domingo, julho 23, 2017

Ciao!!!


  
Já vi algumas amigas elogiando a escrita da autora, mas ainda não havia tido a chance de ler nada dela. Enfim aconteceu. E querem saber o que achei?
(Spoiler – gostei do que li).

F*ck Love: Louco Amor – Tarryn Fisher – Faro Editorial
(F*ck Love – 2015)
Personagem: Helena Conway

Helena teve um sonho – um daqueles que parecem extremamente reais – onde descobriu que estava na carreira errada, era mãe e tinha se casado com o namorado da melhor amiga. Isso a deixou tão desconcertada que ela começou uma jornada de autoconhecimento que trouxe algumas verdades inesperadas e outras que ela ignorava propositalmente. Além de uma confusão sem chance de solução feliz – porque estava apaixonada mesmo por Kit, o namorado de Della. Ops.

Comentários:

- Sabe esta mistura de sentimentos que você está experimentando agora? A perplexidade, o medo, o fascínio?
Faço que sim com a cabeça.
- Pois é isso que eu sinto todos os dias. Porque nunca amei ninguém como amo você.

- Se F*ck Love - Louco Amor for uma demonstração do estilo de Tarryn Fisher, então posso ler sem medo porque gostei do estilo meio louco, muito intenso e com personagens envolvidos em um balaio de gato. Eu li, eu me preocupei, eu vi as armadilhas antes dela, eu fiquei com raiva de outras pessoas e da Helena. Ou seja, livro que consegue arrancar reações de quem lê deve ser sempre recomendado.

- O quanto um sonho muito realista pode mudar sua vida? Helena não pensava em ser algo além do que era – a “chata do bege”, que tinha uma vida estável, assim como o namoro com Neil, além de uma carreira segura como contadora. E agora se viu questionando isso e desejando algo que não sabia como tornar realidade.

- Sem dar muitos detalhes, a jornada de Helena discute exatamente isso: o quanto a gente se conhece e sabe realmente o que deseja. O quanto a gente assume riscos ou se deixa levar pelos fatos da vida. O quanto a gente se envolve e se mantém em relacionamentos tóxicos por preguiça, por achar que precisa disso para ser notada e percebida por alguém. Ela é forçada a lidar com isso quando percebe que estar neste ciclo nunca a satisfez, mas agora passou a incomodar – porque ela não consegue controlar o sentimento por Kit, o namorado de Della, a melhor amiga.

- É um livro sobre escolhas e sobre como as escolhas alheias nos afeta. Porque Helena precisa encontrar seu caminho e precisa entender que haverá consequências ao fato de estar apaixonada por Kit. Ele retribui o sentimento? E Della, como reagirá? As outras pessoas entenderão se ela jogar tudo para o alto? Ela se sentirá bem se decidir não arriscar e seguir o que, até então, era a sua meta de vida?

- Não será uma trajetória linear. Helena é assaltada por dúvidas e crises de insegurança. Entra na pilha de tentar fazer tudo funcionar para todos – o que nunca dá certo. Além disso, irá entender que, enquanto ela se preocupa com o bem-estar de muitas pessoas, nem todas se preocupam com os sentimentos dela. Haverá avanços, recuos, reviravoltas e sofrimentos. Muitas citações a Harry Potter – o que aquecia meu coração Corvinal. A maior herança da jornada de Helena para nós é que chega o momento que a gente tem que um basta: seja nos outros, seja na vida e seja, principalmente, na gente mesmo.


Bacci!!!

Beta

ps.: E nem me peçam pra comentar sobre a Roberta citada no livro, ok?

Reações:

Um comentário :

  1. Adoro esse blog e aprendo muito com tudo o que você posta, sou fã do blog.

    É claro que todo livro que consegue arrancar reações de quem lê deve ser recomendado, conforme você ressaltou na resenha. Pelo visto, você super recomenda esse livro. Já inclui ele na minha lista de leituras até fim do ano.

    Acho que este blog faz um trabalho muito bacana, incentivando a literatura, com resenhas muito bem feitas, uma melhor que a outra. Gosto muito de tudo o que leio aqui, e leio tudo com frequência. Toda semana estou acessando o blog pra conferir as novidades.

    Dieison Engroff, do Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir