quinta-feira, fevereiro 22, 2018

Ciao!


Neste ano, eu divulguei no Literatura de Mulherzinha o início do novo projeto da autora A.C. Meyer, Par Perfeito, uma série que será lançada apenas em e-book dividida em quatro episódios.

Então, não me xinguem, mas... eu já li o episódio 1!


E confiram as minhas impressões sobre a história...

Par perfeito: episódio 1 – A.C. Meyer
(2018)
Personagens: Jonas Lopes em busca de redenção, de juízo, de vergonha na cara do par perfeito

Não era à toa que Jonas Lopes, o astro das novelas, era chamado de “príncipe”. Lindo e charmoso como o apelido antecipa, ele atraía a atenção das mulheres independente da idade. O problema é que ele andou exagerando na dose, foi flagrado com a esposa de um diretor e viu a reputação virar lama e os projetos e patrocínios começarem a desaparecer. É quando o empresário e melhor amigo, Bruno, intervém ao ver o próprio emprego ameaçado e sugere uma alternativa: um reality show onde o mulherengo procuraria – e encontraria – o par perfeito.

Comentários:

"Meu anjo da guarda quando vê as decisões que eu tomo na vida"

- Você vai ler o Episódio 1 e vai se lembrar de um monte de famosos/celebridades que meteram os pés pelas mãos publicamente e tiveram que encontrar alguma forma de salvar a reputação, os patrocínios e a carreira. Ou seja, é algo que já vimos por aí. Alguns conseguiram se recuperar, outros só se afundaram cada vez mais e alguns você nem se lembra mais direito porque não tiveram salvação.

- A primeira parte apresenta os personagens e começa a posicioná-los na jornada. O protagonista, Jonas, ator-galã em pleno sucesso que não consegue resistir a nenhuma mulher – todo trabalhado no Maluma, “regalando pedacitos a cada nena” e deixando um rastro enorme de corações partidos – alheios – no caminho. Aos 24 anos ele já passou da idade e do peso de bancar o Casanova carioca como se não houvesse amanhã, né? Afinal de contas, o Renato Russo está cantando todo dia na abertura da novela: “tudo o que você faz um dia volta para você”: ele conseguiu prejudicar a própria carreira diante da insinuação nas colunas de fofoca bastidores da TV com fortes evidências de que ele teve um caso com a mulher de um diretor. Ele não entende o tamanho da encrenca até ser confrontado pelo melhor amigo e empresário, Bruno.




- Qual é digo eu. Vivo em sua função há anos.  Abri mão do meu futuro para cuidar do seu. Da sua carreira. – Seus olhos azuis estavam escuros como o mar em uma noite de tempestade.  – Por sua causa, em respeito à nossa amizade, aceitei te ajudar e acabei me tornando seu empresário.  Mas se você não mudar, quem vai pagar a conta, sou eu”.




- Coitado do Bruno - sério, estou com muita pena dele. O moço está a um passo de uma gastrite ou um colapso nervoso com as peripécias amorosas de seu único cliente. E olha o tamanho do presente de grego que ganhou por osmose: o dono da agência deu um ultimato, se não encontrasse uma forma de tirar Jonas do brejo onde ele se enfiou alegremente, os dois iriam para a rua. 


- Com o apoio da assistente Melissa, foi buscar um psiquiatra antes que fosse tarde uma saída antes que a carreira de Jonas – e a dele, em “solidariedade forçada” – já estivessem no cantinho do “Descanse em paz” no mercado. E alguém lá no alto deve gostar muito dele porque em um momento-chave surgiu uma ideia de gênio para pegar o limão azedo e transformar em limonada docinha e rentável para emissora, patrocinadores e demais interessados: reunir cinco candidatas de perfis diferentes em um reality show para encontrar o par perfeito do mulherengo e redimi-lo perante a opinião pública. Além da chance de um romance (verdadeiro ou não, o futuro dirá) com um ator lindo e gostoso, oferece à vencedora um atrativo prêmio financeiro (opa, em tempo de crise, qualquer milhão obtido de forma honesta - sem a chance da Polícia Federal te acordar cedo um dia qualquer - é uma ajuda e tanto, né?).

- Original? Nada disso! Na natureza TV, nada se cria, tudo se copia (adaptação de Lavoisier by Chacrinha. Se por acaso vocês não são da turma #vintage que viveu os anos 80 e não sabe quem foi o Velho Guerreiro, vai no Google!) Vários programas na MTV e na TV a cabo já exploraram a busca pelo “amor verdadeiro” (e os barracos decorrentes disso) Ele consegue convencer Jonas a trocar de sintonia: menos “músicas do” Maluma (inclusive ele está namorando, caso não saibam), mais romance à la Ed Sheeran e embarcar na divulgação do projeto que pode salvar os dois.

- A partir daí acompanhamos a montagem do elenco do programa – e entra uma nova personagem na história: Nathália. Nem vou falar muito sobre ela, exceto que, ao lado de Melissa, são as minhas favoritas. Eu as compreendo perfeitamente. Gostei de ver a perícia profissional de Melissa e espero reencontrá-la nos próximos episódios. E fiquei indignada com a “armadilha” para onde Nathália foi empurrada por uma alma abelhuda sob a desculpa de “ah quero o melhor para você”. Aham, sei. De boas intenções assim, ninguém precisa, uai! (é meu lado não se meta na minha vida escorpiano sendo solidário)

- Enfim, já tagarelei (ou a versão escrita disso) demais e tentei evitar os spoilers sobre a trama. Gostei do que li, estou ansiosa para ver a próxima parte (é, eu meio que xinguei quando vi que não tinha a “próxima página” #soudessas). Só antecipo algumas suspeitas: nem todo mundo é o que projeta... Muitas vezes, a gente recorre a uma ilusão para lidar com a vida real (ultimamente a realidade está excessivamente fictícia para gente conseguir racionalizar, né), então imagina o tamanho da encrenca quando a fachada que alguns personagens ostentam socialmente começarem a entrar em conflito com o que elas realmente desejam (e em alguns casos, nem se deram conta ainda). Enfim... não posso especular mais nada antes de ler a segunda parte... chuif!

Ah, antes de encerrar, deem uma espiadinha nesse trechinho que a autora postou nas redes sociais...

"Ahora puedo regalar/ Un pedacito a cada nena/ Sólo un pedacito..." Ops, 
"Well, I found a girl, beautiful and sweet. Oh, I never knew you were the someone waiting for me"

(Andreia, continuo esperando pela marca da pasta de dente, tá? Não me esqueci disso! – leitora que cisma com detalhes absolutamente nada a ver com lógica alguma. Meu lado escorpiano diz que é culpa do ascendente geminiano, só pra constar)

- E claro que eu quero ver como é que o Par Perfeito vai se desenrolar - será que teremos barracos? Será que algumas pistas plantadas aqui, ali e acolá vão virar o que estou suspeitando? Como nos seriados... To be continued!

Série Par Perfeito:
- Episódio 1
- Episódio 2
- Episódio 3 

- Episódio 4


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :