domingo, abril 16, 2017

Ciao!!!!


A Luna do Emoções à Flor da Pele é outra blogueira sempre muito carinhosa com esta Mulherzinha e este cantinho insano da blogosfera. Obrigada por mais uma vez compartilhar esta data comigo!

****

Creio que não há nada mais nostálgico que pensar no tempo... Todavia quando penso em tempo e livros juntos... o sentimento é um tanto diferente.

Ao longo dos meus anos como leitora passei por centenas de livros. Diversas épocas. Diversos tipos de amor. Visitei países nos quais jamais imaginei pisar. Conheci vikings, lordes, reis e príncipes. Ladrões, senhores de terras e escravos, guerreiros escoceses, que me fizeram sentir uma mistura de amor e ódio. Sem mencionar os gregos, italianos, árabes e outros de histórias contemporâneas que se sentiam no direito de testar toda a minha paciência para ver se, no fim e bem lá no fundo, eu ainda era capaz de amá-los.

Mas se tem algo que todas essas histórias têm em comum é que, independentemente de qualquer época e lugar, em todas elas há amor... Um amor que nos toca e ultrapassa o tempo. Um amor que sabemos que não passa, que não se acaba nunca.

Partindo da época medieval, como não recordar A Conquistadora, de Teresa Medeiros? Que nos traz dois protagonistas fortes separados por uma tragédia que os transformou em inimigos mortais. Conn e Gelina mexem com todas as nossas emoções na montanha-russa que é o relacionamento dos dois. Tudo era intenso. A paixão, o ódio, as brigas...  Por vezes pareciam que se amavam e em outros momentos... eu acreditava que acabariam se matando. Mas se tem um trecho que não me sai da cabeça e posso dizer de cor é aquele que exprime um pouco do que sentiam um pelo outro:

"- Faz qualquer coisa por mim, minha Gelina - disse, arrastando as palavras. - Vou cair. Depois disso, peço-te que me mates ou me abandones."

Impossível também seria não mencionar A Guerra das Rosas, de Shannon Drake. No meio das intrigas e conflitos pelo trono da Inglaterra em pleno século XV, dois jovens têm seus caminhos cruzados de uma maneira um tanto... desagradável. Pertencentes a lados diferentes daquela batalha, as reviravoltas fazem com que a protagonista caia nas mãos de Tristán, aquele que seria seu senhor e carrasco, mas também o homem que lhe ensinaria a amar.

"- Me odeia há tanto tempo...
Genevieve começou a chorar, abraçando os joelhos e fitando o fogo.
- Odiei porque... o amo. Quer dizer, odiei a mim mesma por não ter força suficiente para resistir a esse amor. E estou aqui... porque amo você."

Em Estigma de Mulher (Sandra Canfield) conhecemos uma das histórias mais lindas de todos os tempos. A história de uma mulher machucada pela vida que encontra, quando menos poderia imaginar, aquele que lhe daria forças para tentar novamente... que a curaria e a faria descobrir que ainda era capaz de amar.

"Jeff acariciou as faces pálidas dela, enquanto a fitava nos olhos amplos e assustados. Então murmurou, carinhoso:
- Do que quer que você esteja fugindo, fuja na minha direção."

E se tem um amor que desafiou o tempo, sobreviveu a uma longa separação e ficou mais forte com cada golpe que a vida deu, sem sombra de dúvidas foi o de Allie e Noah em Diário de Uma Paixão, de Nicholas Sparks. Sempre me lembrarei das belas provas de amor que preenchem as páginas deste livro...

"Mas, se nunca mais voltarmos a nos encontrar, e se isto for verdadeiramente uma despedida, sei que nos veremos em outra vida. Nós nos encontraremos de novo, e talvez até lá as estrelas tenham mudado, e então nós nos amaremos, não só naquele momento, mas por todas as vidas que tivemos antes."

São muitos os autores que deixaram suas pegadas em minha vida. Não dá para enumerar todas as histórias que me conquistaram, seduziram e apaixonaram. Que se cravaram em meu coração. E, entre todos os presentes que a vida nos dá, estão os livros. Nunca me canso de cheirá-los, tocá-los e amá-los. Nunca me canso de folhear suas páginas, perder-me novamente em histórias que já li e me pego recordando uma e outra vez. Não me canso de viajar por histórias novas, mundos novos, de ir ao passado e voltar, de viajar pelo tempo, pelos séculos... De amar e também odiar uma história. Porque ainda que um livro desperte nosso ódio ele está nos fazendo sentir. E um dia talvez o recordemos com saudade. Ainda que no momento o queiramos fazer em pedaços.rsrs

Não poderia deixar de agradecer a Deus e a Beta pelo privilégio de fazer parte de mais um aniversário do Literatura de Mulherzinha! Me sinto honrada e imensamente feliz! Se existem autores e livros que me marcaram, muitos deles conheci através do LdM, que me abriu um mundo todo novo, recheado de histórias que eu leria nos momentos de alegria e tristeza, que me fariam rir e chorar, que me divertiriam e estressariam e que formariam parte da minha história. O LdM faz parte da minha vida e tem um lugar exclusivo em meu coração. É muito querido, precioso como poucos.

Feliz aniversário, Literatura de Mulherzinha! E obrigada, Beta! Por ser esta blogueira incrível, divertida, sincera, única! Por nos presentear a cada semana com suas palavras e dividir com a gente o seu amor pelos livros. Tenho certeza que você é uma pessoa maravilhosa, pois o que sempre penso é que por traz de um blog tão especial existe uma pessoa especial.

Para encerrar, não poderia deixar de partilhar um trecho de uma das promessas mais marcantes que já li, feita por um homem que se entregou ao amor por uma mulher que não pertencia ao seu tempo, que parecia não ter sido feita para ele, mas que era tudo o que ele necessitava, assim como precisava de ar. Jamie, Jamie, Jamie. Como falar de tempo sem falar de você?

"- Eu a encontrarei - murmurou ele em meu ouvido. - Eu prometo. Ainda que tenha que suportar duzentos anos de purgatório, duzentos anos sem você, esse será meu castigo, que eu mereci pelos meus crimes. Porque eu menti, matei e roubei; traí e quebrei a confiança. Mas há uma única coisa que deverá pesar a meu favor. Quando eu ficar diante de Deus, eu terei uma única coisa a dizer para contrabalançar o resto.
Sua voz diminuiu até quase se transformar num sussurro, e seus braços apertaram-me com mais força.

- Meu Deus, o Senhor me deu uma mulher especial e, Deus!, eu a amei demais." [A Libélula no Âmbar - Diana Gabaldon]
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário