sábado, dezembro 17, 2016

Ciao!!!



Tropecei em série de novo! E começando pelo final de novo!
(Sem comentários, né?)
Vamos lá ver a saga do sheik herdeiro reticente?

Poderosa União – Trish Morey – Paixão Glamour 6
(Shackled to the sheikh – 2015 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Tora Burguess e Rashid al Kharim, de Qajaran

O mundo de Rashid virou do avesso diante da notícia bomba de que o pai tinha morrido semanas antes e deixado uma meia-irmã recém-nascida. Em um momento de raiva do destino, Rashid foi para um bar, onde encontrou uma mulher também irritada com a vida. Os dois encontraram formas mais agradáveis de descarregar a revolta com o mundo. Só não esperavam se reencontrar quando ela foi apresentada como a babá da meia-irmã do herdeiro reticente do trono de Qajaran.

Comentários:

- Essa é a típica história de homem rico que se vê sem o controle da própria vida, pira o cabeção, quer colocar a culpa em todo mundo, até quebrar a cara, magoa algumas pessoas até os meios neurônios dele se somarem para formar um e ops, fiz tudo errado! Em alguns casos, é meio chato, mas neste funciona. Porque Tora não aguenta as marmotas da criatura calada.

“– Eu quero outra babá.
– Por quê?
Porque eu não confio em mim quando estou com você.
– Porque uma mulher como você não é adequada para cuidar de uma criança inocente.
Ela riu.
– Uma mulher como eu? Que tipo de mulher é essa exatamente?
– Uma mulher que fica de libertinagem à noite, pegando homens em bares e dormindo com eles.
Ela sorriu para ele e sentiu a ira dele aumentar.
– Mas um homem que fica de libertinagem à noite, pegando mulheres em bares e convidando-as
para ir até seu quarto de hotel... ele é perfeitamente qualificado para ser o guardião desta criança. É
isso que você está dizendo?
– Isso não tem a ver comigo.
– Claramente que não, ou poderia haver dois pesos e duas medidas aqui, você não acha?”
Ponto para Tora!

- Rashid merece um descontinho porque estava satisfeito em ser um engenheiro petrolífero de renome, o único solteiro entre o grupo de amigos que conhecera na universidade, o mais próximo que teve de uma família. Só que agora tudo foi implodido, diante da verdade que ele desconhecia. Ele era filho do sobrinho do Emir, herdeiro escolhido para o trono de Qajaran. No entanto, o filho do Emir subiu ao trono logo após a morte do pai e expulsou o herdeiro favorito. Para escapar, o sobrinho fingiu a morte dele e do Rashid, ainda criança e fugiram para a Austrália, onde se separaram, por questões de segurança. Agora com a morte do regente e também do pai, o vizir foi informar Rashid de que tudo que acreditou sobre si mesmo era mentira, que ele tinha uma meia-irmã de 2 meses de idade para cuidar e o dever de assumir o trono de Qajaran.

- Tora contava com uma herança de família para ajudar um amigo em muita dificuldade. Mas uma notícia muito ruim a deixou irritada e desesperada. Foi neste estado de espírito que a motivou a ir esfriar a cabeça em um bar, onde encontrou um homem muito bonito e igualmente transtornado. Os dois se sentiram atraídos, tiveram uma noite intensa que ajudou a bloquear a raiva e a decepção e ela saiu enquanto ele ainda dormia. O que era para ser um estranho se tornou algo constrangedor quando eles se reencontraram como patrão mal-humorado e empregada. Afinal de contas, ela seria a babá responsável por Atiyah na viagem que fariam para (re)conhecer Qajaran.

- Se você está achando pouco, pensa que quando vem a maré de falta de sorte, costuma ser forte. Por causa de detalhes burocráticos, o vizir acrescenta mais uma encrenca para Rashid resolver, mesmo antes de decidir se quer assumir ou não o trono. Mais um pouco e eu iria recomendar a ele algo que ouvi uma vez numa farmácia: comprar todos os florais possíveis, misturar num balde e tomar de canudinho, porque a vida dele não estava nada fácil...

- Teremos sentimentos ruins perdendo força diante de bons sentimentos. No entanto, teremos muitas complicações no caminho de Rashid para ele provar que é digno de Tora. Sim, o sheik-perdido, herdeiro reticente vai precisar se resolver para saber o que realmente quer fazer e com quem gostaria de compartilhar a vida que teria pela frente.

- No fim das contas, não inventa. E eu estava em dia de bom humor e gostei. Rashid faz as ogrices que eu esperava dele, com o desconto de que ele tinha tanto problema para resolver e provavelmente só os espíritos mais evoluídos reagem com paciência de monge tibetano diante de uma crise tamanho monstro. Tora não levou os desaforos para casa e se manteve digna mesmo quando ele a acusou do contrário. Agora o jeito é ir atrás dos outros livros para ver o que aconteceu com os outros casais.

Irmãos do Deserto
O dever e a paixão – princesa Aisha Peshwah e Zoltan al Farouk Bin Shamal - Paixão 314
A última aposta – princesa Marina Peshwah e Bahir al-Qadir – Paixão 316
Prisioneira do Deserto – Amber Jones e Kadar Soheil Amirmoez – Paixão Glamour 8
Poderosa União – Tora Burgess e Rashid al Kharim – Paixão Glamour 6


Bacci!!!


Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Adorei a resenha... agora vou ter que ler a série toda porque atacou meu TOC literário! hahaha!

    ResponderExcluir
  2. Ah, que maravilha ver uma mulher independente enfrentar um sheik indeciso à altura !!! Louvável até um ponto ele ter dúvida sobre aceitar ou não aceitar reinar por ser herdeiro de trono, mas eis uma oportunidade que ele não deveria rejeitar se ele estava acostumado com comando. Além de que este romance seria muito mais interessante com um sheik empossado ao invés de um sheik indeciso. Teria mais sabor !

    ResponderExcluir