domingo, março 12, 2017

Ciao!!!




  
Dando sequência ao Quarteto Smythe-Smith, chega a vez da enrolada e complicada história entre Anne e Daniel.
E posso antecipar que foi o livro que me trouxe mais dificuldade na série.

Uma noite como esta – Julia Quinn – Editora Arqueiro (Quarteto Smythe-Smith 1)
(A night like this – 2012 – HarperCollins)
Personagens: Anne Wynter e Daniel Smythe-Smith

A última coisa que Anne, governanta da família Pleinsworth, queria era chamar atenção para ela. Portanto, ser arrastada para salvar o recital anual das Smythe-Smith não era uma boa ideia para manter o plano em prática. Agora tinha um conde atrás dela. E algumas ocorrências muito estranhas sempre envolvendo os dois. Daniel Smythe-Smith acreditou que poderia voltar em segurança para a Inglaterra, depois de três anos exilado e fugindo de uma sentença de morte. Ao retornar, se encantou pela governanta de suas primas. E já que era para recomeçar, por que não conhecer melhor a jovem que o encantou?

Comentários:

- Não sei se era o meu humor na época que fiz a leitura (foi pouco antes do carnaval, eu estava trabalhando como uma alucinada, só para vocês terem ideia do quadro geral), mas tive muita dificuldade com este livro. Ainda mais após a overdose de romance – mesmo com os desencontros - de Honoria e Marcus, aqui não consegui embarcar na proposta.

- Tudo começa exatamente após o recital Smythe-Smith de 1824, que é o clímax de Simplesmente o Paraíso. Por isso, este livro começa dialogando diretamente com o primeiro, esclarecendo por que Anne sumiu após o “concerto” (não, não vou dizer porque ela integrou o Quarteto. Vocês terão que ler para descobrir o motivo. Só posso dizer que isso ainda vai render muita cobrança ao longo da série) enquanto o outro explica porque Daniel aparece descomposto e machucado.

- Então, vamos ao problema número 1: Sabe gente que não entende “não” e insiste? Daniel retornou de surpresa do exílio e se encantou ao ver uma jovem que não conhecia entre as integrantes do Quarteto. Este sentimento à primeira vista de Daniel por Anne – Curiosidade? Paixão? – me deixou estressada quando ele começou a ser invasivo demais com uma jovem declaradamente reticente. Se você é governanta de uma família (ainda mais com o histórico de Anne), vai acreditar que o conde está realmente interessado em algo sério? E Daniel não consegue entender isso, como vocês vão perceber. Claro que Anne vai se interessar por ele, superando receios e traumas, mas eu não consegui ficar empolgada pelo casal, como fiquei com Honoria e Marcus. 
- O senhor vai me arruinar. – Nesse momento ela o encarou e Daniel quase se encolheu diante o vazio que viu em seu rosto. – Não será sua intenção, mas é o que irá acontecer, e perderei meu emprego e tudo que me é caro. 
- O problema #2: o suspense de quem estaria por trás dos atentados contra Daniel (o tal fatídico duelo em que ele se envolveu – o tema que costura os três primeiros livros do Quarteto) e as consequências referentes ao passado de Anne (os leitores são informados bem antes de Daniel sobre o que houve que a levou a ser uma governanta). Achei que ficou um pouco arrastado – até porque o desfecho que suspeitava foi o que realmente aconteceu. E se torna um fator agravante porque como é a coluna vertebral da trama, só soluciona perto do final.

- Por outro lado, como ponto positivo, não faltam coadjuvantes no livro, como as três observadoras e palpitantes jovens irmãs Pleinsworths, a aspirante a escritora Harriet, Elizabeth e Frances, a obcecada por unicórnios (confesso que me lembrei muito dela ao ver um monte de gente fantasiada de unicórnio no carnaval). Hugh Prentice (citado em Simplesmente o Paraíso) finalmente aparece de forma muito mais autuante aqui e eu... Enfim, vou deixar pra comentar no próximo livro onde ele será o protagonista. Marcus, mais uma vez, mostrando que é um verdadeiro e leal amigo, por mais que Daniel não seja afeito a ouvir conselhos (como vocês vão perceber no prólogo). A reta final do livro, apesar de tensa, tem interações ótimas no plano que envolve dois condes e o filho de um marquês – já contei que amo diálogos sarcásticos?

Enfim, segunda parte da missão cumprida. Agora posso falar do Hugh?
Aguarde o texto sobre A Soma de Todos os Beijos.

Quarteto Smythe-Smith
Simplesmente o Paraíso Just like heaven  Honoria Smythe-Smith e Marcus Holroyd
Uma noite como esta – A night like this  Anne Wynter e Daniel Smythe-Smith
A soma de todos os beijos – The sum of all kisses – Sarah Plainsworth e Hugh Prentice
Os mistérios de Sir Richard – The secret of Sir Richard Kenworth – Iris Smythe-Smith e Sir Richard Kenworth.


Bacci!!!

Beta

ps.: Hoje é a última chance de encontrar a Julia Quinn no Brasil. Se puder, aproveite!



Reações:

16 comentários :

  1. Tenho um certo preconceito com Julia Quinn, me parece que todos os seus livros são a mesma coisa e só muda o personagem... Pode ser bobagem minha, mas não consigo gostar!

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Acho que é a primeira vez que veja alguém fazendo alguma ressalva quanto a algum ponto incomodo do livro. Eu não sou grande fã da Julia, mas essa série estou com curiosidade, encontrar essa sinceridade na sua resenha, não diminuiu a vontade que tenho de ler, mas com toda certeza quebrou essa mistica que criaram sobre os trabalhos da autora que tanto me incomoda e me afasta dos seus livros.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  3. Oi Oi
    Meu fevereiro também foi complexo com a falta de concentração nas leituras, mas no meu caso foi uma crise de enxaqueca monumental.
    É uma tristeza quando acaba atrasando nossas leituras, acabo ficando em dúvida se foi a leitura que não me agradou ou eu que não prestei a atenção.
    De qualquer forma te apoio integralmente, gente invasiva igual esse Daniel é um pé no #$%÷.

    ResponderExcluir
  4. Heiii, tudo bem?
    Aai que resenha linda de um livro maravilhoso.
    Eu to louca para conhecer essa série da Julia Quinn, acho que vou me apaixonar no primeiro livro.
    As capas sao lindas demais, ate gosto mais dessa do que da outra série dela.
    Amei o que falou do livro e vou com certeza ler sem parar.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  5. Oi Beta!
    Eu gostei do romance, mas teve um momento que fiquei desinteressada na leitura. É fofinho, mas sei lá, teve um momento que deu um soninho durante a leitura rs
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Oiee tudo bem?

    Após o termino da série os Bridgertons, muitos órfãos da JQ correram em busca de seus outros livros, porém tenho vistos muita controversia quanto a aceitação dos fãs, muitos cairam de amor, outros não conseguem passar dos primeiros capítulos, eu que já li os 4 livros posso dizer que é uma boa leitura, porém não alcance o brilho de nossa família ilustre.

    Bjs Jany

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  7. Amei as capas do livro, uma mais linda que a outra. Estou tão ansiosa para ler essa série que estou participando de sorteios pra ver se consigo ganhar e finalmente ler algo da Julia Quinn kkk.Esse segundo livro parece ser interessante, adorei a resenha, ainda mais por conter um suspense no meio da trama.Bjss!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Uma pena que o livro não foi tudo isso para você. Pena mesmo. Mas por outro lado, que bom que ainda têm seus pontos positivos. Morro de vontade de ler essa série, pois a Julia Quinn, estou com bastante expectativas, espero não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Beta.
    Impressionante como nosso humor influencia na nossas leituras, né?!
    Uma pena que esse terceiro livro não te pegou tanto, mas espero que tenha sido só uma fase!! Rs...
    Comprei esse box e estou doida para ler a série!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  10. Apesar de suas impressões não terem sido tão favoráveis, eu ainda quero muito lê-los, sabe? Eu estou gostando muito da Quinn. Parabéns pela hombridade das críticas, com muita delicadeza e respeito. Adorei a resenha!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  11. O único livro dessa série que eu gostaria de ler e que desperta certo interesse em mim, é "Simplesmente o paraíso", os demais infelizmente não conseguem me convencer. E pelo o que você falou, eu tenho certeza que me estressaria e muito com Daniel.

    ResponderExcluir
  12. Olá! Gostei das suas observações e legal você ter falado isso. Nunca li nada da Julia, mas esse ano pretendo ler. Essa coleção me deixou bem curiosa, não apenas pelo trabalho gráfico, mas pelas histórias em si. Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Não sou fã dos romances de época, mas essas capas são lindas! E o box então, nem se fala...

    ResponderExcluir
  14. OIii!

    Eu não consegui ler esse livro ainda, mas espero fazer em breve. AMO o estilo do livro, então, sei que fluiria para mim, mas fiquei triste por esses dois problemas apontados. talvez seja mesmo o seu humor, ou não...
    Mesmo assim, fiquei com curiosidade!

    Ps: as nossas capas são muito mais bonitas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Uma pena que você estava sob tanto stress e talvez isso tenha influenciado sua leitura. Concordo que uma pessoa muito insistente acaba se tornando irritante e talvez tenha acontecido isso em relação ao comportamento de Daniel.
    Uma pena, mas espero que nos outros volumes sua conexão com a obra seja maior.
    Ainda não li nada da Julia, mas ouço muitos elogios e o lançamento desse quarteto foi um grande alvoroço nos blogs que acompanho.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  16. Eu sou a diferentona que ainda não leu Julia Quinn, mas não perde uma resenha ou evento sobre seus livros. haha. Pois acho encantadoras. Gosto dos enredos e das formas que os fãs falam das series, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Mas pretendo mudar isso em breve. Amei os comentários.Espero que os outros livros te conquistem mais.

    ResponderExcluir