domingo, outubro 02, 2016

Ciao!!!



Se algum dia bater a saudade por um Diana Palmer das “antigas”, recomendo este. Tem os elementos clássicos da escrita da autora, mas por ser curtinho consegue divertir sem fazer a gente passar raiva!

*** Leia sobre Rebelde no Literatura de Mulherzinha ***

Marido no Papel – Diana Palmer – Rainhas do Romance 117
(Paper husband – 1996 – Mills & Boon Short Romance)
Personagens: Dana Mobry e Hayden “Hank” Grant

Dana estava cheia de problemas após a morte do pai. Não tinha experiência e menos ainda a expertise para cuidar de uma fazenda, por menor que fosse. E para agravar, o pai tinha colocado uma cláusula absurda: para ter acesso à herança, teria que se casar com o fazendeiro vizinho, Hank Grant. O homem que, após ser abandonado pela esposa, não queria saber de relacionamentos. No entanto, com a iminente volta da esposa, ele precisava de proteção e um casamento no papel poderia ser a solução... Se eles não complicassem tudo!

Comentários:

- Estamos em Jacobsville, onde Dana, uma jovem realmente inocente guarda há alguns anos uma intensa paixão pelo fazendeiro vizinho, Hank. No entanto, ele não queria saber de relacionamento porque não se recuperou do abandono da ex-esposa. A morte do pai da jovem criou um problema: ela só receberia a herança caso se casasse com Hank. Sem casamento, o terreno seria vendido. Em nenhum momento, o pai dela perguntou o que interessava ao ambos e achou que queria garantir a proteção da filha com um homem em quem confiava. E só pra complicar tudo, a ex-esposa estará de volta em breve e o poder dela sobre os sentimentos de Hank o enche de temor.

- Temos o tradicional “atração-repulsa” seguido de “agrados-grosserias” com “casamento por obrigação”. Vocês podem se preparar para ficar irritados com a passividade do macho da vez diante da temida ex-esposa, que o abandonou por um (então) amigo com mais dinheiro e agora que ele está bem financeiramente ressurge casualmente das cinzas? Aham.

- O que é divertido é que Dana não fica sofrendo abnegadamente como mocinha de novela mexicana (ou de outros livros da Diana Palmer). Ela não está disposta a dar murro em ponta de faca. Ao ter a comprovação de que o interesse de Hank é outro, simplesmente não só toma uma decisão, como a coloca em prática. E quando o fazendeiro se der conta de quem realmente quer, vai ter que agir e convencer antes que seja tarde demais.

- Ou seja, todos os ingredientes clássicos do estilo Diana Palmer estão aí. Como é uma história pequena, vai direto ao ponto, sem prolongar nosso sofrimento nas partes irritantes, com o bônus de ter uma protagonista que não fica fazendo cosplay de planta e toma algumas atitudes.

- E você percebe que é um livro de transição entre os antigos e os mais atuais primeiro pelo ano de lançamento – 1996 – e segundo porque menciona que a dra. Lou era recém-casada! Ah, e o Dane Lassiter faz uma participação importante para o desenrolar da trama.

- Mais detalhes e curiosidades, vocês podem conferir no Romantic Girl, onde a Suelen nos ajuda a entender a bibliografia da Titia Palmeirão.


Bacci!!!

Beta
Reações:

3 comentários :

  1. A única coisa que acho interessante nesse livro é o castigo que a cozinheira impõe ao "mocinho" mané...

    Renan.

    ResponderExcluir
  2. Hank foi bem idiota, né?! Mas eu gosto dele!!!
    E cosplay de planta??? kkkkkkk Menina, de onde vc tira essas coisas??? Eu adorei, kkkkkk
    Esse livro é uma graça mesmo, né?! Eu releio em inglês o tempo todo. Agora vou poder fazer isso em português tb!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  3. Que história eh essa de fazendeiro grandão precisando de proteção contra sua ex-esposa canalha por meio de um casamento imposto indejado com noiva imposta indejada, graças ao seu temor de macho pelos seus sentimentos pela sua ex-esposa ?! Ora, mas que herói covarde é esse ?! Mas tem uma heroína que está de parabéns por não ser um capacho desgastado, posicionando-se nesse ínterim espinhoso mesmo !

    Um porém: como assim Diana Palmer não tinha aquela veia sádica terrível contra suas heroínas antigamente ???!!! O que que aconteceu com ela para ela tornar-se bruxa malévola e madrasta perversa para com suas filhinhas de papel, fazendo-as sofrerem, sofrerem, sofrerem ao ponto de definhar ou de ficar com seu ego nulo ???!!! Porque eu nunca li um romance dessa mulher nesse estilo divertido !!! Deuses !!! (surtando)

    ResponderExcluir