domingo, maio 14, 2017

Ciao!


  
É um livro que fala sobre coisas e sentimentos que podem acontecer com qualquer um. Família. Separação. Perda. Frustração. Amor. Velhice. Solidão. Pressão. Liberdade. Luto. Morte. Sonhos. Vida.
Não é à toa que todos foram afetados pelo menino em um milhão

Um menino em um milhão – Monica Wood – Arqueiro
(The One-in-a-Million Boy – 2016)
Personagens: Quinn Porter, Ona Vitkus e o menino

Um menino de 11 anos morre de forma inesperada. Os pais, cada um à sua maneira, estão lidando com a ausência e o pai, Quinn, descobre que o filho tinha um compromisso com uma idosa de 104 anos, dentro das tarefas do grupo de escoteiros. Ao se comprometer a terminar o período de sete semanas, Quinn não poderia imaginar que estaria embarcando em uma inesperada, dolorosa e valiosa jornada de descobertas sobre o filho, sobre si mesmo e sobre a vida.

Comentários:

- É um livro sobre ausência e presença e a contradição que ambos podem causar. Há presenças ausentes e ausências que declaram presenças. Temos a lembrança constante do menino morto, cujo nome não é citado em nenhum momento do livro, que é o elo entre todos os personagens citados. O pai, Quinn, músico profissional que não havia “estourado” não sabia se relacionar, não se entendia e não conseguia realmente conhecer aquele garoto tão único em suas perfeições e atitudes. A mãe, Belle, bibliotecária, está transtornada pela dor de ter perdido de forma tão abrupta o único filho. Ona, a idosa imigrante lituana, acabou se afeiçoando ao menino que alimentava os passarinhos, fazia as tarefas com tanta perfeição e gostava de ouvir as histórias da vida dela, sob o pretexto de conseguir algum recorde para que ela entrasse entre os supercentenários que constam no Guiness.

O menino agora saltitava pela cozinha, ainda segurando a própria cabeça, mal se contendo de tanta alegria.
- Pensa bem, Srta. Vitkus! Você… pode… entrar… pro… Guiness!
- Eu vou ganhar algum prêmio em dinheiro?
- Um, você ganha um certificado – disse ele, quase cantarolando – Dois, você ganha respeito. Três, você ganha imortalidade!
- Bem, suponho que, para isso, não haja um preço” (p.40-41)

- É um livro sobre vida e morte. A perda do menino colocou os familiares para buscar razões, culpados ou por quê isso ocorreu justo com eles. Ele permitiu à Ona revisitar a própria longa vida, recuperar memórias esquecidas, revisar algumas felicidades, arrependimentos e a constante ideia de que vai deixar de existir. E o Guiness se torna uma motivação para quem estava ali numa rotina sem novidades. Ao recontar a própria vida para o menino, ela pode perdoar a si mesma por sentir a insatisfação com decisões que tomou em nome de uma necessidade de pertencimento nem sempre plenamente alcançada.

- O que nos leva a outro ponto do livro: se sentir suficiente para alguém. Belle queria que ela e o menino fossem motivo bastante para Quinn abandonar a vida itinerante e ficar com a família. Quinn achava que não era bom para esposa e filho e corria atrás do sonho de se firmar como músico – que sempre foi mais acessível para outros. Pelas lembranças dos personagens, o menino manifestou o receio de que a falta de elementos em comum dele com o pai tenha causado a separação dos pais.

- Enfim, não foi à toa que é tão elogiado. Ao costurar a jornada  destes personagens usando estes sentimentos conflitantes como fios, a autora criou uma trama singela, tocante, emocionante, real, que conversa com quem lê, independente da idade. E sem dar spoilers, o capítulo final, na minha opinião, é genial.

- Ah, escrevi tanto sobre as minhas reações e impressões sobre o livro que quase não dei detalhes do que ocorre na história. Creio que algumas coisas não devem ser antecipadas – e este livro é uma delas. Sabia o mínimo sobre ele, por isso, fiz várias descobertas e o vivenciei no ritmo que ele ditou. Como vocês perceberam, foi uma leitura que me emocionou. Pode fazer o mesmo por você – e vale a pena dar a chance!


Bacci!!!

Beta

ps.: A Arqueiro enviou um kit lindo, numa caixinha (fazendo a festa do meu DNA felino – porque AMO caixinhas), com o livro; o conto gratuito “Uma em um milhão”, que vai aparecer em breve no Literatura de Mulherzinha; bottom e marcadores diversos! Muito obrigada pelo mimo!!!



Reações:

0 comentários :

Postar um comentário