domingo, abril 20, 2014

Ciao!!!




Sou uma pessoa de palavra. Está lá no post sobre a entrevista com aSarah Morgan sobre a série “Os Corretti da Sicília’: em breve, no Literatura de Mulherzinha.
Pois é, “em breve” chegou. Passei numa banca, comprei

Legado de Silêncio – Carol Marinelli – Paixão Sagas 14 (Os Corretti da Sicilia 1/4)
(A Legacy of secrets – 2013 – MB Sicilian Scandals 2013)
Personagens: Ella e Santo Corretti

Ella saiu de casa para fugir de um pesadelo rumo a um sonho, ser diretora de filmes. Para isso, aceitou o trabalho de ser assistente (babá) do diretor Santo Corretti, conhecido tanto pelo talento, quanto por ser um mulherengo contumaz e ainda pela famosa família que estava envolvida em disputas e em escândalos. Depois de um bom tempo no emprego, vendo definhar o filme que saberia fazer muito melhor, Ella consegue outra chance e agora é hora de deixar Santo para trás. Justo quando o caos se instala de vez na vida do diretor playboy e eles nunca estiveram tão próximos...

Comentários:

“Essa família é muito unida (#sóquenão) e também muito oriçada (#sabedenadainocente)
Brigam por qualquer razão (#verdade), mas acabam pedindo perdão (#ahtá!)”

- Acho que essa seria a versão adequada da música de abertura do seriado “A grande família” para os Correttis da Sicilia. Não é à toa que o lema da série é “Quanto mais poderosa a família, maiores os segredos escondidos”.

- Primeiro vou listar as dificuldades que eu tive. A gente literalmente embarca na história com o trem andando, então como tem Correttis de todos os jeitos, tamanhos e ramos familiares, fica difícil entender quem é o quê, quem faz o quê, quem está contra quem. Porque fiquei com a sensação de que, se a gente levanta uma pedra na Sicília, saem 20 Correttis prontos para criar confusão por aí! A única referência que temos é que a maior parte não se suporta, muitos se detestam, mas amam a Nonna Teresa. Talvez se tivesse um gráfico explicando os parentescos, igual já vi em séries da Nora Roberts, ajudaria para ficar mais claros quem e quantos são os filhos de Carlo e os filhos de Benito (legítimos ou não), os herdeiros do avô (dos infernos) Salvatore.

- Outras coisas que me incomodaram (não adianta, eu tenho radar pra isso): erro de português - “Extravazando” (p.134) não existe. O verbo é “extravasar”. Varia a forma verbal dependendo da pessoa, mas não há troca de “s” por “z” em hipótese nenhuma. E tradução confusa, como essa no início do capítulo 6: “Eles saíram do hotel às 16h. Da manhã!”. Alguém pode me explicar COMO?

- Agora vamos ao que interessa: temos um playboy ricaço mimado às voltas com um baita abacaxi familiar – o casamento que uniria duas famílias rivais, os Correttis e os Battaglias – não aconteceu, porque a noiva Alessia Battaglia deixou Alessandro, irmão mais velho de Sandro, no altar para fugir com Matteo, primo deles. Às voltas com a produção de um filme que poderia alavancar a economia local, com uma atriz marcada por escândalos, ele ainda tinha que lidar com o bem estar do irmão, a perseguição da imprensa de fofocas e com a iminente perda da assistente.

- Cansada de ser apenas a babá dele, a pessoa que carrega a “Bolsa Santo” com todos os itens que ele possa precisar, Ella decidiu partir atrás de alguém que acreditasse que ela poderia dirigir um filme (embora o livro deixe no ar que o novo chefe não estava interessado neste talento de Ella, mas no outro talento que ele presumiu que ela tivesse como assistente de Santo. Sim, nojento. Sim, real.). E justamente esta certeza deu a Ella a liberdade de quebrar a principal regra: “não cair em tentação pelo chefe mulherengo e gostosão”. Bastou a ameaça de perder a assistente para Santo perceber que sempre a quis e que não a deixaria partir. E para agravar, temos o fantasma do passado de Ella, o motivo que a fez abandonar a Austrália influencia – consciente ou não – as decisões dela sobre Santo. Não inova este estilo de escrita, mas consegue usar um pano de fundo pesado para uma história que não fica pesada. E uma última observação, as cenas de amor do casal ficaram mais apimentadas. Que bom que perderam o medo de traduzir conforme o que era criado...

