sábado, fevereiro 11, 2017

Ciao!!!




Então, sabe tudo que eu gostei nos livros seguintes (mas que li antes)? Não aparece aqui. Na verdade, temo que se eu tivesse começado por este livro não sei se animaria a ler a série.
Talvez sejam apenas conjecturas de uma criatura estressada e mal-humorada. Bem, deixem-me tentar explicar o motivo de minha cisma.

Noite de Rebeldia – Melanie Milburne – Paixão Audácia 7
(Ravensdale’s Defiant Captive – 2015 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Holly Perez e Julius Ravensdale

Era o trabalho temporário ou ir para a cadeia. Por uma série de ocorrências, a Justiça tinha dado este ultimato à Holly. A possibilidade de ser empregadinha (em qualquer sentido, inclusive os piores) na casa de um ricaço inglês que morava na Argentina não soava o paraíso. E ela fez questão de deixar claro que não estava disposta. Julius foi convencido pela governanta, que sofria de tendinite, a fazer uma boa ação. Mas assim que Holly invadiu seu escritório esbravejando as verdades dela, ele percebeu que sossego era algo que ele não teria mais.

Comentários:

- Sabe quando você tem tudo pra uma história legal e os personagens não se encaixam? Ou como dizem no esporte (e na culinária), não “dão liga”? Foi a minha sensação. Algo me incomodou em Holly, quando era esperada empatia ou simpatia pela menina órfã que sofreu horrores ao lado da mãe nas mãos do padrasto. No entanto, Holly me perdeu logo no início ao invadir a sala de Julius e colocá-lo na berlinda na frente de todo mundo como se ela tivesse sido levada ali para o bel-prazer dele. Ela não entendeu que era quem estava na beira do precipício e bastava um cisco para que fosse despachada para a cadeia. Com as reações destrambelhadas, Holly agia como se fosse uma grande vítima de um mundo injusto comandado por homens poderosos e tiranos e descontou toda a fúria no único que (bem ou mal) poderia ser a ponte para a tão sonhada liberdade longe da Argentina.

- Para piorar, para cada reação precipitada, orgulhosa, petulante e irritante de Holly, vem uma reação contrária confusa e perdida de Julius. Isso porque ele é o gêmeo sensato e racional que se tornou PhD em Astrofísica e foi para a América do Sul para ficar bem longe do turbilhão caótico e egocêntrico que eram os pais dele. Agora estava lidando com outra força que não poderia catalogar e controlar. O ato de caridade virou a invasão de uma mulher que se atreveu a julgá-lo, condená-lo e queria derrotá-lo em uma guerra que ele nem sabia que teria que lutar.

- Ou seja, como gostar dos dois? Aturei mais (porque usar simpatizei era forçar demais a barra) o Julius porque ele me pareceu um personagem mais sincero em relação aos próprios sentimentos. E me irritei com Holly por justamente agir sem ponderar sobre o que sentia, atacar a esmo porque tinha sido ferida, humilhada e desprezada (e justamente por isso dar munição contra si mesma de sobra ao seu maior inimigo). E por tabela, bancar uma vingadora que não vinga nada, só se ferra e magoa os outros por tabela.

- Sinceramente não funcionou comigo. Não consegui ver amor, nem paixão, nem tesão entre os dois. Só uma confusão muito grande que ambos embalaram depois de muito se desencontrar e se concederam como final feliz. Na minha humilde opinião, Miranda e Jake saíram ganhando de lavada no quesito “amor meu grande amor” do irmão sensato.

Os Escandalosos Ravensdale
1 – Noite de Rebeldia – Holly Perez e Julius Ravensdale – Paixão Audácia 7
2 – Romance Secreto Miranda Ravensdale e Leandro Allegretti – Paixão Audácia 8
3 – Aliança inesperada – Jasmine Connoly e Jake Ravensdale – Paixão Audácia 9
4 – Um amor em família – Kat Winwood e Flynn Carlyon – Paixão Audácia 10


Bacci!!!

Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário