domingo, fevereiro 12, 2012

Ciao!!!





Capas gringas do Fantastic Fiction.

Onze anos. O-N-Z-E A-N-O-S!
Por quê? Quero saber o motivo! Alguém tem uma explicação por que a gente levou 11 anos para ler essa série? É muita maldade, gente! A capa que inspirou a edição brasileira já diz tudo:
TODOS LINDOS. TODOS SEXY. TODOS SOLTEIROS. QUE FAMÍLIA!
Moral da história: #todaspira.

Os Irmãos de Buckhorn: Gabe – Lori Foster – Rainhas do Romance 59
(Gabe – 2000 – Harlequin Templeton)
Personagens: Elizabeth Parks e Gabe Kasper

Elizabeth queria um herói – tudo que Gabe tinha certeza de que não era. A insistência dela o estava incomodando até que ele percebeu mais que a primeira olhada. O queridinho das mulheres de Buckhorn ficou digamos, curioso e interessado, em desmontar a aparência engessada da pesquisadora recatada. E ao melhor estilo do beisebol, avança base a base o relacionamento entre o herói reticente e a pesquisadora travada. E aí, gente, gente, gente, quando o safadinho e a moça pura se pegam, nem bombeiro pode apagar o fogo que consome os dois...

Comentários:

- Gabe é o Don Juan de Buckhorn. Nem precisava se esforçar. As mulheres caíam em cima dele desde a adolescência. E ele também não reclamava, né? (cante com a Beta #1: Isso aqui tá muito bom, isso aqui tá bom demais. Olha quem tá fora quer entrar e quem tá dentro não sai...). Até que o gesto de salvar uma família de banhistas de um piloto de barco irresponsável trouxe uma pesquisadora até a cidade atrás dele.

- Elizabeth preparava um trabalho sobre as motivações e pensamentos de quem realizava atos de heroísmo. Durante as férias, encontrou um jornal que narrava a façanha de Gabe e não perdeu tempo em ir atrás dele. Só não contava que o faz-tudo da cidade se recusasse a falar sobre o assunto e não se visse como alguém que fez algo extraordinário. A incompatibilidade inicial da curiosa que quer saber e da fonte que não quer falar traz conseqüências imprevistas – através de uma negociação bem interessante. Por exemplo, perguntas em trocas de beijos. (Posso imaginar pessoas com uma lista de perguntas do tamanho do Antigo Testamento...) Então, temos a descoberta, por parte de Gabe, de que Elizabeth era um patinho feio introspectivo e totalmente inocente, além da constatação, por parte de Elizabeth, de que Gabe era do tipo vem ni mim, sou facinho, facinho (pelo menos, era o senso comum a respeito dele na cidade).

- E quando duas criaturas tão díspares se encontram e se sentem atraídas uma pela outra... Bem, preciso dizer o que acontece? Elizabeth fica confusa porque nunca antes, na história de sua vida, teve experiência vagamente parecida. Gabe fica confuso porque nunca antes, nos seus relacionamentos amorosos, se apaixonou por uma garota. E como já vimos antes, com os irmãos mais velhos, quando um dos meninos de Buckhorn se apaixona, é diversão na certa. Temos a vontade contida, a preocupação genuína com a próxima (no caso, Elizabeth) e, minhas favoritas, as interações e provocações entre os irmãos que adoram ver o sofrimento alheio (e um tanto de vingança, já que Gabe não perdoou, ao ver Sawyer e Morgan em situação de penúria parecida kkk).

- Temos aparecimento, em vários momentos, de Sawyer e Morgan com e sem as respectivas donas-patroas (e Honey e Misty por conta própria também metem a colher de pau no romance alheio). E é o livro que mais dá detalhes sobre Jordan, o menino Buckhorn veterinário (sim, sim, sim, estou de olho comprido nele desde o primeiro livro. É MEU! NINGUÉM TASCA! Já falei antes como adoro os quietinhos e por quê, né? Sinto que meu feeling sobre Jordan estava certinho kkk). Ver Morgan versão papai consegue ser algo muito sexy e fofo em doses quase indecentes. Só tenho uma reclamação – por que a autora não escreveu a cena do parto de Misty? Ver os meninos Buckhorn à beira de um ataque de nervos em uma situação dessas seria muito, muito, mas muito, bom! Ah, senti falta de Casey, a nova geração tudibom da família. Ele só foi mencionado em uma cena. Buá.

