domingo, março 19, 2017

Ciao!!!





Chegamos ao meu livro favorito da série. O festival do “mais mais”.
Onde temos o casal mais incompatível. 
A heroína mais inconformada. 
O herói mais sarcástico. 
E o vilão mais encapetado.
Ah, o detalhe de ter o azul predominante na capa. Perfeito!

A soma de todos os beijos – Julia Quinn – Editora Arqueiro (Quarteto Smythe-Smith 3)
(The sum of all kisses – 2013 – HarperCollins)
Personagens: Sarah Plainsworth e Hugh Prentice

Hugh tinha sobrevivido ao duelo com Daniel, mas mancava por causa do ferimento e de um osso mal consolidado na coxa esquerda. Graças a uma chantagem absurda com o próprio pai, garantiu o retorno dele à Inglaterra. E agora, tinha que comparecer a dois casamentos na família Smythe-Smith. Para não ficar deslocado, Honoria, a noiva radiante, incumbiu a prima Sarah de ser acompanhante de Hugh. E mal sabia que ela tinha vontade de torcer o pescoço dele, por tê-la condenado ao castigo dos recitais familiares. Só que os dois juntos não imaginavam a capacidade de se tornarem explosivos, a tal ponto de correrem risco tentando proteger o outro.

Comentários:

– Não tem consciência? – sibilou.
E finalmente ele perdeu o controle. Sem pensar na sua perna, deu um passo adiante até ficarem juntos o suficiente para ela sentir o calor de sua respiração. Encostou-a na parede, prendendo-a com nada além de sua furiosa presença.
– Não me conhece – esbravejou. – Não sabe o que penso ou sinto, ou o inferno por que passo todos os dias da minha vida. E, da próxima vez que se sentir tão prejudicada, a senhorita, que nem mesmo carrega o sobrenome de lorde Winstead, deveria se lembrar de que uma das vidas que arruinei foi a minha própria.
E então se afastou.
– Boa noite – cumprimentou, animado como um dia de verão.
Por um momento achou que finalmente tinham acabado, mas então ela disse a única coisa que poderia
redimi-la.
– Eles são minha família.
Hugh fechou os olhos.
– Eles são minha família – repetiu ela com a voz embargada. – E o senhor os levou ao desespero.
Nunca irei perdoá-lo por isso.
– Eu... – murmurou ele, apenas para si mesmo – também não.

- Hugh e Sarah não foram feitos um para o outro. Ela é da família que foi atingida e injustiçada pelo destempero dele em uma noite de valentia regada à álcool e se sentia culpado por não ter parado a tempo. Agora que tudo estava de volta como quase deveria ter sido, Hugh só se preocupava em controlar o marquês de Ramsgate, que passaria por cima de tudo e de todos para garantir que tudo fosse conforme os desejos dele. Aí começa uma febre de casamentos Smythe-Smith e Hugh se vê arrastado para as cerimônias e a primeira seria o casamento de Honoria e Marcus, em Fensmore, para provar para a sociedade que o “problema” entre eles tinha sido superado. E justamente a noiva radiante o escolheu para ocupar o lugar de um primo ausente, porque o parente possível não se dava bem com Sarah. O problema era que ele também não.

- Lady Sarah Pleinsworth precisava se casar ou iria morrer – palavras da própria. Para nunca mais tocar piano no recital das Smythe-Smiths. A prima Iris ainda jogava na cara dela o papelão do recital de 1824. O problema é que não está fácil casar. Ela tem certeza de que perdeu a melhor safra de solteiros por causa do escândalo que atingiu a família. Nem a boa sorte e os iminentes casamentos dos primos Honória e Daniel a inspirava a melhorar o humor. Para piorar, Honoria a incumbe de fazer companhia a Hugh Prentice. Ela não o suporta e deixa isso bem claro. E demora a compreender o motivo extra – porque ela deixa claro que não foi apenas pelo que houve com o primo Daniel.

- Gente, eu ri muito com os dois. O motivo de Sarah pode nos soar estapafúrdio, mas é sincero e doído para ela. E a gente compreende. Ela está se sentindo pressionada, frustrada, irritada. Não com a felicidade dos primos, mas porque não consegue também a sua cota e porque teria que se apresentar no recital (podem crer, Sarah e Iris disputam milímetro a milímetro quem odeia mais a tradição familiar). Ao ser forçada a engolir um brejo inteiro como acompanhante de Hugh, ela faz questão de deixar isso bem claro. E se irrita porque ele não se mostra nem um pouco arrependido da afronta que cometeu contra a vida dela.

- Herdeiro reticente, Hugh sabia que não podia se casar, enquanto o pai tivesse vivo, como parte da batalha entre o marquês e os filhos. E a dramática e exagerada Sarah era uma das pessoas que ele evitava, para não ser tão flagrantemente desprezado. Forçados a conviver, começam a ver além das primeiras impressões. E mesmo sendo uma jovem que usava muitos advérbios e pontos de exclamação, descobriu afinidades com ela. Apesar de ele sempre ter sido uma pessoa solitária e calada, que conseguia enxergar melhor o mundo através da memória e da habilidade matemática, ela finalmente conseguiu perceber o que havia por trás da fachada sarcástica com que ele se mostrava ao mundo.

- Hugh é meu herói favorito na série Smythe-Smith e vocês não imaginam o tamanho do esforço que estou fazendo para não matracar alegremente sobre os motivos. No entanto, se eu fizer isso, vai ser a festa da uva do spoiler, então só saibam que eu o amo muito e que foi maravilhoso ver os acontecimentos narrados por Marcus e Daniel pelo ponto de vista dele, entender o quanto ele sofreu na infância e adolescência e como chegou até a saída drástica para frear a vingança do marquês. Adoro o senso de humor sarcástico que aparecia nas horas mais impróprias e consegui enxergar mais rápido que Sarah (mas só porque ela estava determinada a brigar com ele pelas 24 horas dos sete dias da semana) o quanto vulnerável e excluído do direito de ser feliz ele se sentia. E gostei de que Sarah também percebeu isso e viu que valia a pena lutar por ele, contra tudo, contra todos e contra ele, incluído.

- As irmãs de Sarah estão de volta a todo vapor. Harriet quer escrever uma peça sobre uma heroína nem muito rosa nem muito verde e encontrou inspiração para um herói taciturno. Elizabeth só observa e Frances ainda está atrás dos unicórnios. Honoria acha que está enganando alguém sobre a tentativa de ser cupido para a prima. Iris está sofrendo horrores por ter que se apresentar no Quarteto. E, pelo amor de todos os santos, será que ninguém vai enquadrar a Daisy sobre a realidade da ausência de talento dela? Ô criatura irritante! Falando em gente chata, lá vem Daniel vem ser o estraga-prazeres ao enfiar a colher de pau em algo que prometia ir por um bom caminho e acaba desencadeando o desfecho aventureiro, inesperado e que se torna um jogo para ver quem é o mais inteligente para derrotar o inimigo.

- Ah, se preparem para odiar este inimigo. Ele merece. Aliás, eu poderia fazer uma longa lista de coisas que o vilão do livro merecia, mas como tudo terminaria em spoilers, vou ter que me conter. Mas quando vocês estiverem lendo, pensem em uma blogueira escorpiana irada e vão ter ideia de tudo que eu queria que acontecesse com a criatura.

- Comentário nada a ver do dia, mas vocês também se imaginam lendo algum dia as aventuras de Miss Butterworth e o Barão Louco? De tanto que as peripécias da heroína são citadas nos livros eu bem que queria ler. Mas a Julia já avisou que não vai escrever.

- No próximo domingo, será a vez da última história, a de Iris. A outra jovem Smythe-Smith que também detestava o Quarteto com todas as forças - embora fosse a única que tinha realmente talento musical.

Quarteto Smythe-Smith
Simplesmente o Paraíso – Just like heaven  Honoria Smythe-Smith e Marcus Holroyd
Uma noite como esta  – A night like this  Anne Wynter e Daniel Smythe-Smith
A soma de todos os beijos – The sum of all kisses – Sarah Plainsworth e Hugh Prentice
Os mistérios de Sir Richard – The secret of Sir Richard Kenworth – Iris Smythe-Smith e Sir Richard Kenworth.


Bacci!!!


