terça-feira, fevereiro 21, 2017

Ciao!!!!



Todo mundo que visita o Literatura de Mulherzinha já sabe que eu adoro a Marina Carvalho e os livros que ela escreve. Por isso, diante de duas novidades – A menina dos olhos molhados e o conto Ao gosto do chef, eu enviei algumas perguntas e ela respondeu.

Por isso, espero que vocês gostem da primeira edição do #LdMEntrevista em 2017!

1 - Durante a Bienal em Juiz de Fora, você comentou que gosta de escrever com o narrador masculino. Quero saber se o Bernardo se comportou direitinho ao contar a história (seja o ponto de vista dele sobre o tumultuado relacionamento com a Rafaela ou o que aconteceu com ele antes de conhecê-la) ou deu algum trabalho?
- Eu me diverti tanto escrevendo como o Bernardo que ele quase não me deu trabalho. É certo que, em muitas ocasiões, eu me vi embasbacada com as atitudes dele, com seus pensamentos masculinos um tanto trogloditas. Ainda assim foi uma experiência incrível, libertadora, que quero muito repetir.

2 - Agora que temos os dois pontos de vista na dobradinha Azul da Cor do Mar e A Menina dos Olhos Molhados, o que mais te surpreendeu na jornada de Bê e Rafa?
- O passado do Bernardo se revelando aos poucos me surpreendeu bastante. Claro que eu já sabia como conduziria seus traumas, o que não me impediu de ficar impressionada com o modo como tudo aconteceu e, depois, a maneira do Bernardo de superar os dramas.

3 - Outra curiosidade minha é como você chegou aos casos que Bê e Rafa apuram nos livros? É que alguns até lembram detalhes de casos reais e, outros, infelizmente a gente vê demais por aí atualmente...
- Ah, todos os casos foram extraídos de notícias reais, com uma nova roupagem, é claro. Todos eles me marcaram ao longo dos tempos. Então decidi usá-los como fonte, uma forma de fazer os acontecimentos transitarem além do imaginário dos leitores.

4 - Você lançou O Amor nos Tempos do Ouro e A Menina dos Olhos Molhados. Quais as semelhanças e diferenças no processo que resultou nestes dois trabalhos tão distintos? Um exigiu mais que o outro ou o nível de exigência foi o mesmo dentro das características de cada um?
- Foram dois projetos muito diferentes, mas ambos desafiadores. O romance histórico
exigiu de mim uma pesquisa aprofundada sobre a época e a linguagem empregada pelos residentes no Brasil Colônia. Evitar anacronismos passou a ser um objetivo de primeira linha, e isso emperra um pouco o processo, o que não ocorre quando escrevo histórias contemporâneas. Já em A menina dos olhos molhados, esbarrei na reescrita de um romance que já existia. Como fazê-lo interessante depois de ter contato a história em outra ocasião?

5 - O que você pode contar sobre o processo de escrever o conto Ao gosto do chef? Houve algo que foi inesperado na história de Fernanda e João Marcelo? E como tem sido as primeiras respostas que você recebeu de quem já leu?
- Menina, eu me considero uma louca de jogar pedra! Decidi escrever o conto quando ainda me dedicava arduamente à continuação de O amor nos tempos do ouro. Acho que nunca passei tanto aperto na vida enquanto escritora. O conto foi elaborado em praticamente uma única semana, numa produção intensa e muito estressante. Tive medo de não dar tempo e, consequentemente, de não ser um texto digno dos meus leitores. Mas estou muito contente com o resultado dele. Todo mundo tem gostado e me estimulado a evoluir para um romance a história do chef JM e da executiva Fernanda, dois fofos que amo.

6 - E o que está na sua lista para 2017 junto com a próxima parte de O Amor nos Tempos do Ouro?  
- Pretendo escrever outros contos na Amazon e logo começarei a esboçar um novo capítulo da vida de Bernardo e Rafaela, agora combinado com outros dois personagens que aparecem em outra história minha: Carolina e Pedro, de Ela é uma fera.

