sábado, janeiro 21, 2017

Ciao!!!


Aqui em casa de vez em quando é necessário lembrar que não há mutantes na família. Ou seja, ninguém lê mentes. Portanto, se não for dito claramente, ninguém saberá.
Se a família Henkels soubesse disso teria evitado tanta confusão...

*** Texto originalmente escrito pro Livrólogos, que a Rosana gentilmente permitiu que fosse publicado no Literatura de Mulherzinha. Obrigada, Rô! ***

O Diário Internacional de Babi – Chris Salles – Outro Planeta
(2016)
Personagens: as aventuras e desventuras de Bárbara “Babi” Henkels dos Santos em Orlando

Babi, a mãe e os irmãos estavam de mudança definitiva para Orlando nos Estados Unidos. O recomeço fora do país, contanto com o apoio de familiares que já moravam lá, foi a última alternativa, mas não tinha sido bem aceita pela filha do meio, que desabafava todas as dúvidas, angústias e dificuldades em um diário. O encontro com um garoto bonito no aeroporto; o reencontro com os primos; os micos e confusões; os problemas de comunicação; o bullying de umas garotas que a viam como rival, coisas que se somam e podem levar a uma decisão drástica por parte de Babi.

Comentário:

- Então, quando ninguém deixa clara a regra do jogo, fica difícil estabelecer uma visão conjunta de um fato a partir de um ponto de vista único. Narrado em primeira pessoa, afinal de contas, estamos lendo o diário da adolescente de 15 anos, temos os relatos da tristeza por deixar uma vida estabelecida, com os amigos de sempre, a escola e a cidade que conhecia rumo ao desconhecido. A partir dos próprios sentimentos, do ponto de vista e das reações ao que ocorre, Babi conta a história desta mudança.

- Babi precisa benzer, urgentemente. Vai ter falta de sorte assim lá longe, credo. Tudo que pode dar errado, dará errado, especialmente quando ela age pra dar certo. Dá meio desespero com a sequência de fazer Bridget Jones aplaudir e gritar “Essa é minha garota!”. E como Babi se sente a desprestigiada da família, com a mãe preferindo Alice, a mais velha e Dani, o caçula, não conta o que ocorre para ela, o que leva a uma bola de neve de mentiras, confusões e consequências.

- Tem o garoto lindo, Theo, que ela quer impressionar e conhecer melhor. Só que ele tem uma meia irmã ciumenta, Megan e que torce para que ele reate o namoro com a melhor amiga, Zoey. Daí, volta e meia, as três estão se estranhando. (A marmota com o aparelho ortodôntico me tiraria do sério. E posso garantir, por experiência própria, que não tem projeto de bully que sobreviva pra contar a história quando o modo “eu fora do sério” é ativado a todo vapor). E se na infância, ela teve uma quedinha pelo primo Vinícius, agora as atitudes dele a deixam desconcertada e incomodada.

- A lição que fica é que nunca a gente está sozinho, mesmo quando parece. Afinal de contas, temos outras pessoas por perto que se importam conosco e nos amam, portanto, podemos contar com elas. E da mesma forma, devemos parar pra pensar que elas também possuem sonhos a serem alcançados e problemas a serem resolvidos – e que merecem igualmente nosso respeito e ajuda. Por isso, mais que criar tempestades em colherinhas de chá, devemos manter a serenidade para passar pelas turbulências. Por ser adolescente – e sem informações importantes que a ajudariam a se situar melhor – Babi vai amadurecer, vai aprender que a vida nem sempre será como a gente quer, mas a gente pode aprender a tirar o melhor dela.


Bacci!!!

Beta
Reações:

18 comentários :

  1. Olá! gostei na resenha, a história é bem interessante. obgd pela dica bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, o livro não me chamou muito a atenção, talvez por ser um diário e eu não curto muito essa dinâmica de leitura. Mas sua resenha me agradou bastante, bem diferente! Parabéns!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Beta!
    Eu ainda não li o livro, mas fiquei curiosa com essa história.
    Acredito que vou gostar dessa leitura.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  4. Oii!

    Eu só conhecia esse livro por foto, achei engraçado o fato da personagem ser tão azarada, será que isso não acaba sendo irritante durante a leitura??
    Gosto de livros com essa pegada mais teen, quem sabe não leio mais para frente!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem??

    Não consegui nem manter um diário meu. Fazer agenda é complicado. Ler diário?? Acho complicado. kkk

    Legal a resenha, mas dessa vez vou deixar passar a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Essa capa é uma amor. Eu, particularmente, amei, mas o enredo não me conquistou tanto assim. Enfim, gostei dos seus comentários. Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não sabia que ele tinha essa premissa, só o conhecia de capa! Mas, ainda assim não é uma leitura que me chame tanto a atenção...

    ResponderExcluir
  8. Olá linda,

    Livros de adolescentes nunca fazem muito minha cabeça, mas esse parece ser muito indicado para minha irmã caçula que tem 14 anos que ama esses enredos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, acho a capa desse livro tão bonita!
    Tenho vontade de ler ele, pois gosto de histórias narradas em forma de diário, e a trama também me pareceu interessante, com a personagem tendo que se adaptar num novo país.

    ResponderExcluir
  10. Oiii, tudo bem?
    Eu fiquei apaixonada pela sua resenha menina, e achei essa capa um tanto linda, quem sabe eu ainda leia, mas não tenho certeza por não ser acostumada a ler isso diariamente.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  11. Oi Beta!
    Vou te dizer uma coisa: o livro só me chamou atenção por que vi ali um Bridget Jones escrito! Haha
    Gosto de personagens atrapalhadas, embora não seja fã de romances, e acho que a Babi tem um bocado disso. Muita sorte pra ela em Orlando!
    Bj

    ResponderExcluir
  12. Oiee, tudo bom? Ameei sua resenha e conhecer melhor esse livro, que sempre me chamou atenção mas nunca li nada aprofundado sobre. Acho que seria uma leitura bem enolvente para mim, então anotei a dica e espero ler logo :)
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro ainda, mas a premissa me chamou atenção, até mesmo pela mensagem trazida. Realmente sempre devemos perceber que nunca estamos sozinhos, temos sempre alguém para nos ajudar, mesmo que essa pessoa esteja longe. Vou buscar ler o livro, sim.

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Conhecia o livro de vista, mas foi bom ver os assuntos tratados por aqui. Não sei se seria uma leitura que faria no momento, mas quem sabe mais pra frente?! Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Já li algumas resenhas da obra, mas ainda não tive a oportunidade de lê-la.
    A premissa é bem interessante e o que mais me chama a atenção e que acho que tornará a leitura divertida é como a Babi é azarada e dá tudo errado por mais que ela tente fazer as coisas darem certo!
    Adorei saber suas impressões!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  16. Oiee Beta ^^
    Ainda não conhecia esse livro, mas não sei se o leria. Se por um lado eu fiquei curiosa para ver o que de ruim vai acontecer com a protagonista (espero que sejam situações engraçadas...hehe'), por outro, eu não tenho paciência para personagens adolescentes *-* estou um pouco receosa, acho que vou esperar um pouco antes de decidir.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  17. Olá.
    Não conhecia o livro, mas adorei a premissa. E sobre a falta de sorte da personagem fiquei curiosa, acho que ficaria com pena dela também, coitada. ahahhaah.
    Eu amei a resenha, vou colocar na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Eu não conhecia o livro e assumo que não me interessei por ele. Fiquei curiosa por ser um diário, para saber como é a diagramação e tal. A resenha é bem diferente das que eu costumo ver e achei bem legal.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir