quarta-feira, junho 29, 2016

Ciao!!!


Foto: Nathalie Guimarães


Todo mundo já sabe que eu adoro a Marina Carvalho, né? Aproveitando o lançamento recente de  O amor nos tempos do ouro, ela esteve em Juiz de Fora, onde conversou com os fãs no bate-papo comGraciela Mayrink e depois autografou livros no estande da Bom Senso.

Depois do bate-papo, foi a minha vez de conversar com ela. O primeiro assunto foi a impressão que teve da Bienal de Juiz de Fora. 

Eu estou encantada, é a palavra que primeiro vem à minha cabeça. Porque está muito organizada, com programação eclética, para diferentes idades, da criancinha até o adulto. Estou bem impressionada com a qualidade do evento e espero que ele permaneça no calendário da cidade”.

O amor nos tempos do ouro foi o primeiro romance histórico dela. Quem a segue nas redes sociais, acompanhou informações sobre a pesquisa e a escrita da história de Cécile e Fernão (lembro até dos palpites para escolha dos nomes de personagens). Por isso, perguntei se após o processo, ela estava apaixonada por romance histórico.

Eu apaixonei. Primeiro pela História do Brasil, eu sempre gostei muito de História, mas nunca fui além do que aprendi na escola e na faculdade. Ai resolvi então começar a fazer pesquisas mais didáticas sobre a História brasileira. Acabei viajando para Portugal para fazer um laboratório do outro lado, para ver outra versão da história. Eu terminei este livro um pouco carente, pensando ‘agora acabou, o que vai ser?’”.

Algumas sugestões de fãs são bem-vindas e até vão parar no livro. Como ocorreu com alguns pontos de O amor nos tempos do ouro, segundo Marina.

Eu tenho o grupo de Fãs no Facebook e lá é onde eu mais me exponho, deixo levar, solto muito spoiler e acieto sugestões. Muito que eu escrevi neste livro, a carta do Fernao e o diário de Cécile, veio de sugestões de lá”.

Melhor que um romance histórico da Marina Carvalho, são mais romances históricos de Marina Carvalho. Exatamente, para nossa alegria, deu tão certo que terá sequências!

“E a Editora Globo pediu para manter a pegada histórica. Já tenho até outros projetos de escrever mais romances contemporâneos, outro chicklit, mas no momento o próximo que será o segundo [da série O amor nos tempos do ouro] e no ano que vem muito provavelmente o terceiro, porque a ideia é fazer três”

Só que antes da gente reencontrar com Cécile e Fernão, temos outro compromisso: rever Bernardo – com quem vivemos uma relação vontade de bater x vontade de apertar & outras coisinhas – contando um pouco mais que a história dele e Rafaela (que já vimos em Azul da Cor do Mar).

“O Bernardo vem em setembro, com A Menina dos Olhos Molhados. Uma narrativa 100% dele. É a versão dele, mas com elementos do passado. Há um casamento de passado e presente e aí a gente vai entendendo porque de ele ter aquela personalidade tão truculenta. Ficou uma história de vai e volta no tempo para incrementar e não ficar aquilo que todo mundo já conhece narrado por outro personagem”.


Bacci!!!


Beta
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário