domingo, fevereiro 19, 2017

Ciao!!!

O projeto LitGirlsBr lançou em 2016 uma antologia, com contos escritos por nove autoras brasileiras, com temas e estilos diversos. Uma ótima chance para reencontros – já li duas das autoras – e conhecer gente nova. Vamos lá? Optei por falar um pouquinho de cada conto e um breve – mesmo – comentário. As histórias são curtinhas, dar muito detalhe acaba abrindo a porta para falar demais.

*** Texto originalmente escrito pro Livrólogos, que a Rosana gentilmente permitiu que fosse publicado no Literatura de Mulherzinha. Obrigada, Rô! ***

O Livro Delas: Nove Romances – Renata Frade (org) – Fábrica 231
(2016)

Ao anoitecer, Bianca Carvalho
Três jovens que nunca se viram descobrem que estão com os caminhos unidos, embora sem ainda entenderem como ou por quê. Daniela e Allen partem na investigação que pode levá-los ao que houve com Pâmela e a colocar ambos em risco.
No início, confesso que fiquei meio “hein?” até que engrenei na história. A autora manteve o suspense e nos força a montar o quebra-cabeças destes personagens que passaram por coisas ruins e querem reconstruir a própria vida.

Os 6 piores dias da minha vida, Carolina Estrella
Mãe e filha presas em uma rotina de violência doméstica finalmente saem de casa e se refugiam na fazenda dos avós maternos. Finalmente Alana poderia ter uma vida saudável e normal. No entanto, seria necessário dar um basta definitivo a esta situação.
Um relato de algo que, lamentavelmente, ocorre muito por aí e de como deixar para trás. No entanto, a história é leve pela atuação de uma narradora divertida, que comenta, dá pitacos e até bronca nestes “leitores que querem saber demais”.

Era amor, Chris Melo
Um flagrante. O fim do casamento. Marcela foi orientada pelo terapeuta a fazer um diário, algo que ela começa totalmente a contragosto. Acompanhamos o processo de ela se reconstruir, se reavaliar e descobrir que a vida continua e que ela pode comandar o próprio destino.
Achei que o formato de diário funcionou muito bem. Permitiu o nosso olhar aprofundado sobre como não é fácil dar a volta por cima. Afinal de contas, não bastam os outros falarem. Marcela só sairia do fundo do poço quando vestisse a camisa do processo de recuperação.

Por acaso, Fernanda Belém
Uma carta que não chegou ao destinatário inicial foi o ponto de partida da amizade entre duas pessoas que nunca se viram. Depois de uma relação construída via cartas, e-mails e telefonemas, será que André e Samantha conseguiriam lidar com a realidade ou ambos perderiam a “magia” um para o outro?
Aqui temos dois pontos de vista, através da troca de correspondência entre os personagens. É divertido imaginar suas ações e reações e ler logo em seguida o que eles decidem fazer. E ainda ganhou pontos comigo por citar um filme que adoro!  

Eu vou te esperar, Fernanda França
Fred sofre por ser uma pessoa que sente, em um mundo desprovido de amor. Até o dia em que, durante um passeio, encontra um anel com um símbolo, que ele conhece das cartas que herdou do bisavô. A partir daí inicia uma busca pela chance de encontrar alguém que o entendesse. Alguém que também sentisse.
Que história linda! Não sou a maior fã de distopias (está entre os estilos com os quais tenho dificuldade), mas esta trama centrada nos personagens e no conflito íntimo deles com a realidade que os cerca, instigou a minha curiosidade e me prendeu até o final.

Baile de formatura, Graciela Mayrink
Era para ter sido a colação de grau perfeito, mas tudo escapou do controle de Amália, que estava frustrada. No entanto, o baile poderia trazer surpresas não só para Amália, mas também para os outros quatro formandos, diante do fato de que agora começariam uma nova uma fase da vida.
Quem já passou por isso, sabe o que é a crise “formei. E agora?!”: é quando cai a ficha de que estamos por conta própria, ou se preferir, hora de virar “adulto”. Neste caso, fiquei MUITO CURIOSA sobre o que acontecerá em seguida na vida deles...

Dez anos, Leila Rego
Tainá, Rebecca, Lurdinha e Marli fizeram uma promessa no dia da formatura: voltar a Foz do Iguaçu para celebrar a conquista e a amizade delas a cada dez anos. E elas cumprem a promessa e podemos acompanhar como o tempo faz diferença nas vidas e escolhas do quarteto.
O conto conseguiu sintetizar uma história repleta de emoções: da euforia, decepções e descobertas na época da formatura e dos encontros e desencontros ainda impactavam anos depois. Foi bem legal ver que a vida nem sempre segue o que planejamos e que, em alguns casos, isso é bom.

A voz do coração, Lu Piras
Iris é uma jovem que foi adotada pelos moradores de uma vila ao ficar órfã. Agora adulta, tenta dar um rumo na vida. E pode ser que Nicolas, o neto de uma das suas vizinhas-avós tenha uma participação nesta nova fase. Ele não teria nenhuma resistência em ouvir a voz do coração sobre este assunto.
Que fofo, que meigo, que lindo, que gracinha, que bonitinha a história de encontros e desencontros entre Íris e Nicolas. E como a música costura a aproximação e a relação deles. Uma delícia de ler e de se imaginar nas cenas.

Paraíso Morto, Tammy Luciano
Lua tinha certeza de que estava com os dias contados. Foi quando encontrou Sol. Agora perseguidos e presos em uma boate em uma ilha em Angra dos Reis, eles tinham que descobrir como lidar com tudo que aconteceu com eles.
Foi o conto que menos gostei. Não por falta habilidade da autora – pelo contrário, ela escreve muito bem. No entanto, como vim de um ano que não teve momentos fáceis, estou desesperadamente correndo atrás de histórias alegres e felizes. Então, perdoem o clichê, mas o problema aqui foi comigo.

***

Como só havia lido livros da Fernanda França e da Graciela Mayrink, foi uma ótima chance para ter um gostinho e conhecer o estilo das outras sete autoras. Já foram para minha lista de para pesquisar e procurar outros livros. Se bem que basta sair com #MadreHooligan, que é a “localizadora de autoras/autores nacionais” oficial do Literatura de Mulherzinha, pra resolver o assunto!

E foi uma excelente ideia reunir todas em um projeto, que serve como uma forma de mostrar o trabalho de todas para os leitores, para o mercado e reafirmar que vieram para ficar. O livro é Delas, mas todos e todas nós ganhamos.


Bacci!!!

Beta
Reações:

6 comentários :

  1. Oi! Adorei conhecer esse livro com tantas autoras interessantes. Quero muito em breve conseguir lê-lo. Beijos

    http://www.fadasliterarias.com.br/2017/02/pelos-olhos-de-donavan-resenha.html

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Quantas autoras nesta obra... Muito obrigado pela dica, estou anotando aqui para quem sabe um dia ler "se me surgir a oportunidade" e continue assim sua postagem está demais.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Não li esse livro ainda, porém já vi muitas pessoas falando bem sobre. Não li nada de nenhuma das autoras, mas tenho muita curiosidade sobre Chris Mello e Tammy Luciano, acho que essa é uma boa forma de conhecer a escrita das autoras.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olha, eu amei essa história de fazer uma antologia super feminina! Com todas essas autoras para que a gente possa conhecer um pouco de cada uma, de sua escrita e depois conhecer mais trabalhos! A capa é bem legal e faz a gente pensar em viagem. Muito bom! Obrigada!
    Abraços,
    Drica.

    ResponderExcluir
  5. Olá tudo bem?
    Eu adorei conhecer um pouco sobre esse livro. Eu já tinha ouvido falar, principalmente sobre o conto da Bianca Carvalho que foi um dos que mais me chamou atenção logo no início da divulgação dele. Agora conhecendo um pouco mais sobre os outros, eu percebi que quero muito ler o livro e conhecer a escrita de outras autoras também.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  6. Ola lindona somente autoras top hein, o que mais me chamou atenção foi o conto da Cris adoro personagens que se perdem e fazem uma jornada se redescobrindo. da Fernanda achei lindo. Pretendo ler com certeza. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir