sábado, abril 17, 2010

Uma das simpáticas sugestões-intimação da Lidy – que cobrou a autora no Ladies & Gentlemen choices - e como estou devendo um mundo de escoceses da dona Hannah, pareceu um aviso dos céus quando o livro caiu em minhas mãos. Poderia falar dele sem atrapalhar aquela sequóia inventada pela criadora das escocesas mais taradas, espertas e inteligentes do mundo. E sob este aspecto, garanto, Sorcha não decepciona....

Os devaneios de Sorcha – Hannah Howell – Clássicos Históricos Especial 344
(My lady captor – 2009 – Kensington)
Personagens: Sorcha Hay e Sir Ruari Kerr

Irmãos só complicam a vida. Sorcha precisava de uma estratégia inteligente para resgatar o irmão que tinha sido capturado pelos ingleses. O destino a fez encontrar dois feridos de uma família mais abastada que a dela, bastava salva-los e pedir o resgate que os problemas estariam resolvidos... Se a entrada de dois homens jovens e bonitos em um clã predominantemente feminino e com comportamentos que poderiam ser explicados por “dons especiais” ou “maluquice” até mesmo “insanidade” não fosse chance muito grande de confusão, ainda tinha que lidar com as conseqüências de manter cativo um orgulhoso chefe de clã. Mais que transformar Sorcha em sua amante, Ruari queria salvar o orgulho ferido por ter sido capturado por uma mulher!

Comentários:

- Passei o livro inteiro dividida pela admiração por Sorcha, que aumentava a cada página e pela antipatia a Ruari, que evoluía na mesma proporção. Não entendo o que mulheres independentes, inteligentes, articuladas vêem em homens como ele: deveria estar agradecido de ter sido salvo pelas meninas Hay entre os mortos da batalha, mas não, o seu orgulho de “homem” ficou ferido por ter sido enganado por uma mulher. Nem sabendo que ela só tinha essa alternativa para salvar o irmão dos ingleses. E por causa do orgulho dele a história só complica - o que foi percebido por todas as mulheres e até os homens sensatos da história (sim, eles existem. Acho até que a exceção é o protagonista chato.)

- “A tempestade que chega é da cor dos seus olhos, castanhos...“ (sim, estou ouvindo Legião enquanto escrevo isso) – entre os diferentes atributos de Sorcha, são os olhos que chamam a atenção do tapado, digo, Ruari. E assombrado por isso, ele decide procurar uma esposa perfeita, com todos os atributos que ela não tinha: dinheiro, terras e parentes normais. Sim, porque Ruari não era adepto daquele ditado “não creio nas bruxas, mas que elas existem, existem” – e menosprezava os diferentes dons das mulheres Hay, como o dela que não ficava “devaneando” como sugere o título, mas lidando com fantasmas abelhudos e intrometidos (mas, em alguns casos, úteis), mesmo quando havia provas de que só porque ele não enxergava, não significava que não existia...

- Fiquei pensando que se o caminho das meninas Hay um dia, assim, acidentalmente, cruza com o caminho dos meninos Cameron, acho que a Escócia medieval ficaria superpovoada de crianças lindas, fofas, meigas, com dons sobrenaturais e perfeitas...

- Adorei as maluquetes Hay: uma que fica chorando pelos cantos pelo amor encontrado e perdido por causa de confusões das famílias, outra que pensa que é uma fada, as SETE tias: quando li isso tive pena de Sorcha, até ver que as tias delas são muito legais, especialmente Neil (mas que história é essa de que ela é velha aos 23? EI!!! *revoltada*), a responsável pelo amor mais improvável do livro... E só quem é mulher e lidou em mundo que os homens consideram só deles entende o que elas enfrentam ao negociar com os ingleses e escoceses tapados...

- “E quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?” Pois é, volto à sabedoria da Legião para ressaltar que, na minha modestíssima opinião, Ruari deveria calçar as sandalinhas da humildade e levantar as mãos para os céus porque Sorcha é areia demais para a charrete dele.

Bacci!!!

Beta
Reações:

3 comentários :

  1. Ela lembrou de miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!!!

    Fico feliz que você tenha gostado do livro. Também gostei bastante da Sorcha e da Neil - minha cara de tacho quando a chamaram de velha foi ótima. rs E aquela maluquete que acha que é fada, hahahahaha

    Sabe que eu nem fiquei zangada com o Ruari? De repente aparece duas garotas dispostas a salvá-lo, ele se torna um prisioneiro e ainda tem que agüentar umas maluquices a respeito de fantasmas... Sério. Eu sei, senti vontade de dar uns murros nele, mas só. LOL

    ResponderExcluir
  2. Eu comprei este livro para ler assim que for sua vez. Ele foi comprado por ter sido escrito por Hannah Howell. ^^ Vi pelo site Nova Cultural que vão lançar outro livro de H.H. em banca em 22 de abril, chamado "Refém das Terras Altas".

    Ciao !

    ResponderExcluir
  3. Meninas Hay com meninos Cameron ...
    Fiquei só imaginando a beleza descomunal dos bebês !
    Risos ...
    Outro livro que entrará para a minha enorme listinha.
    Beijos
    Luka.

    ResponderExcluir