- No LdM, já temos os livros de Sawyer e Morgan. Estamos no momento oremos turbinado para que Jordan seja lançado logo (porque não sei se avisei, mas ele É MEU E NINGUÉM TASCA!). E se por acaso você, que não leu nenhum dos livros, estiver pensando que sou louca (cante com a Beta #2: I’m crazy but you like it loca loca loca), devo dizer que a Tonks, do Romances in Pink e a Barbara, do In Death  também filosofam profundamente sobre a vida ao ler as histórias destes irmãos. E que #madrehooligan simplesmente AMOU os livros até agora (e ela leu Gabe antes de mim! O livro chegou aqui em casa, ela viu, ficou cercando, rodando, perguntando e eu entreguei a ela, com a condição de não me contar nem uma vírgula do que acontecia. E ela cumpriu a parte dela no acordo – embora tenha mencionado que as mulheres destes livros são umas lerdas e dado a entender que o Morgan é o favorito... Enfim, achei que valia mencionar esse olhar mais experiente sobre os irmãos Buckhorn kkk)

- Pesquisei informações sobre a autora e a série no Fantastic Fiction:

Buckhorn Brothers

1. Sawyer (2000)
2. Morgan (2000)
3. Gabe (2000)
4. Jordan (2000)
5. Casey (2002)
* Enticing: Casey / Caught in the Act (omnibus) (2007)
* Forever and Always: Gabe / Jordan (omnibus) (2002)
* Once and Again: Sawyer / Morgan (omnibus) (2002)

- Ah, vale visitar o site oficial da autora. A curiosidade que me interessou: ela faz aniversário em 14 de novembro (ou seja, um dia depois de mim \o/). Ela também tem obras sobrenaturais (o lado negro de Lori Foster – LL Foster). E para quem gosta da série Buckhorn Brothers: está sendo re-relançada lá fora. Em outubro saiu o primeiro volume, com as histórias de Sawyer e Morgan, com esta singela capinha... (sim, estou repetindo isso pela 3ª. vez, mas alguém sinceramente quer reclamar?)


Mas, plantão do LdM informa!!!!

Óia a novidade, “ô-mô-paaaaaaaaaaaai”… Agora, no fim de janeiro, saiu o segundo re-relançamento – Forever Buckhorn – com as histórias de Gabe e Jordan.
*Pausa para se preparar espiritualmente.*

.
.
.
.
.
.
.
.
.
Prontas?
Segura na mão de Deus, respira e olha a capa!!!

*suspiro profundo*
Tô indo ali uivar pra lua/pro sol/pras nuvens/pra plutão e volto depois tá?

Bacci!!!

Beta
Reações:

5 comentários :

  1. Ahhhhh, Gabeeeeeeee rsrsrs O quanto que eu suspirei e morri de calor com esse livro, não está no manual das leitoras desesperadas =) O problema é que não li os irmãos antes dele. Buááááá. Mesmo assim, amei a história e mal posso esperar pelo Jordan *-*

    ResponderExcluir
  2. Oi Beta.
    Adorei o Gabe, assim como os demais irmãos, kkkk.
    E concordo contigo. Podia, sim de fato, DEVERIA ter a cena do parto da Misty. Seria muito interessante ver a reação dos TDBs, kkk.

    bjus

    ResponderExcluir
  3. Estou procurando o livro do Sawyer, mas não encontro, e ainda está esgotado na Harlequin, porém tenho o morgan guardao e ansiosa para comprar o livro do Gabe, que deve estar nas bancs onde moro daqui há duas semanas, assim espero!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Beta!

    Já que você está numa fase musical, eu digo o seguinte: "ai, ai, assim você me mata" de rir!!!! kkkkkk

    Apesar de eu odiar do fundo do meu coração esse mala do Teló, não encontrei nada melhor do que parafrasear esse bobalhão mais uma vez e dizer o que acho sobre os irmãos: "DELÍCIA, DELÍCIA, DELÍCIA"! KKKKK

    Adorei o seu momento Dominguinhos para descrever o Gabe no início da resenha, você é demais!

    Vamos orar bastante para vir logo o próximo e não nos torturem tanto assim!

    Parabéns!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  5. Uma ducha geladíssima imediatamente, por favor !!! ... O que é aquela primeira capa em tom azulado !!! ... O que são aquelas duas últimas capas de sua versão original !!! ... Oh, céus, terei de comprar essa série também para colocar em meu armariozinho !!! ...

    ResponderExcluir