sábado, maio 09, 2009

Se você consultar uns dos posts mais conhecidos do Literatura de Mulherzinha, sobre Um Soberano Poderoso, vai encontrar uma das resenha-chilique mais famosas daqui. Mexendo nos comentários que são feitos (os únicos que eu deleto são os spans, porque ninguém merece aquilo), encontrei três comentários anônimos (dois repetidos) defendendo a história. Um eu tinha visto, era que eu havia exagerado na avaliação do livro porque quem comentou, gostou. Já o outro, que eu só descobri ontem, durante chat animadíssimo no MSN com a Lidy (adivinha, ela estava perguntando quando teria post XD normal...) foi direto ao ponto:

"Beta: Você não sabe o que é bom. O que seria pra vc um romance bom????"

Bem, se eu quisesse ser sintética, diria: "tudo o que eu considero que Um Soberano Poderoso não é." (Porque eu mantenho o que disse na resenha-chilique - e comentei com a Lidy ontem: para quem não leu, se este livro for BOM, eu desisto de ler qualquer coisa, viro Maysa e começo a cantar "Meu mundo caiu...")

Como eu não quero, decidi catar outros exemplos que já estão no blog, para me manter restrita a um pequeno universo de quase 300 resenhas já colocadas e evitar opções que nem todos possam pesquisar aqui. Se preferir entre os clássicos, os meus favoritos:

Um anel de noivado, Deborah Simmons - é medieval, tem um herói romântico, valente e inteligente e uma heroína complicada.
Bodas de Fogo, Deborah Simmons - tem uma heroína lutadora e um herói vulnerável - casal apaixonado.
Uma escola de charme, Susan Wiggs - a saga do patinho-feio com escala no Brasil, uma história charmosa e inteligente.
A Noiva das Terras Altas, Hannah Howell - Gilly era baixinha invocada, conseguiu defender uma família, se fazer respeitar pelo marido imposto
Orgulho e Preconceito - Jane Austen - aquela história de antipatia-à-primeira-vista-que-vira-amor começou aqui. Personagens profundos, intensos, diálogos impecáveis e, até hoje, fonte de inspiração para várias releituras, sempre abaixo do original.
Casamento em risco - Anne Avery - li após sugestão de que a mocinha tinha a ver comigo e, de certa forma, tem sim :)

Se quiser contemporênos, os meus favoritos:

Clã MacGregor - Nora Roberts - saga de família, personagens apaixonados, cativantes e humor. Tudo fica melhor na vida quando você encara com humor.
Entre o céu e a terra (2o livro da tri-Magia), Nora Roberts - heroína durona, herói inteligente e atrapalhado. Humor e misticismo em dose certa.
Lorde do deserto - Diana Palmer - muito se fala do sheik Phillipe Sabon, mas para mim quem manda no livro é a Gretchen! Ela bota para quebrar e acaba resolvendo a encrenca - que não era pouca, esbanjando charme, caráter e inteligência.
Um sheik irresistível - Alexandra Sallers - a história sobre a reconstrução de um país arrasado por um ditador chega à princesa que não sabia ser princesa e sobre o sheik que deveria apoiá-la nesta transformação.
Tasha Harris abre o jogo - Jane Green - porque foi o primeiro de chicklit que eu li e realmente gostei da protagonista (a Bridget é uma biruta e a Becky é estressante), com os erros e acertos dela.
Um amor de detetive - Sarah Mason - jornalista doida encontra deteive durão e o mundo nunca mais será o mesmo...

Na minha humilde opinião (um tanto mimada após estes exemplos, citados de memória e outros tantos que já li por aí), o romance bom é romance bem escrito, que prende minha atenção do início ao fim, que não dá vontade de parar e quando termina, quero recomendar para todo mundo.

E só um recadinho - por favor, não se acanhem em deixar mensagens com nomes, gente! Fica mais fácil responder e trocar idéias quando a gente sabe quem é!

Bacci

Beta
Reações:

5 comentários :

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Da sua coleção eu só colocaria mais um: "Juramento de Amor", também da Hannah. Elspeth foi teimosa, decidida, determinada e provou pro Cormac que um belo exterior e uma historinha triste não servem para definir o caráter de ninguém. E ainda tem o que ela fez com o pobre coitado. Me senti vingada por uma situação pela qual (ainda) não passei (e espero não passar). hihihi

    No fim das contas, mantenho o que te disse ontem: "gosto é igual c* mesmo".

    ResponderExcluir
  2. Ainda outro dia li sua resenha chilique, pois tinha acabado de ler o tal, acho que fui até o final só para descobrir o que ia dá...fiquei sem saber se o problema é meu ou do livro....


    Tenho um selinho para voce!!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Anônimo12:44 AM

    Amei suas escolhas, mais porque entre esses eu já li uns sete, mais vou te dar uma dica tem esse livro chamado Uma lenda de amor, (Melissa McClone), o livro é encantador eu li e adorei e recomendo, mais ainda para quem tem muito senso de humor a história é adorável e tem um segundo livro já aqui no Brasil, bem esse eu ainda não li mais prometo te informar se for tão bom como o primeiro, de qualquer forma o nome desse é A aventura mais arriscada.
    de todas as formas continue assim adoro seu blog beijocas e arreverdete

    ResponderExcluir
  4. Anônimo12:44 AM

    Amei suas escolhas, mais porque entre esses eu já li uns sete, mais vou te dar uma dica tem esse livro chamado Uma lenda de amor, (Melissa McClone), o livro é encantador eu li e adorei e recomendo, mais ainda para quem tem muito senso de humor a história é adorável e tem um segundo livro já aqui no Brasil, bem esse eu ainda não li mais prometo te informar se for tão bom como o primeiro, de qualquer forma o nome desse é A aventura mais arriscada.
    de todas as formas continue assim adoro seu blog beijocas e arreverdete

    ResponderExcluir
  5. Oi Beta.Sempre leio o seu blog, mas é a primeira vez que faço comentário.Concordo com vc qto aos romances bons.E pela primeira vez encontro alguém que, como eu, prefira a Tasha Harris a Bridget Jones.Uau!Amei.Só faria uma observação:no segmento Diana Palmer eu colocaria junto com o Lorde do Deserto o magnífico e impagável O Último Mercenário.Sabe aquele tipo de livro que rouba seu fôlego? Comigo foi assim.Parabéns pelo seu trabalho

    ResponderExcluir