentou. Giorgio está ali, sendo marido-embuste-empecilho-traste. Ele “melhora” até o fim, mas, para mim, não o suficiente.

Os Sabbatini
1 – Paixão do Passado – Bronte Bennett e Luca Sabbatini
2 – Luz da Vida – Maya e Giorgio Sabbatini
3 – Enigma do Amor – Jade Sommerville e Niccolò Sabbatini


Bacci!!!

Beta