domingo, julho 31, 2011





Há pouco mais de um mês, fiz um post dizendo uma série de motivos que me fariam ler Um gosto de vida, de Susan Mallery – autora que andava meio sumida aqui do Literatura de Mulherzinha. Na primeira visita à Saraiva, consegui resistir... Mas não escapei incólume da segunda... ^^

Um gosto de vida – Susan Mallery – Harlequin Romances (As Irmãs Keyes 1)
(Sweet Talk – 1989)
Personagens: Claire Keyes, suas irmãs Nicole e Jessie e Wyatt Knight

Após anos sem se verem, Claire recebe o telefonema da irmã caçula, falando que a irmã gêmea precisava dela. Por isso, Claire largou tudo e voltou imediatamente para Seattle, para descobrir que as coisas não eram como esperava, as irmãs ainda tinham ressentimento contra ela (e compartilharam isso com todos os conhecidos) e que ela era uma completa inútil naquele contexto. Só que Claire não desistiu diante do desafio de estabelecer laços com as irmãs e, quem sabe, entender os confusos sentimentos por Wyatt, o quase cunhado de sua irmã.

Comentários:

- Gente do céu, coitada da Claire: que irmãs chatas e confusas... Nicole, a gêmea, e Jessie, a mais nova, demasiado preocupadas com elas mesmas e sem aprender a levar outro ponto de vista em consideração. Jessie chamou Claire para cuidar de Nicole, recém-operada e as fantasias de reencontro feliz implodiram tão logo ela superou o sofrimento de sair do carro (sou totalmente compreensiva com a fobia dela dirigindo). Nicole não a queria de volta e fez questão de deixar bem claro para todos. Por isso, não havia uma pessoa disposta a ouvir o lado dela na história.

- Por sorte – ou teimosia – Claire (guiada pelo coração, como é repetido váááárias vezes no livro) insiste em ficar e em estabelecer o próprio espaço. Claro que nada vai dar certo de cara (novamente sou solidária: cozinhar é muito difícil e se você não tem jeito ou prática, vai se complicar #fato). E os problemas entre as irmãs Keyes são muito maiores que vinte e tantos anos de separação. Nicole e Jessie tiveram que lidar com o fato de ter sido deixadas para trás pela mãe, que acompanhou o início da carreira de musicista de Claire. As duas se convenceram de que ela teve tudo fácil – até parece que carreira de concertista é moleza. Por incrível que pareça, as duas precisam desarmar seus preconceitos para reestabelecerem o relacionamento. E claro, se é uma trilogia, muitas coisas não serão resolvidas no primeiro capítulo.

- Lá pelas tantas, comecei a chamar o livro de “a história da irmã legal” porque as outras duas me irritam (e olha que, em alguns pontos, Nicole e Jessie tinham certa razão – mas não as tornam mais simpáticas que a protagonista, na minha opinião). Ela também se envolve com Wyatt, o quase-cunhado de Nicole, sem entender muito bem o que sentia, porque passou a vida inteira entre aulas, ensaios, consertos e apresentações. Como Claire, mesmo diz em certo momento, estar no mundo real era muito bom porque o outro mundo era muito chato. Obviamente, não seria fácil, afinal de contas faz parte da jornada de crescimento de Claire e afeta também a mudança de visão de Wyatt. E é muito legal a forma como a autora retrata a relação entre Amy, a filha de Wyatt (que é surda), com Claire – a amizade entre elas surge naturalmente e é um dos pontos cativantes da história.

- Posso fazer uma pequena reclamação? A minha antipatia a coco é antológica entre os meus conhecidos. Por isso, tive vontade de chorar quando vi a receita que abre o livro: “Beijos de Coco da Claire” (não podia ser outra receita, com chocolate ou até cajuzinho???)

- Se quiser, informações sobre o livro e os próximos, vale visitar o eHarlequin, além desta review em Inglês.
- A autora tem site oficial, com uma parte sobre as séries e as também há orientações para segui-la nas redes sociais. Há também informações biográficas sobre o site da eHarlequin.

Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Beta,

    Eu li e gostei muito! kkkk.
    Acho que até a confusão toda me conquistou, com certeza Claire é a que tem menos problema nessa família! kkkk
    Ri muito com as loucuras delas!

    ResponderExcluir
  2. Zeus, parece ser bom, mas falta alguma coisa ainda para fazer com que eu seja fisgada.

    ResponderExcluir
  3. Essas capas são lindas!
    Esse primeiro livro me interessou. Vou lê-lo assim que possível...

    ResponderExcluir
  4. Dia 2 de julho... Um dia após o meu aniversário... Foi nesse dia que resolvi ir comprar esse livro, pois o primeiro capítulo que a Harlequin disponibilizou me deixou louca demais pela história! E eu dou graças a Deus por você e a Faby acharem o livro bom... Pois eu espero concordar com vocês e achar o livro até maravilhoso. Ele não pode ser menos do que isso, pois eu enfrentei coisas demais por esse livro. A livraria mais próxima da minha casa é muito pequena e só deve vender esse livro lá daqui há uns dez anos, no mínimo. E a segunda mais próxima... Bem... Não fica tão próxima assim e eu "sofri" muito por esse livro!kkkkkkkk... O ônibus que me deixa mais próxima da livraria, não deixa tão próxima assim e meus pés pagaram caro demais! Só de lembrar sinto toda aquela dor de novo!kkkkk... Foi um sofrimento muito grande e por isso espero que o livro seja inesquecível, maravilhoso, "perfeito"!!! :)



    Bjs!

    ResponderExcluir