sábado, janeiro 28, 2017

Ciao!



Geralmente, os livros da Susan Stephens ganham a minha atenção. No entanto, tive problemas de empatia os personagens desta trama. Sérios problemas de empatia.

Diamante Imperfeito – Susan Stephens – Paixão 388 (Os Diamantes de Skavanga 2)
(The flaw in his diamond – )
Personagens: Eva Skavanga e conde Roman Quisvada

Eva era a segunda filha da família Skavanga. A ativista pela proteção do ambiente ártico queria informações sobre como era feita a exploração da mina da família. No entanto, um dos responsáveis pelo consórcio administrador se recusava a falar com ela. Então, Eva adotou uma estratégia drástica: foi para a ilha do conde Roman Quisvadae invadiru a casa dele. Agora como hóspede “por livre e espontânea vontade/pressão”, ela teria que lidar com alguns imprevistos em seu ousado plano pelo bem de Skavanga.

Comentários:

- Primeiro ponto que me irritou: peguei a série andando. Escolhi o livro aleatoriamente e não me dei conta de que era uma série. E senti falta de saber se Eva já era assim no primeiro livro ou se sofreu aquela “possessão espiritual” que atingia alguns personagens da Diana Palmer, por exemplo: coadjuvantes apaixonantes e protagonistas irritantes.

- Segundo ponto: a cena de abertura mostra o confronto que detalha as personalidades das irmãs. A mais velha, Britt, defende o consórcio que assumiu a exploração da mina de diamantes e, por tabela, salvou a cidade que leva o nome da família, Skavanga (que, pela minha genial dedução geográfica, fica no Norte da Europa, um cenário incomum na maioria dos romances). A segunda irmã, Eva, é a especialista no ambiente local e que detesta a exploração da mina, organizando piquetes e manifestações contra o consórcio. A terceira irmã, Leila, tenta ser a pacificadora entre as duas mais velhas. E o único irmão, Tyr, desapareceu no mundo e não mandou notícias. Só que Eva me soou agressiva e repleta de verdades em excesso, se recusando a ouvir os argumentos e a ponderar com as irmãs, porque não havia concordância com o ponto de vista dela.

- Terceiro ponto: o conde Roman Quisvada é de uma arrogância irritante. Ok, ter a casa e a privacidade invadida é desgradável. No entanto, a forma como trata Eva me fez antipatizar fervorosamente com ele. afinal de contas, o conde poderia muito bem ter ouvido o que Eva tinha a dizer – já que ela estava determinada e não iria desistir; negociado e a despachado de volta pra terra natal. No entanto, Roman a encara como um objeto sexual e só faltou falar com todas as letras que ela sossegaria se tivesse um homem.

- Aí temos o habitual “forçados a conviver, são obrigados a enfrentar os pré-julgamento que fizeram um do outro e a reavaliar conceitos”. Eva que sempre sentiu que devia ter a postura combativa, tomboy e de confronto com os homens (o relatório que Roman recebe dela informa que não há registros de relacionamentos). Até o meio do livro, só vi duas criaturas se embrenhando em confusão e numa disputa por ver quem manda e quem consegue o que quer.

- Só na reta final, a autora desarma ambos e revela seus verdadeiros sentimentos. Muito do comportamento anterior de ambos passa a fazer sentido. Só que no meu caso, já foi tarde. Só queria que o livro acabasse. No entanto, pretendo ler os outros da série. Talvez o livro tenha dado a falta de sorte de me pegar na semana do “sai da frente, humor ausente e totalmente antissocial”. Ao contrário dos personagens, que adoraram julgar primeiro e analisar depois, eu pretendo ver o que mais as Diamantes de Skavanga tem para contar.

Os Diamantes de Skavanga

Diamante do Deserto - Diamond in the desert - Britt Skavanga e sheik Sharif al Kareshi – Jessica 2 Histórias 210 (Homens de Poder)
Diamante Imperfeito - The flaw in his diamond - Eva Skavanga e conde Roman Quisvada - Paixão 388
Diamante Puro? - The purest of diamonds - Leila Skavanga e Raffa Leon – Paixão 409
Diamante Proibido - His Forbidden Diamond - Princesa Jasmina (Jazz) de Kareshi e Tyr Skavanga – Paixão 412
* A página da autora ainda inclui na lista da série a novella An Accidental Heir, protagonizada pela princesa Astrid of Hammersvik e príncipe Karl Thorberg (também faz parte da série Royal Baby Collection). Pelo que entendi se passa em um reino vizinho à cidade de Skavanga.


Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Problemas sérios de empatia ? Certo ! Eu tenho como compreender isto muito bem porque eu tive esse problema com três romances, de autoras diferentes, que eu li em um passado não tão distante (um deles de uma autora muito conhecida para mim, de quem eu nunca pensei não empatizar com personagens). Uma escavação em uma mina de diamantes não foi um atrativo para mim. Que sobrenomes horríveis de família também !!!

    ResponderExcluir