quinta-feira, abril 28, 2011





Quando fiz a lista de votação da Quinta do Mistão do Balacobaco, suspeitei que este livro teria uma vantagem, mas não imaginava o tamanho.... E o resultado apareceu na votação – a mais tranquila da última semana do Abril Imperdível, com mais que o dobro do segundo colocado.

E, um comentário um tanto inútil, mas muito obrigada à alma boa que votou no livro do Botafogo – fiquei muuuuuuuuuito feliz com esse voto!!

Aprendendo a Seduzir – Patricia Cabot – Essência Livros
(Educating Caroline – 1998)
Personagens: Lady Caroline Linford e Braden Granville

Foi o maior choque da vida de Caroline – flagrar o noivo em um momento muito comprometedor com outra mulher, durante uma festa. E pior ainda – se isso fosse possível – era perceber que ela não sabia nada do mundo de verdade. Ah, claro, perceber que o noivo corria risco de vida caso fosse descoberto pelo noivo da mulher que estava com ele também não tinha feito a noite dela terminar melhor. E ao notar que, se quisesse manter o noivo, teria que lutar com as mesmas armas que entendeu que ele gostava – e como!!! – Caroline tomou uma decisão drástica: decidiu aprender a seduzir com um especialista: Braden Granville, o noivo da mulher com quem o noivo dela estava se encontrando! Achou confuso? Ainda não viu nada...

Comentários:

- A última semana do Abril Imperdível acabou ganhando uma “carinha” histórica. Junto com os vencedores da votação do Domingo, Segunda e Quarta, o Mistão do Balacobaco também privilegiou a viagem ao tempo, voltando à Inglaterra do século 19. Cá entre nós, não muito diferente de certas coisas que vemos ainda hoje na sociedade: homens podem aprontar, mulheres não. Algumas mulheres e homens, sob um respaldo seja de dinheiro, nobreza ou classe, se julgam superiores e acham que possuem “poder de Deus”. E resumindo: tem gente, rica, pobre, nobre ou plebeu, que não vale nada, como Lady Jacquelyn e Hurst (e prefiro que vocês descubram quem também cabe nesta trama).

- A protegida Caroline nunca poderia imaginar o que acontecia entre um casal entre quatro paredes. E nem precisou, ao ver o noivo com outra mulher - e a partir disso, como se diria atualmente, ela surtou, pensando que NUNCA seria capaz de fazer algo semelhante. Com certa dose de orgulho ferido (sabe como é o ser humano, ninguém quer se sentir inferior em nenhuma espécie de forma de competição), ela decide aprender as táticas para conquistar o noivo. Esbarra no “porém” que ninguém quer ensinar isso a uma dama e ela precisa recorrer a Braden Granville, com a promessa de ajudá-lo em um processo contra a noiva por quebra de compromisso.

- Claro que a idéia genial de Caroline vai ganhar adendos imprevistos por ela e por ele, ambos passarão a questionar os próprios comportamentos, sentimentos, as escolhas que estavam fazendo da vida. E daí, professor e aluna, que variavam da reticência à curiosidade e ao desejo quase incontrolável, ficam a um passo de se apaixonarem um pelo outro – o que seria, realmente, uma GRANDE, ENORME, GIGANTESCA confusão. E neste estágio, qualquer coisa pode desencadear tragédia e sofrimento. E ainda há uma intriga paralela onde Caroline e Braden estão envolvidos até o pescoço, mesmo sem terem nenhuma (ela) e alguma (ele) noção disso. Portanto, eles – e pessoas queridas – têm muito mais a perder que dinheiro ou reputação.

- A autora ainda tempera as tramas – seja a principal ou a paralela – com muito humor (os “eufemismos” empregados por Caroline e a amiga Emily sobre o que aconteceu no divã da mansão de Dame Ashford eram ótimos – aliás, lembravam uma cena do capítulo da série Macho Men da semana passada: os protagonistas arrumavam tantas associações estranhas que no fim um não entendia mais o que o outro quis dizer , como acontece em uma cena entre Caroline e Braden sobre “calças” kkkk

- Patricia Cabot é um pseudônimo usado por Meg Cabot. E este foi o primeiro livro dela que eu li – antes a autora apareceu no LdM apenas por entrevistas. Gostei da história, só lamentei o fato de ter que espremer a leitura dele entre minhas outras trocentas leituras-obrigatórias-para-fazer. Espero ter calma para desfrutar os próximos, que já foram devidamente cedidos por tempo indeterminado pela minha prima (o que significa criar vergonha na cara e ler o quanto antes para devolver). Por incrível que pareça, achei o site dela extremamente simples (no bom sentido), fácil de mexer e achar o que você quiser saber.

Bacci!!!

Beta
Reações:

6 comentários :

  1. Legal, Beta!

    Adorei o livro e a resenha. O jeito como ela enrola e desenrola as coisas é ótimo.

    Nunca assisti ao seriado Macho Man, mas com o seu comentário fiquei bem interessada, pois se parecer com a cena do livro deve ser hilário. Vou procurar ver quando passa.

    Ah, pena que abril está acabando...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, eu já tinha visto a capa desse livro e já tinha gostando, mas agora com a resenha, o livro pareceu bem interessante, meio confuso esses relacionamentos...ehehe

    Bjus
    Gisele

    ResponderExcluir
  3. Eu pensarei a respeito de abrir uma exceção para esse livro. Gostei mais de sua primeira capa, mais realista e menos estilizada.

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre quis ler esse livro, apesar de ele não ser muito elogiado... agora sua resenha me deixou ainda mais curiosa...
    Adoro um livro histórico...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha.
    Comprei o livro essa semana e estou louca para ler. Espero gostar muito.
    Bjkas,

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei a leitura! Tem cenas muito engraçadas e a mocinha é ótima!!!!

    ResponderExcluir