7 - Para encerrar, por favor, deixe uma mensagem para todo mundo que visita o Literatura de Mulherzinha!
- Deixo aqui meu abraço a todos os leitores do blog. Obrigada, galera!

Leia mais sobre Marina Carvalho no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta
Reações:

15 comentários :

  1. Oi Beta!
    Que entrevista bacana! Conheço o trabalho da Marina a algum tempo, mas ainda não li nenhum.
    Azul da cor do mar é o que mais me atrai, embora todas as capas sejam lindas.
    Sou como a Marina, gosto de escrever sob a ótica de personagens masculinos, meio estranho né?
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Ola lindona parabéns pela entrevista, li recentemente a visão de Bernardo e gostei bastante do livro, em muitos momentos quis dar uns tapas nele, menina o conto do chef foi feito sob pressão hein. Já estou com ele para ler. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Gostei muito da entrevista, pois adoro a Marina e gosto muito de acompanhar o trabalho dela. Esse conto eu ainda não li, mas só tenho visto comentários positivos. Adorei ver a entrevista.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Faz pouco tempo tomei contato com a autora, através da obra Ao Gosto do Chef, então gostei muito da chance de conhecer um pouco mais sobre ela.

    Parabéns, bela entrevista.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ahhhh a Marina é uma fofa né gente?! Um talento e tanto e um coração imensoooo!!! gentil e educada com todos.
    amo quando vejo entrevistas dela nos blogs. Ela é uma das autoras mais democráticas que temos por aqui. E fico muito feliz de ver seu sucesso.
    parabéns pela entrevista!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Eu tenho esse livro no formato digital e baixei ele essa semana, que coincidência!!! A capa é belíssima e eu espero gostar da história. Que legal ter feito essa entrevista com a Marina para que a gente possa conhecer um pouco da sua história e do jeito que escreve! Obrigada pela oportunidade! Abraços,
    Drica.

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Me intrigou saber que a autora gosta de escrever por pontos de vista masculinos e saber que os pensamentos trogloditas do Bernardo as vezes a assustava rsrs
    Ainda não li nada da Marina, mas já vi alguns elogios e isso me deixa com bastante vontade de conhecer sua escrita.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  8. Olá.
    Ainda não tive a chance de ler nada da autora, mas estou louca para conferir o livro O Amor nos Tempos do Ouro tão elogiado nos blogs, li tantas resenhas positivas. E também estou mega ansiosa para ler A Menina dos Olhos Molhados. Adorei a entrevista, perguntas muito bem elaborada.

    ResponderExcluir
  9. Adoro a narrativa da Marina Carvalho, principalmente Amor nos tempos de ouro, preciso ler esses lançamentos dela.

    ResponderExcluir
  10. Caraca, parabéns pela entrevista!
    Estou louca pela obra (A menina dos olhos molhados) da autora e nunca pensei que veria uma entrevista com ela. O que me fez gostar ainda mais dela, é claro!

    ResponderExcluir
  11. Oi Beta.
    A entrevista ficou muito boa, você escolheu bem as perguntas e deu para conhecermos uma pouco mais sobre a autora e sua obra.
    Abraços.
    http://www.impressoesdemaria.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oiii!

    Fico muito feliz em ver essa entrevista aqui! A Marina é uma autora muito amorzinho e escreve muito bem!
    Gostei bastante das perguntas!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Oi Beta, tudo bem?

    Como não amar a Marina e seus livros não é mesmo? Adorei a entrevista e as respostas da autora e fiquei imensamente feliz em saber que Carolina e Pedro irão aparecer em outra história novamente. Amo esses dois e adoraria ler algo mais sobre eles.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Que entrevista maravilhosa! Li somente um livro da Marina Carvalho mas foi impossível não me apaixonar pelo seu trabalho. Fiquei feliz em saber mais sobre a segunda parte de O Amor nos Tempos do Ouro e sobre o seu processo criativo nos demais livros.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    Achei a entrevista muito interessante e deu para saber um pouco mais sobre o processo de criação da autora. Ainda não li nada dela, porém dois de seus livros já estão na minha wishlist, estou doidinha para ler.

    ResponderExcluir