quarta-feira, março 08, 2017

Ciao!!


Ganhei este livro, lançado em 2015, no ano passado.
Guardei para escrever sobre ele neste ano, porque não havia data melhor que esta: 8 de março.

Mulheres – Carol Rossetti – Editora Sextante
(2015)

A ilustradora Carol Rossetti tinha um projeto pessoal de criar um desenho por dia. Ao divulgar em suas redes sociais, ganhou uma enorme repercussão, inclusive a levando a criar versões em outros idiomas. Seus desenhos retratam diferentes perfis de mulheres, trata dos estereótipos e cita frases que muitas já devem ter ouvido em algum momento da vida. Frases que questionam quem você é o que você pode ser.


As ilustrações lembram o óbvio: não é justo estipular um padrão porque as mulheres constituem um grupo de indivíduos únicos e de gostos, personalidades, belezas heterogêneas, com direitos e deveres. E com poder de escolha pela forma como quer conduzir sua vida. Não é questão de ser melhor ou pior. É ser diferente. E ser respeitada por isso.


O livro divide as ilustrações nos temas corpo, moda, identidade, escolhas, amores, valentes. Amei os desenhos. Eu não sei desenhar, por isso respeito quem tem este talento e sabe se expressar por ele. Textos citam mulheres e o que as tornam únicas. Em alguns casos, há crítica porque o conceito-padrão imposto pela sociedade não as abriga, mas as reprime ou repele.


Muito se fala, se escreve e se discute sobre ser mulher atualmente. Como em vários outros temas, há um radicalismo reinante – não importa em qual dos extremos – que não ajuda em nada. Quando todo mundo resolve gritar, ninguém ouve mais nada. Ao não ouvir, perde a oportunidade de estabelecer o diálogo e uma troca de ideias que permitam a descoberta de novos caminhos a serem traçados.

Em um momento onde todos querem impor a sua visão de vida e não considerar outras possibilidades reina a confusão. Além disso, estamos na era de informação e contrainformação – nem sempre verdadeira – excessiva, o que também não contribui para melhorar nada. E para quem está, tentando entender o que se passa e quais opções para estabelecer seus próprios julgamentos, isso é péssimo.

Projetos e iniciativas como o da Carol Rossetti contribuem para dar voz aos problemas velados ou escancarados que ainda enfrentamos. Não soluciona, claro. Leva a pensar e a inspirar por um mundo onde haja educação e respeito à diversidade do ser humano.


Escolhi para este texto algumas ilustrações que conversaram mais diretamente comigo seja pessoal ou profissionalmente. Lembram coisas que ouvi diretamente, coisas que falaram de outras perto de mim.  

Eu venho de uma família majoritariamente feminina. Cada uma de um jeito, com suas crenças, com suas convicções. Diferentes gerações convivendo. Nem sempre se entendendo, claro. Todas as famílias são assim. Muitas vezes ficava encucada de por que não seria bela – no atual padrão ditado pela moda/sociedade. Justamente a minha curiosidade me trouxe a resposta: ao começar a pesquisar o Renascimento, vi que o padrão de beleza dos artistas que eu tanto admirava era totalmente diferente. O que significava que não havia um padrão a ser alcançado. Apenas mudar o seu olhar para enxergar a beleza onde ela estiver. E ela sempre está.


O tempo costuma nos trazer esta paz: a nossa maior beleza é ser quem somos de verdade. Claro quem nem todos vão entender porque eu adoro usar óculos – mesmo havendo a possibilidade de lente de contato. Ou porque azul é a minha cor preferida, ao contrário do esperado rosa. Ou porque prefiro o corte curto do cabelo (que já foi comprido por muito tempo). O mesmo tempo tornou menos estranho/mais aceitável o fato de uma garota gostar de futebol sem ser porque o jogador é bonito.

Pensamentos são mudados. Perceba em si mesmo os comportamentos que não acrescentam em nada para você e para quem convive contigo. Discursos sociais estão sendo reescritos. Vamos torcer que seja para que mais pessoas se sintam abrigadas por suas ideias.


E que Carol encontre sempre inspirações para seus traços e suas cores. E que mais pessoas se sintam refletidas em suas criações.

- Links: Goodreads livro e autora; site da autora; Facebook; página da Sextante (onde você pode baixar uma amostra, cartões postais e marcadores de páginas); para comprar; Skoob.

Bacci!!!

Beta
Reações:

10 comentários :

  1. Olá,

    Amei o livro, não conhecia a obra e nem a ilustradora, mas achei a ideia muito bacana e inovadora. Vou vê se consigo encontrar um exemplar dessa preciosidade e indicar para minhas amigas que lutam pela diversidade e direito da mulher ser reconhecida e respeitada. Acho isso muito válido, amei a resenha e vou compartilhar! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Nossa que coisa fofa é esse livro meu deus. Eu já o conhecia, mas apenas por capa por isso não sabia que o livro era nesse estilo. Devo confessar que isso me deixou bem empolgado para ler ele. Eu sei o quanto a sociedade é estereótipada e isso as vezes incomoda algumas pessoa. Enfim, o que eu tenho a dizer é: Se você ama, faça, pois não existe nada exclusivo para mulheres/homens. Adorei a sua resenha e já vou procurar o livro para compra. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é muito gracinha né? Não tive a oportunidade de ler, mas conheço o trabalho da autora e acho incrível. Fico feliz que tenha gostado tbm :)

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  4. Que livro lindo! Achei as ilustrações super criativas e o tema também é muito interessante, sobre as mulheres e os rótulos que muitas vezes a sociedade impõe. Sua resenha está ótima e fiquei bastante curiosa em ler, vou adicionar esse livro com certeza! Bjss.

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não conhecia o livro, mas adorei a temática e realmente parece ser inspirador. Vou tentar adquirir um exemplar para mim e obrigada pela dica.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Cara eu sou apaixonadaaaaaaaa por esse livro, eu tenho ele e já li, é a coisa mais linda e inspiradora. A carol sabe tocar em pontos certeiros e importantes. Maravilhoso!

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Estou louca para colocar minhas mãozinhas nesse livro, porque fala sobre Feminismo, Ditos e regras sociais e isso me atrai muito e essas ilustrações são maravilhosas e falam de verdades tão simples, mas que se tornam complexas por causa dos preconceitos alheios.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu vi essas ilustrações circulando por minhas redes sociais e lembro de ter ficado encantada com elas, por conta da mensagem que elas passavam. Mas nunca, nunquinha mesmo, eu imaginei que teria um livro sobre. Sério, quero muito!

    ResponderExcluir
  9. Oiii, tudo bem?
    Eu tenho tanta vontade de ler esse livro que você nem imagina, fico feliz que tenha trazido a resenha para nós no seu blog, quero muito mesmo!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Desconhecia o trabalho da Carol, mas já devo dizer que ela merece ser aplaudida em pé!
    Adorei as ilustrações e a última sobre o cabelo curto e ser sapatão foi a que me fez rir e não só refletir.
    Anotei a dica e espero poder fazer a leitura em breve.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir