sábado, junho 17, 2017

Ciao!!!!




Sabe aquela coisa de que o melhor tem que vir por último?
Confesso que eu esperava um livro à altura dos meus favoritos na série, mas foi MUITO melhor que as minhas expectativas.
Vou contar pra vocês!


Ligeiramente Perigosos – Mary Balogh – Editora Arqueiro (Os Bedwyns 6)
(Slightly Dangerous – 2004)
Personagens: Wulfric Bedwyn, o duque de Bewcastle e Christine Derrick.

Depois da onda de casamentos e de ver os irmãos felizes com suas próprias famílias, Wulfric se deu conta de que a vida estava silenciosa demais, até mesmo para ele, assumidamente pouco social. Por isso, tomou uma atitude impulsiva: aceitou um convite para um evento social onde esperava ter distração intelectual. E se deu conta, ele era a maior atração do evento mais badalado da temporada. Ao qual, aliás, Christine foi coagida a ir pela amiga, que não conseguia entender como a viúva de um visconde preferia ter uma vida simples no povado natal. Claro que a personalidade contagiante da jovem viúva atraiu a atenção de todos, inclusive do duque casmurro. E não se assuste, isso é apenas o ponto de partida.

Comentários:

- Não tenho uma relação de amor à primeira vista com Wulfric Bedwyn. Pelo contrário, peguei birra e lembro que vibrei todas as vezes que a Eve o enfrentou e levou a melhor (o que todo mundo dizia ser difícil) em Ligeiramente Casados. Ele chegou antipático, arrogante, olhando todos de cima do tradicional nariz Bedwyn e congelando ambientes com a mera levantada de sobrancelhas. Aí nos livros seguintes, comecei a gostar um pouquinho dele – sempre que comprava a briga do irmão ou irmã encrencado da vez – chegando ao auge nos livros de Morgan e Alleyne (que tem tramas entrelaçadas). Até mencionei nestes dois textos o choque de perceber que Wulfric tinha um coração – sendo que resposta definitiva só viria a partir do momento que os holofotes estivessem nele.

- Afinal de contas, a certeza na corte inglesa era de que o poderoso duque de Bewcastle não era provido de sentimentos, como os demais seres meramente humanos, que se sentiam intimidados de estar no mesmo recinto que ele. Foi o que aconteceu com os convidados de lady Renable, quando ele foi incluído na lista do evento dela – duas semanas no interior para relaxar e se divertir no verão. E ao se ver com o número desigual de confirmações, ela teve que coagir a amiga Christine Derrick, viúva de um visconde a comparecer para deixar a situação conforme ditavam as regras sociais.

- O que ninguém esperava era que a espontânea, vivaz e contagiante jovem viúva fosse se tornar os centros das atenções, justo quando ela tentou não ser. E muito menos que seu mais feroz parceiro nas encrencas, aventuras, desventuras fosse ser o menos provável dos aristocratas: o reservado Bewcastle. Claro que vai ter gente achando que é tramoia, que as ações de Christine são planejadas para serem sedutoras porque ela necessita da atenção constante. Ô gente, não se iludam imaginando que a mania de tentar padronizar e maldizer os diferentes nasceu com as redes sociais, ok? Por trás de muito leque, entre muita fumaça de charutos, licores e danças muito mal à reputação alheia foi feito por quem se considerava educado e bem-nascido.

- No entanto, Christine não era 100% só alegria. O motivo disso é delineado ao longo do livro, até a gente entender qual é a situação que precisaria resolver para poder ser plena, sem uma culpa que ela sabia não ter mas mesmo assim lhe imputavam - e que repercutia em algumas decisões que ela toma. E as ações dela contribuem para que Wulfric (e a gente, de carona) se veja questionando suas próprias convicções.

- Ao mesmo tempo, confesso que não me recordo de ter visto recentemente em outro livro o que a Mary Balogh conseguiu aqui: ela conseguiu desmontar Wulfric e, ao mesmo tempo, mantê-lo íntegro. Sim, parece contraditório, mas à medida que você lê entende o processo: estamos vendo um novo Wulfric sem que ele perca as características que o tornaram quem ele é e que percebemos nele nos livros anteriores. Isso foi genial, realmente genial. Torna compreensíveis todas as atitudes dele, mesmo as inesperadas.

(Aliás, minha mente torta fez várias comparações do Bewcastle com Mr. Darcy – desde a fama de antipático, até os embates com a protagonista, até a admissão dos próprios sentimentos e as consequências disso. Pena que não posso dar mais detalhes sem correr risco de falar demais, no entanto, alguns momentos aqui mesmo sem ser diretamente semelhantes, me fizeram ter memória afetiva de uma cena do filme de 2005 – afinal de contas, se lembrar do Matthew MacFaddyen sempre faz bem, né?)

- Outra coisa que amei foi ver Bedwyns em bando neste livro. Todos os casais anteriores – e os respectivos filhos – aparecem nas novas etapas das suas vidas e obviamente não vão ficar como meros espectadores de “seja lá o que estiver acontecendo aqui”.

- Resultado: eu li este livro em pouco menos de 5h, com pausas apenas para lanchar duas vezes. Não conseguia largar. Mudei de posição, de lugar de leitura, dei risadinhas, risadas, gargalhadas. Eu me apaixonei, me surpreendi, me encantei e só queria compartilhar com todo mundo como Ligeiramente Perigosos é imprescindível se você quiser ler algo que vale a pena investir tempo e dinheiro de tão bem pensado, planejado e escrito. É un gran finale, daqueles que você quer ler e não quer que acabe, digno de aplausos quando fecha o livro.

- Ainda bem que posso ler de novo sempre que der vontade. E já aviso que COM CERTEZA será mencionado nas listas de fim de ano.

