domingo, abril 25, 2010

Ciao!!!

Outro pedido da Andréa no post do Ladies & Gentlemen choices, para mais uma autora que eu não conhecia. Confesso que, no sebo, encontrei também A Princesa Indiana (que me chamou a atenção pela capa), mas como o orçamento permitia que eu trouxesse apenas um (sim, muitas autoras, pouca verba, quem nunca enfrentou isso?), acabei me decidindo por esse porque achei que o título prometia uma história engraçada...

Como fisgar um marido – Suzanne Enoch – Clássicos Históricos 400
(An invitation to sin – 2005 – HarperCollins Publishers)
Personagens: Caroline Witfeld e Zachary Griffin

Zachary era o reserva do reserva, o terceiro filho de uma família nobre e que não tinha um rumo na vida, porque não tinha vontade e paciência para fazer nenhuma possibilidade prosperar. Para evitar que, em seu mais recente arroubo, ele entrasse no exército, seu irmão mais velho o enviou como acompanhante da tia idosa em uma viagem para Bath... Só que ela pegou um desvio para visitar uma amiga do tempo de internato... E Zachary se viu em uma casa onde seis irmãs jovens (em idade de se casar ou não) o disputavam ferozmente... Exceto uma: Caroline, que só tinha interesse nele por um motivo: usá-lo como modelo para um quadro, que permitiria que o sonho dela de se ser uma retratista se tornasse realidade... Claro que um casal com objetivos tão claros e distintos não poderia se apaixonar... poderia?

Comentários:

- Sabe aquela impressão que tive de que o título prometia uma história engraçada? Pois é, eu estava quase certa. A história é MUITO engraçada (pelo menos para meu senso de humor bobão). Quem já leu Orgulho e Preconceito, vai ter idéia: imagine se ao invés de três irmãs doidas para chamar a atenção, Lizzie tivesse SEIS mocinhas casadoiras, dispostas a pegar marido no laço e vencer a disputa com as outras irmãs?

- Zachary não sabe o que quer. Começar projetos e deixá-los inacabados têm sido o resumo da sua vida, até a estada no Solar Witfeld. Caroline, ao contrário, sabe o que não quer: se casar e abrir mão de sua arte, de ser uma retratista. Depois de ser rejeitada vinte e seis vezes como aluna em diferentes ateliês da Inglaterra (sim, parece que já vi esse filme quatro vezes...), ela sabe que o retrato do nobre Zachary Griffin era a sua maior chance de ser aceita em um ateliê de pintura em Viena.

- Aliás (eu e minhas idéias), os Witfeld mereciam aparecer em outros livros da autora, pelo seu caráter tão... ímpar. O pai cercado de mulheres que se refugia no estúdio para inventar traquitanas aparentemente sem pé nem cabeça. A matrona que se preocupa em conseguir bons partidos para as filhas, nem que para isso tenha que exagerar pequenos acontecimentos do dia com uma capacidade de fazer sir Lawrence Olivier morrer de inveja pelo talento interpretativo... E as sete meninas, Caroline, Susan, Anne, Joanna, Julia, Violet e Grace (por favor, não me peça para colocar em ordem cronológica. Já foi um custo lembrar a maior parte dos nomes – sim, eu tive que consultar o livro para descobrir que a que faltava se chamava Grace), quando não estão disputando o hóspede a unhas e dentes e falatórios uníssonos até que se dão bem. Adoram chapéus, fitas, vestidos e imitar as táticas que funcionam umas das outras. Caroline é a exceção e, além dela, Anne parece ser a menos “obtusa” (termo usado no livro) .

- Para escapar inteiro, Zachary se dispôs a ensinar truques às jovens para que elas fossem bem sucedidas... Ele só não imaginou que precisassse de algo mais claro para que elas não se matassem – ou pior – matassem um pretendente de susto na fúria em conseguir um marido antes umas das outras.

- Nem preciso dizer que Harold, o cachorrinho malcriado, é um baita coadjuvante. Desde a escolha do nome até as traquinagens dele, mostram o processo de evolução de Zachary...

- E um último comentário (porque temo entregar mais detalhes da história e eu acho que todos deveriam ler este livro): uma heroína que quer ir à Paris para ver a Mona Lisa conta com meu total e irrestrito apoio em qualquer sandice...

- Este livro é parte de uma série: Família Griffin. É o segundo da série. Para a alegria das leitoras, todos foram lançados. No site da Lilith, tem mais informações sobre a ordem e o resumo dos livros que eu ainda não li.

- O site da autora é bonito, tem informações, mailing list e forma de entrar em contato com ela.

Bacci!!!

Beta
Reações:

3 comentários :

  1. Oi, Beta!

    Pedi a autora mas esse livro eu não tinha lido! Na verdade, fiquei encantada com ela por causa de uma trilogia "A Aposta", "Libertino Apaixonado" (meu predileto) e o "Segredo de Carroway".

    Agora vou procurar esses Griffin! Fiquei curiosíssima!

    Beijo,

    ResponderExcluir
  2. Olá! De todos os livros dos Griffin este foi o mais legal, o cachorrinho, e todas as irmãs casadoiras era hilário, realmente me faz lembrar "Orgulho e preconceito".Já leu "Persuasão" de Jane Austen?

    ResponderExcluir
  3. Olha, sempre tento seguir as trilogias que são lançadas pela nova cultural, a da familia Griffin, foi bem legal.
    Então venho indicar para vcs e principamente para vc, Beta, a trilogia ROYAL FOUR de CELESTE BRADLEY, foram lançados 3 ate agora:
    Na ordem, senão me engano, ficaria:
    Ed. 402 - A Primeira Noite de Uma Mulher.Data Publ.: 15/10/2008
    Ed. 414 - Um Espião em Minha Vida
    Data Publ.: 31/3/2009.
    Ed. 445 - O Lorde e a Camponesa
    Data Publ.: 8/6/2010
    Ed. 393 - Adorável Mentirosa
    Data Publ.: 11/6/2008.
    Somente o 3º como podem ver ainda esta para lançar.
    Espero que gostem tanto quanto eu gostei.bjs.

    ResponderExcluir