- É um livro que alterna momentos rápidos com coisas mais lentas, ainda bem que nem dá para estressar tanto com a teimosia das duas partes envolvidas (quando pensei em berrar com ambos, o livro engrenou na reta final). E atenção para algumas cenas e decisões tomadas relativas à gravação do filme, são uma prévia que de coisas que serão detalhadas no livro da Sarah Morgan, inclusive com a menção de uma visita de Luca, primo de Santo, ao set de filmagem.

Série Os Corretti da Sicília

Prequel: Uncovering the Correttis – Carol Marinelli – não foi lançado (Emily Hyslop e Anton Sorrano)
Legado de Silêncio – Carol Marinelli – Paixão Sagas 14 (Os Corretti da Sicilia 1/4) - Ella e Santo Corretti
Convite ao pecado – Sarah Morgan – Paixão Sagas 14 (Os Corretti da Sicilia 1/4) – Taylor Carmichael e Luca Corretti
Sombra de culpa – Abby Green – Paixão Sagas 15 (Os Corretti da Sicilia 2/4) – Valentina Ferranti e Gio Corretti
Herança de desonra – Kate Hewitt – Paixão Sagas 15 (Os Corretti da Sicilia 2/4) – Lucia e Angelo Corretti
Sussurros de tragédia – Sharon Kendrick – Paixão Sagas 16 (Os Corretti da Sicilia 3/4) – Rosa Corretti e sheik Kulal
Frágil fachada – Lynn Raye Harrsus – Paixão Sagas 16 (Os Corretti da Sicilia 3/4) - Lia Corretti e Zach Scott
Notícias escandalosas – Caitlin Crews – Paixão Sagas 17 (Os Corretti da Sicilia 4/4) – Elena e Alessandro Corretti
Fome pelo proibido – Maisey Yates – Paixão Sagas 17 (Os Corretti da Sicilia 4/4) – Alessia Battaglia e Matteo Corretti


Bacci!!!


Beta     
Reações:

2 comentários :

  1. Oi, gente!

    Se vocês estiverem lendo este post, significa que o Google parou de implicar comigo, de achar que sou holograma, finalmente reconhecer que eu e meu e-mail existimos e me deixar comentar em paz!

    Bem, passado o momento de ira escorpiana contra o Google, vamos aos comentários sobre o livro: como eu havia dito pra Beta, achei que estava faltando alguma coisa, mas não quis dar spoiler. E esse alguma coisa ela descreveu bem no inicio da resenha: a gente pega o bonde andando e começam a saltar Corretis por todos os lados!

    Fiquei totalmente confusa, toda hora voltava pra ver se era irmão, primo, tinha horas que o texto (mega mal traduzido, diga-se de passagem) me dava a entender que o avo era tio, principalmente por causa de alguns fatos da segunda historia, que vira o samba do crioulo da arvore genealógica doida!

    Alem do que, os erros de português eram de matar (alias, esclareço que o teclado do meu note ficou doido também, talvez com inveja da arvore genealógica dos Corretti e não obedece meus comandos de acentuação. Aff...).

    Enfim, a historia ate promete, mas fiquei confusa. Ficou faltando um prologo, sei la, algo que explicasse porque a família se odeia, porque da disputa, porque da briga com os Battaglia ser tão ferrenha, enfim, quase cai do bonde e não me convenci de um monte de coisas... Talvez o prequel não publicado explique tudo isso e a gente não fique tão confuso...

    A segunda historia, bem, vamos aguardar a Beta. Mas mesmo com a confusão, estou curiosa com relação ao resto da serie. E, vendo o resumo das historias acima, fico pensando de onde raios vão tirar um Sheik???? Com raras exceções, as historias com sheiks me irritam, mas isso e caso para outro comentário!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Corretti de Sicília entraram para minha lista de livros a comprar porque eu fiquei muito curiosa com tantos comentários fervorosos a favor dessa família regada a vinho com orégano. Vejamos Ella e Santo, com Correttis brotando de debaixo de pedras ... ^^

    ResponderExcluir