domingo, agosto 28, 2011




Temos um Diana Palmer clássico: mocinha traumatizada, herói duro de roer e algo mais perigoso em torno deles (se é possível algo mais perigoso que o protagonista). Ah, claro, tudo isso em Jacobsville – a minha cidade texana favorita!

Homem da Lei – Diana Palmer – Rainhas do Romance 48
(Lawman – 2007 – HQN Books)
Personagens: Grace Carver e Garon Grier

Garon era um estranho para a grande família de Jacobsville e não fazia muita questão de se misturar, apesar de estar estruturando um rancho na cidade. Por uma questão de obrigação, começou a ajudar a vizinha – a reclusa Grace, que estava lidando com a morte iminente da avó. Grace tinha motivo de sobras para ter distância dos homens, mas algo a impedia de temer Garon. A perda da avó os aproximou, o comportamento da cidade de interior – que os considerou um casal de namorado – fez com que Garon a repelisse duramente. No entanto, Grace era o elo necessário para a solução do caso que ele investigava – o que a colocava na mira de um serial killer... e sob a proteção de Garon.

Comentários:

- Por incrível que pareça, gostei deste livro. Na verdade, ele correspondeu às minhas expectativas de tramas criadas pela autora: uma heroína com um trauma a superar (aliás, provavelmente, este foi o pior trauma já criado por Diana Palmer), um herói endurecido pelo passado, pela profissão e pela certeza de que não valia a pena se relacionar com nenhum outro ser humano além do necessário (o que inclui reatar os laços com o irmão *espetáculo* Cash Grier, intenção mostrada em um trecho de Renegado). Claro que duas pessoas com expectativas tão díspares vão se encontrar e se atrair, se repelir, se magoar e sofrer até conseguirem ajustar as pontas.

- Durante a leitura, não resisti a um pensamento muito bobo: “Diana Palmer está vendo CSI”. (Não que eu veja com freqüência, mas sei o que costuma ser exibido no seriado). Além da trama Grace-Garon, temos o trabalho da equipe de policiais e do FBI a um infanticida que estaria agindo há anos sem que notassem os vínculos entre casos registrados em diferentes estados. Onze meninas tinham sido assassinadas e brutalizadas e os policiais queriam impedir o maníaco de agir novamente.

- Claro que Garon faz uma grande bobagem com Grace (afinal de contas, é um herói da Diana Palmer, estranharia se ele fosse um cara legal). A diferença é que a cidade compra a briga por ela, que era uma integrante querida (ainda mais pela situação que ela enfrentou no passado) e dá uma demonstração ao arrogante policial de que ele não era o lado certo da história. Também devo dizer que quando o tapado do Garon descobre a verdade, não encontra uma paciente e abnegada Grace a espera. Ela desabafa todos os sapos que engolira por causa da rejeição ostensiva e grosseira dele. E penso que, se não fosse o fato do serial killer estar à solta e Grace ter informações que poderiam ajudá-lo a prendê-lo, Garon não se aproximaria tão facilmente dela. Bem, tem mais coisas, não darei todos os detalhes, mas posso adiantar: Garon vai pagar por todos os pecados e mais alguns para conseguir que Grace fique com ele.

- Ah, sim, temos Cash Grier *aliás, são páginas lindas e fofas pela minha alegria em reencontrá-lo*

- Dona Diana tem site oficial, geralmente bem atualizado.

Bacci!!!

Beta

ps.: Dúvida mais desnecessária do mundo: sério que o Dr. Jeb Coltrain é ruivo?
Reações:

8 comentários :

  1. Oi, Beta!

    Comparado com o Rodrigão, esse aí é um anjo, mas merecia umas boas cacetadas na cabeça e uns pontapés no traseiro por parte da Grace. Aí, sim, eu abriria os braços para o perdão... kkkkk

    Mas o livro é bom, a história da investigação dá liga e a Grace não é tão boboca, submissa e imbecil que nem a Glory (já viu que eu tenho ódio mortal do tal do Coragem e seus personagens surreais, né?).

    O melhor de tudo foi ter notícias do Cash!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Beta!
    Eu acho que eu tenho esse aqui... vou dar uma conferida... quer ver um mocinho da Diana que não me faça querer matá-lo!

    ResponderExcluir
  3. Oi Beta!

    Tantos comentarios e dicas me viciaram em DP, e como não podia deixar de ser, eu li, amei e dei nota 10.

    Sua resenha fikou ótima como sempre, e concordo com você tia Diana está sim assistindo CSI. (que a meu ver apenas deu mais veracidade à trama).

    E só pra constar o livro lançado no Brasil, como já foi avisado pela Suelen tem mutilação no final do capitulo 10, como citei em minha resenha quando fiz.

    bjos
    Mara

    Ps. Garon trocando as fraldas do Tory são um capítulo à parte.

    ResponderExcluir
  4. Se não me falha a memoria, eu já li este livro. Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Aiiiii, eu tb adoro esse livro. Nossa, e Garon passou maus bocados mesmo. E vc viu que o final do cap 10 foi cortado??? Foi a única parte do livro que veio faltando, justamente a parte em que a Barbara dá um fora bonito no Garon no restaurante, hehe. Cheguei até a colocar essa parte no blog.


    Ah, e siiiiim, o Dr Coltrain é ruivo, hehe. Já reli tanto esse livro que acho que já até decorei as páginas, kkkkkkk

    Bjnhs!!!!

    ResponderExcluir
  6. Tenho uma antipatia enorme em desenvolvimento quanto à Senhora Diana Palmer, embora eu adore esse nome, Diana, mas esse livro tem infanticídio então não quero ler !

    ResponderExcluir
  7. Oi Beta, tudo bem?

    Sou nova no Blog. Amo Diana Palmer, sou louca e apaixonadas pelos livros dela. Amo todos...

    Hahaha as vezes tenho vontade de matar e espancar alguns mocinhos pelas burrices que eles fazem com as mocinhas exemplo: J.B(acho que do livro Avassalador) e Jarred.

    Bjus Natty

    ResponderExcluir
  8. Olá Beta,
    Adoro o jeito divertido da sua escrita e estou sempre passando para ver as suas resenhas... Hoje vi que a Diana Palmer escreveu sobre o Rick Marquez (qe rivaliza com Garon) no livro "Imutável".
    Olha só o que a autora escreveu sobre ele:
    Querida Leitora,

    Por muitos anos, o sargento detetive de San Antonio Rick Marquez tem vagadopelas páginas dos meus livros. Mesmo quando não aparecia na história, ele era citadonela. Você deve ter percebido que gosto muito dele.Ele foi inspirado em um dos grandes jogadores de futebol que já entraram emcampo: Rafa Marquez, que foi o capitão da seleção mexicana de futebol e jogou pelo Barcelona por muitos anos. Eu não acompanho outros esportes, mas amo futebol."
    Lembrei imediatamente de você.
    Abraços e parabéns pelo senso de humor e alegria que inunda as páginas deste blog.
    Abraços,
    Paula

    ResponderExcluir