Beta
Reações:

17 comentários :

  1. Eu adorei sua resenha... amei o primeiro livro... o segundo foi mais ou menos e agora vou correr ler este.

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Confesso que fiz a leitura por alto com medo de pegar algum spoiler, vai que algum dia eu resolvo fazer a leitura da série? O gênero não é o meu favorito, mas acabei ficando interessado pela história, a forma que você retratou sua experiência com o livro foi muito válida! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Amei sua resenha, até fiquei super curiosa com o mocinho da vez é O fato que aconteceu com o pai, esse livro parece bem mais interessante que os outros e a história entrelaça bem os livros. Quem sabe um dia eu me arrisco

    ResponderExcluir
  4. Realmente adorei saber a sua opinião garota, por mais que eu não seja muito fã e seja interessada nas obras da Julia, fico feliz que tenha gostado e acho essas capas tão lindas <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Já comentei em uma das resenhas anteriores que depois de tanta birra com a Julia essa é a primeira série dela que me chama atenção, saber que o mocinho é sarcástico já me anima muito, pois sempre que isso acontece encontramos diálogos ácidos e divestidissimos ainda mais quando a mocinha também não é fácil. Adorei! Espero poder ler um dia essa série :)

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Quanto mais leio sobre essa série, mas eu quero!
    Amei a sua resenha, e percebi que preciso logo ter esses livros lindos.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Não leio muitos romances de época, mas essa é uma série que tenho vontade de iniciar a leitura. Adorei conferir suas impressões e espero em breve poder ler o primeiro livro.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  8. Julia Quinn e suas capas, e histórias maravilhosas e envolventes. Adorei a resenha e o trecho me deixou super curiosa para ler as histórias do Quarteto Smythe-Smith. E que a cada resenha que eu leio fico mais ansiosa em conhecer a escrita da Julia. Bjss!

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Só pelo fato de você dizer bem lá no inicio da resenha que esse livro foi o favorito por conta do casal incompatível e que o herói aqui é o mais sarcástico quase dei pulinhos da cadeira de animação rsrs
    A premissa é bem interessante e tenho certeza que em mim a trama também proporcionaria muitas risadas. Adorei saber um pouco mais sobre a série e essa foi a primeira resenha da obra que li.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  10. Olá tudo bem?
    Mias uma vez Julia Quinn nos mostra que ela está na profissão correta. Essa mulher tem uma mente brilhante para criar histórias e essa não poderia ser diferente. Confesso que li a resenha superficialmente com medo de pegar algum spoiler porque estou esperando o box chegar aqui em casa e então não queria ficar ainda mais apreensiva. Que história fantástica! Já fiquei curiosa para saber o que vai acontecer entre Hugh e Sarah!
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  11. Hey!

    Já ouvi tanto sobre essa série, mas ainda não consegui me sentir atraída por ela. Adorei a resenha, mas vou passar a dica.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  12. Oie tudo bem?! Ahhhh a Julia Quinn e seu poder de nos fazer apaixonar pelos seus livros. Adorei a resenha, mesmo não tendo a festa da uva do spoilers (adorei isso rsrsrs). Eu sou uma apaixonada pelos Bridgertons, mas não posso negar, que me apaixonei muito mais por essa série. Que meu perfeito cavalheiro, Benedict, não me ouça, ou melhor, não me leia!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Hello, tudo bem?
    Estou mtooo louca para ler os livros do Quarteto Smythe-Smith!
    Capas lindas demais e sendo romance de época me deixam ainda mais curiosas.
    Adorei saber mais do terceiro livro, acho que vou amar mto e torcer demais pelo casal.
    Já vi que vai ter personagem que vamos odiar hahaha.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Como já disse, romances de época não são meu forte, porém, de tanto ler resenhas dos livros dessa série, é incrível como entendo um pouco sobre ela. As capas são lindas e o box da editora é sensacional!

    ResponderExcluir
  15. Ual você já está no terceiro e eu ainda nem comecei o primeiro kkkk.
    Eu terminei a pouco tempo os Bridgertons, então estou dando uma pausa de Julia, porém já tenho o box aqui comigo, espero logo começar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oiii!!

    Eu tô adorando acompanhar as suas resenhas para essa série!
    Esse me parece o mais legal dá série.
    Espero ler em breve!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. Oi Beta, sua linda, tudo bem?
    Eu fiquei aqui tentando imaginar elas se apresentando, já vi que teremos muitas confusões e cenas constrangedoras, risos.. E por o casal ser incompatível, já me ganhou!!! Adoro quando os protagonistas se detestam e no fundo se descobrem apaixonados. Louca para ler essa série!!! Sua resenha ficou ótima!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir