quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Ciao!!!

Mais uma lista do especialista-mor em Diana Palmer, Renan.  Desta vez, depois dos 11 melhores e 11 piores mocinhos, além das 11 piores vilãs, agora ele elenca os 11 piores coadjuvantes entre os ínúmeros livros da autora que mais enlouquece blogueiras(os) e leitores!

*** Texto originalmente publicado na Comunidade Adoro Romances, do Orkut. ***

Divirtam-se!!!

*** Os 11 piores coadjuvantes (by Renan)

1º - HAL E MARY KENSINGTON (“A paciente”) – os tios de Noreen Kensington só a acolheram por obrigação, visto que os pais e depois a avó da moça tinham morrido, e não obstante tudo que a moça fazia para agradá-los eles e sua mimada e fútil filha Isadora a tratavam um pouco melhor do que um dos móveis da casa, nunca a fazendo se sentir querida ou importante. Após a morte de Isadora, eles e o genro Ramon Cortero a culparam sem lhe dar chance de defesa e a hostilizaram na frente de todos (o velho a ignorou no velório e a velha a estapeou), não lhe permitindo sequer participar do serviço fúnebre, e a odiaram durante dois anos, com o velho chegando a zombar da carteira de pele de enguia que ela lhe dera em seu aniversário. Depois, quando souberam que ela tinha um problema crônico do coração e desmaiara no dia em que a distinta morreu, se arrependeram e tentaram lhe pedir perdão, mas tiveram um bocado de trabalho para convencê-la de que eram sinceros. Na verdade, eles só a odiavam porque era mais cômodo para eles do que assumir a culpa que no fundo sentiam, como o próprio Ramon admitiu depois.

2º - CORONEL DAVID MORRIS (“Trilby”) – Adúltero e insensível, casou com a esposa Lisa porque queria que o sogro o ajudasse em sua carreira, e não a consolou quando ela perdeu o filho deles. Embora ele é que fosse infiel, a culpava por isso alegando que ela não lhe dava prazer, e quando o enfrentou por seu caso com uma mexicana, chegou a bater nela, ainda que se arrependesse depois. Felizmente ela foi socorrida pelo médico do forte, um alcoólatra regenerado, que não deixou que ele se aproximasse (e depois se casaria com ela), e ao menos teve a dignidade de conceder-lhe o divórcio e ser justo na partilha dos bens.

3º - SENADOR MATT HOLDEN (“Rosa de papel”) – o verdadeiro pai de Tate Winthrop casou com uma socialite para ascender politicamente depois de voltar da guerra, rejeitando a mulher que realmente amava, Leta, uma indígena. Contudo, ignorava que ela levava no ventre o filho dele. É verdade que se arrependeu do erro durante anos, e depois das consequências deles para a ex-amante e o filho nas mãos do marido dela, mas ainda assim isso o qualifica como um canalha de primeira.

4º - KANE KIRBY (“O último mercenário”) – o pai de Callie a expulsou de casa quando ela tinha 6 anos, chamando-a de “bastarda”, após pegar a mulher na cama com outro homem e a “vadia” lhe ter dito que a menina não era sua filha. Em seguida, a garota teve de agüentar anos em orfanatos até a mãe resgatá-la para manter as aparências quando se casou com Jack Steele, sob chantagem de mandar prendê-la por furto caso não a acompanhasse. É verdade que ele se arrependeu amargamente do que fizera, a ponto de ter dúvidas se merecia o perdão da filha, mas como isso só aconteceu depois que a ex-mulher o procurou e lhe disse a verdade (ou seja, um hiato de quase vinte anos), tenho dúvidas se esse amor era sincero, já que ele parece ter vivido muito bem durante esse tempo, sem nunca pensar o que ela estaria passando.

5º - SRA. LAREMOS E SUA NETA JUANA (“Desejo proibido”) – tornaram a vida de Melissa Sterling um inferno quando Diego se casou com ela e praticamente a abandonou em sua finca. É verdade que a pior era a velha, mas embora Juana se solidarizasse com a cunhada não tinha coragem para encarar a avó, de forma que foi conivente.

6º - RICHARD BATE (“Trilby”) – o então namorado de Trilby Lang se envolveu com outra moça quando a visitava, chegando a ir para a cama com ela, mas depois a rejeitou. E não obstante a ex-namorada ter se casado com Thorn Vance, como bom esnobe que era achou que ele não era digno dela e vivia escrevendo “cartas de amor” para ela, contribuindo para as dificuldades de relacionamento do casal até o fim da história.

7º - ADAN CRAIG (“Rendição ao desejo”) – o pai de Arabella Craig era tão obcecado em fazer da filha uma pianista de renome internacional que parecia mais interessado na carreira dela do que nela própria, e chegou a persuadir Ethan Hardeman a abandoná-la dizendo que ela merecia mais do que ser a esposa de um fazendeiro. Quando a filha sofreu um acidente e sua capacidade de tocar ficou comprometida, a deixou com o ex-namorado e não deu notícias, fazendo com que ela pensasse que só a via como fonte de ganho. Mais tarde ele confessou que só agira do jeito como agira no passado porque se sentia culpado pela morte da esposa (ela sofreu um acidente e ele estava alcoolizado ao volante) e queria compensar fazendo dela uma estrela, como se isso justificasse manipular a vida da filha (belos pai e namorado a moça tinha, não?).

8º - CLAYTON SEYMOUR (“Depois da meia-noite”) – o senador, irmão da mocinha da história, não só lhe limitava a vida e era contrário ao seu romance com o mocinho Kane Lombard, como ainda ignorou o amor sincero da secretária Derrie, chegando a ser muito grosseiro com ela, em favor de uma dissimulada que no fim era uma das vilãs da história. Só foi se redimir perto do fim, pelo que me lembro.

9º - MARGIE COBB (“O senhor da paixão”) – a irmã de Alex Cobb se aproveitava da paixão de sua amiga Jodie pelo maninho e a explorava, mas a negligenciou rapidamente quando ele começou a sair com uma modelo caça-dotes por acreditar que a outra a ajudaria em sua carreira de desenhista. Mais tarde ela se arrependeu, e teve de se esforçar muito para reparar os danos.

10º - RALLEY HALL (“Maré alta”) – largou Nikki Blake às vésperas de se casar com ela ao se envolver com sua melhor amiga, com quem depois se casou. Contudo, não foi um casamento feliz, e depois que enviuvou achou que tinha “direitos adquiridos” sobre Nikki e passou a sabotar seu romance com o milionário Calloway Steel, primeiro dizendo que tinha um caso com ela quando ainda era casado (nisso Cal foi um idiota, já que ele mesmo a desvirginara) e depois aparecendo na casa dela de cuecas após interceptar um recado de que ele iria visitá-la. Ainda bem que, apesar de chocado, Cal percebeu que fora uma armação.

11º - BEKA WRIGHT (“A tentação do desejo”) – posso até ser injusto com ela, mas a verdade é que minha imagem da ex-mulher de Duke Wright não é das melhores: na minha opinião ela era uma feminista frustrada e sacana que usou o marido para ascender profissionalmente, o descartou e ainda lhe tirou o filho deles, Trent. Na verdade, adoraria que ela fosse a mocinha do livro dele, quando Diana Palmer o escrever (mais provavelmente ela vai ser a pedra no sapato da provável mocinha Delene) só para que ele a fizesse pagar um dobrado.

Bacci!!!

Beta
Reações:

3 comentários :

  1. Eu teho verdadeiro pavor da "vagab..." da Tippy Moore no livro Fora da Lei, onde ela manipula da pior maneira o ogro do Judd Dunn.

    Se eu fosse a Christabel, tinha dado um pé no fundilho do Judd e ficado com o Cash.

    Até hoje não me conformo da Tippy ter ficado com o Cash!


    Pronto... protestei, kkkk!

    ResponderExcluir
  2. Fui a única que entendeu a a Tippy??? O.o

    ResponderExcluir
  3. Ah, vah! Eu entendi a Tippy!!
    Não acho que ela seja tão ruim assim pra ficar em 11º... tem piores... MUITO piores rsrs

    ResponderExcluir