Série Os Bedwyns (The Bedwyns Saga):

Slightly Married (2003) – Ligeiramente Casados - Eve Morris e Coronel Aidan Bedwyn
Slightly Wicked (2003) – Ligeiramente Maliciosos - Judith Law e lorde Rannulf Bedwyn
Slightly Scandalous (2003) – Ligeiramente Escandalosos  – Freyja Bedwyn e Joshua Moore.
Slightly Tempted (2003) – Ligeiramente Seduzidos – Lady Morgan Bedwyn e Gervase Ashford
Slightly Sinful (2004) – Ligeiramente Pecaminosos – Rachel York e Lorde Alleyne Bedwyn
Slightly Dangerous (2004) – Ligeiramente Perigosos – Wulfric Bedwyn e Christine Derrick.


Bacci!!!

Beta

ps.: Agora que este livro me apresentou quem é o Wulfric Bedwyn, o duque de Bewcastle, deu vontade de reler toda a série em sequência... Quem sabe não vira um projeto nas férias?
Reações:

20 comentários :

  1. Oi tudo bom?
    Amo romances de época e estou louca para ler essa série agora mesmo que você achar o protagonista desse livro com o Mr. Darcy irei começar logo logo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oiii Beta tudo bem?
    Infelizmente ão despertou dessa vez a obra não despertou meu interesse, mas fico feliz que tenha gostado e até então trazido a resenha para nós, acho linda essas capas.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Eu não consegui gostar dessa série... parece mais do mesmo. Sei lá... sabe quando a história não te prende de jeito nenhum? Mas eu acho muito bacana essa coisa de diferentes opiniões sobre um mesmo livro. Afinal, o que seria dos 50 tons se todos gostassem de Dom Casmurro? hahahaha Bjos

    ResponderExcluir
  4. Heiii, tudo bem?
    Amoo os livros da Mary Balogh, acho que sao um dos romances de epoca que as pessoas mais recomendam.
    To louca pra ler o ultimo, acho que vai ser um desfecho lindo e nao to preparada para me despedir dessa serie.
    Vc leu tao rápido que vejo que amou mesmo haha.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Beta
    Aii amei saber que gostou tanto. Eu parei no quarto, ainda preciso ler o quinto. O que mais tinha curiosidade era o do Wulf. Quero ver como a autora desenvolveu esse lado dele, e pelo jeito foi muito bem. ESpero não demorar para ler.
    Bela resenha.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Essa autora mostra muita divergência no meu círculo de amigos, pois augusto super indica as obras dessa mulher e outros dizem que elas não são nada bons. Eu como não sou muito fã do gênero fico sempre com um pé atrás de se devo ou não ler a série. Acho que terei que arriscar a pra saber. ate mais ver

    ResponderExcluir
  7. Adorei sua resenha a forma que você trás ela é bem instigante.
    confesso que ainda não li por falta de tempo, mas tenho muito interesse em ler essa série.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Beta! Tenho esse mesmo problema quando o personagem é muito arrogante, no começo me irrito totalmente com ele, mas quando a mocinha começa a mudá-lo, eu percebo que havia um motivo por trás da sua personalidade e no final me apaixono por ele haha. Já vi que terei esses mesmos sentimentos com o Wulfric, sua resenha está perfeita e me deixou curiosa para conferir essa série. Obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvido falar do livro, mas fiquei curiosa para conhecer! Vou procurar aqui em Portugal.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    Eu to curiosa pra ler essa série, mas acabo enrolando pra comprar e ler. Assim, que puder, vou tirar essa curiosidade. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Laneh Martins

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bem?! Ahhhh a Mary conseguiu fechar a série com maestria não é mesmo?! Wulf ganhou uma história a altura do seu título e uma parceira a altura de sua soberba rsrsrs. Realmente foi um final adorável.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Nunca li nada da autora e com certeza não foi por falta de indicações e elogios. Apesar de adorar romances, li pouquíssimos históricos e acho que quero entrar de cabeça neste gênero por esta serie. Acho que vou adorar, do primeiro volume ao ultimo!!! Espero poder fazer isso em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi,

    Infelizmente não estou na sintonia de histórias assim no momento, mas é claro que tudo pode mudar.

    Beijos
    jusemfrescura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oiii!

    Eu não li essa obra ainda, já falei sobre minha curiosidade em ler essa série e esse mais ainda! Adorei saber que é uma leitura ágil! e que é extremamente divertida!
    Fiquei animada!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Beta esse livro está aqui na pilha e ainda não consegui ler. Mas assim como você, eu não gostei muito do personagem quando ele apareceu na primeira vez, mas fui gostando nos livros seguintes. E é claro que terei uma outra imagem dele nesse livro.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. Tenho uma lista enorme de livros com essa pegada de época para ler, agora apareceu essa! Já vou marcar na minha lista de desejados, sua resenha está impecável com toda certeza.

    ResponderExcluir
  17. Oie, é uma delícia quando um livro nos marca, nos empolga e nos prende tanto assim né? Uau, você leu voando, e que bacana que ele foi além das suas expectativas. Achei bem empolgante o fato de os personagens dos livros anteriores aparecerem, acho isso muito empolgante.

    ResponderExcluir
  18. Olá!

    Não curto romances de época, mas de tanto ler resenhas desse livro e de outros dá pra ver como são parecidos e tão diferentes entre si!

    ResponderExcluir
  19. Oie! Tudo bem?

    Não nego que li bem por cima sua resenha, pois até agora li somente o primeiro e segundo volume dessa coleção, não vejo a hora de conseguir os outros volumes e poder realizar a leitura deles e obviamente completar minha coleção!

    Bjss

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Ainda não realizei a leitura dessa história, mas com certeza pretendo ler futuramente, sua resenha me deixou bem curiosa e espero conseguir ler a série toda.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir