sexta-feira, fevereiro 09, 2018

Ciao!


Há um tempo, eu contei que li um livro chamado Corvos de Odin e descobri a série Crônicas de Blackwell. Obviamente, comecei pelo livro do meio. Tive que procurar o primeiro livro – ainda mais depois de saber que se chamava Lobos de Loki.

E já que hoje é aniversário do moço encantador chamado Tom Hiddleston, o Loki do Universo Marvel, considerei uma data oportuna para falar sobre o livro 😉


Crônicas de Blackwell: Lobos de Loki - K.L. Armstrong e M. A. Marr – Rocco Jovens Leitores
(The Blackwell Pages book1: Loki’s wolves - 2015)
Personagens: Matt Thorsen, Fen e Lauren Brekkie, os outros descendentes e os inimigos

Em Blackwell, as pessoas se orgulham de suas origens nórdicas e do fato de serem descendentes dos deuses – bem alguns mais que outros. Os Thorsen são a elite da cidade, apesar de Matt se sentir um patinho feio em uma família perfeita. Por isso, ao ser escolhido como o campeão de Thor para lutar no Ragnarök que se aproximava, pensou que seria uma chance de ser visto como um igual. Teria que lidar com os Brekke, o desconfiado Fen e a corajosa Lauren, os herdeiros de Loki, para encontrar os demais descendentes. O problema seria montar o grupo necessário para a missão quando nem mesmo eles sabiam direito o que fazer... e como escapar dos inimigos.

Comentários:

- Como foram quase dois anos que eu li o livro 2, confesso que fiquei um pouco perdida ao ler esse. Demorei para me situar e entender que aqui eu estava conhecendo os personagens antes de embarcarem numa aventura que poderia (se a profecia tivesse certa) acabar com todo mundo morto.

- Foi interessante ver Matt antes dos acontecimentos que o tornaram um personagem diferente em Corvos de Odin. Um adolescente de 13 anos que se sente deslocado na família de pessoas que se destacam enquanto ele ainda não achou o próprio caminho e é desconsiderado pelos pais. Diante das notícias de que as lendas são reais, ele foi surpreendentemente escolhido como o campeão de Thor para enfrentar o Ragnarök – e achou que finalmente tinha chegado a sua vez, até descobrir que não era bem assim... E decidiu lutar contra tudo e todos, mesmo sem saber direito como, para impedir o fim do mundo como eles conheciam.

- Com uma dica importante, descobriu que teria que reunir os outros descendentes. Os primeiros seriam tecnicamente mais fáceis: os primos Brekke, Fen e Laurie, descendentes de Loki. Se não fosse a antipatia entre as duas famílias e o fato de Fen ser um garoto enjeitado mesmo entre os próprios parentes.

- A vida não estava fácil para Fen, afinal de contas, ele se via preso a uma família que não cuidava dele e o considerava um estorvo. E tinha que manter alguns vínculos por causa do sangue – e do que vinha com ele. Estava ciente de que era o campeão de Loki e isso o envolvia em muitas encrencas, porque todos sabiam que era o deus da trapaça que desencadearia o Ragnarök e ninguém esperava que ele pudesse querer e fazer algo diferente. A única preocupação dele era proteger a prima, Laurie, a única pessoa com quem ele se importava porque ela se importava com ele.

- Laurie estava cansada de ser protegida por todos, tanto que nem sabia da ascendência e dos poderes da família. Como se fosse frágil e indefesa só por ser mulher. Envolveu-se na jornada de Fen e Matt porque quis. Além de descobrir mais sobre si mesma, passou a encontrar a própria voz para colocar limite no instinto protetor de Fen e Matt e agir como fiel da balança entre eles.

- Numa corrida contra o tempo, contra inimigos e até mesmo “amigos” que têm interesses diretos no Ragnarök, Matt, Fen e Laurie partem em busca dos outros descendentes, alguns mais acessíveis, outros nem tanto. Será o momento de forjar laços, de estabelecer uma dinâmica, de autodescobertas e de perceber qual a escolha que quer realmente fazer quando o momento de evitar o fim do mundo chegar. E tentar não fracassar no meio do caminho. O livro é infanto-juvenil, com as referências à mitologia nórdica (meu conhecimento não é tão elevado para perceber se foram feitas da forma adequada), narração alternada entre os personagens por capítulo e pode funcionar como uma forma de apresentar este assunto a jovens leitores. Enquanto eu procurava o primeiro livro, o terceiro foi lançado. Assim que possível, irei atrás dele para completar a série aqui no Literatura de Mulherzinha.

Crônicas de Blackwell

1 – Lobos de Loki - Loki’s wolves 


3 – Serpentes de Thor - Thor’s serpents 


Bacci!!!

Beta

Ps.: “Pasito a pasito suave suavecito”... eu risquei da Meta de Leitura de 2018 mais um “livrito” (sim, foi péssimo, mas não queria perder a rima)! YAY!
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário