sexta-feira, abril 14, 2017

Ciao!!!



Com mais esta Meta para 2017 cumprida, Uma das minhas certezas no treinamento contínuo que é Star Wars na minha vida é que se eu tiver uma filha ela vai saber desde sempre como que a Princesa Leia Organa é uma personagem INCRÍVEL!
E detalhe: eu aprendi isso antes da gente perder a Carrie Fisher! Ainda bem!

Alvo em Movimento: Uma Aventura da Princesa Leia - Cecil Castlelucci e Jason Fry – Seguinte
(Moving Target - 2015)
Personagem: princesa Leia Organa

A Aliança Rebelde recebe informações de que o Império está construindo uma nova e mais potente Estrela da Morte. Para dar tempo de elaborar um ataque à estação ainda em obras, Leia sugere um plano, ela se torna um alvo em movimento, uma distração para o Império não perceber o verdadeiro alvo. Com mais quatro companheiros, embarca em uma jornada perigosa por um sistema longínquo, que pode colocar muitos em perigo pelo bem comum.

Comentários:

- Sabe o que é a principal cinessérie da história do cinema ter uma princesa protagonista que também é uma guerreira, uma estrategista e uma mulher valente que não foge da briga, mesmo quando a vida dela está em risco? Sim, precisamos saber que também temos este potencial e que não precisamos nos conformar aos papeis A, B, C, D, K, X... Na trilogia original – episódios IV, V e VI – ela era a força feminina no grupo principal (e não devemos esquecer que a Aliança Rebelde era liderada por Mon Mothma). Agora, as próximas gerações vão aprender isso com Rey, mas nós vimos isso (eu com muito atraso, reconheço) com Leia.

- Neste livro, Leia finalmente está ditando suas memórias para um dróide, depois de recusar a fazer isso por sete vezes. Ela explica que se lembrou de uma história que vale a pena registrar para as próximas gerações. A aventura que ela relembra no intervalo entre os acontecimentos de O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi, mas também cita Uma Nova Esperança. Portanto, ter visto os filmes ajuda a entender coisas que ela cita e as reflexões que faz a respeito de como se sente por coisas que não pode impedir e que ainda sofre por isso.

- Também está ligada à narrativa referente à Leia em A Princesa, o Cafajeste e o Garoto da Fazenda – onde retoma inclusive as ponderações e a “doutrinação” sobre o que era esperado dela por ser uma princesa. E como que ela tinha uma visão totalmente diferente sobre como ser necessária sendo uma princesa. Uma referência para tantos. E um alvo muito cobiçado pelo Império.

- Justamente por isso, diante da iminente ameaça de uma nova e mais destrutiva Estrela da Morte, Leia sugere ser uma isca para distrair o Império dos reais planos da Aliança Rebelde. Oficialmente, eles iriam para o sistema Corva espalhar comunicadores com um recado para quem quisesse se unir à Aliança contra o Império deveria comparecer ao ponto de encontro em Galaan. Claro que tudo seria feito para o Império saber e partir na perseguição deles. No entanto, para que tudo funcionasse além dela e do oficial Lokmarcha, designado para protegê-la, ninguém mais saberia o real objetivo da missão. Embarcam nesta aventura o intrépido piloto Niem Nunb, a especialista em comunicações Kidi Aleri e o especialista técnico Antrot.

- Ao longo da jornada, Leia se vê confrontada várias vezes pelo custo em vidas, pelo sacrifício de ser um alvo em movimento e colocar outros sob a mira do Império. Como ela já estava se questionando e questionando o seu papel depois do que houve em O Império Contra-Ataca, as dúvidas e inseguranças se somam na mente dela em busca de uma certeza que faça tudo valer a pena. Ao longo da narrativa, ela percebe que é muito mais forte que pensa, que mantém a esperança e a fé de que a luta vai valer a pena. 
- Lutamos por uma causa, mas na verdade estamos lutando por nós mesmos. Por isso nossos pilotos lançam-se ao fogo inimigo em vez de abandonar um colega e nossos soldados mantêm sua posição em vez de deixar um lado desprotegido. Fazem tudo isso porque se importam com os outros. Sim, lutamos porque é o nosso dever. Mas também lutamos porque nos amamos. E isso é ainda mais poderoso. 
- Confesso que algumas presenças – e ausências – sempre fazem o coração da gente bater mais forte. No entanto, confesso que tive um súbito ataque de tietagem quando vi uma menção no último capítulo. Aliás, quando entendi a que se referia o último capítulo só faltou entrar o tema do John Williams que sempre encerra os filmes. Sim, tem horas que não controlo onde a minha mente vai fuçar no baú. Paciência.
Foram publicados no Brasil os seguintes livros da série “Jornada para Star Wars: O despertar da Força” – veja os títulos originais no Goodreads:

- A arma de um Jedi: uma aventura de Luke Skywalker
- A missão do contrabandista: uma aventura de Han Solo e Chewbacca
- Alvo em movimento: uma aventura da princesa Leia


E também as novelizações da trilogia original do Star Wars:


Bacci!!!

Beta

ps.: Quando programei este post para esta sexta-feira, não sabia que está rolando a Star Wars Celebration, por causa dos 40 anos do lançamento da cinessérie. O evento começou nesta quinta-feira, 13, com uma homenagem a Carrie Fisher que vale a pena ser compartilhada.

Reações:

10 comentários :

  1. Oi, muito bom ber sua admiração pela princesa e pelo visto essa edição colaborou para isso. Tomara que sua filha/filho também venha a ser um fã. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oiii Beta tudo bem?
    Teve uma o época de minha vida que eu era viciada em Star Wars, ainda tenho interesse em algumas obras e essa é uma, não conhecia e essa capa já me conquistou.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Gente,

    Acho que sou a única nerd que não gosta de star wars e que dormiu no cinema... hahahahah #mejulguem
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá linda,

    Tenho alguns desses livros e gosto de Star Wars por causa do Lorde Vader e principalmente por causa da Princesa Leia que sempre foi forte, decidida e teimosa ao extremo e sempre me espelhei nela na forma de agir em prol dos outros.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Sempre namorei nerds e geeks. Todos sempre foram apaixonados por SW. Nenhum deles conseguiu me levar para a Força ou para o lado negro. Sempre olhei SW como uma mistura meio chata de Rei Lear com Hamlet.

    Além do mais, George Lukas pode negar até a morte, mas Leia é uma fugitiva de Darkover, tenho certeza.

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi, Beta! Adorei o modo como você expressou tão bem na sua resenha o seu amor por uma personagem e uma atriz tão querida nessa saga maravilhosa que é Star Wars. Já assisti todos os filmes e são realmente incríveis! Estou louca para ler esses livros que contém umas capas muito lindas e um conteúdo que parece ser muito envolvente. Obrigada pela dica e espero ler um dia, bjss!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Não sou fã da franquia de filmes, mas adorei o seu post, adorei ver o seu amor pela personagem que fez tanto sucesso!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oiii!!!

    Infelizmente star Wars não me ganha. Não é uma série que eu curta muito mas adoro ler resenhas para as obras.
    Seus comentários estão ótimos! Parabéns!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Até hoje apenas vi os filmes e nao li nenhum livro da saga de Star Wars, apesar de querer mto.
    Adorei a resenha e nao sabia desses livros ainda, amei o que falou e vou dar uma chance e tentar ler tb.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    SW não faz meu gosto, mas admiro como a série está na ativa, ainda conquistando mais e mais leitores ao redor do mundo.

    ResponderExcluir