sábado, junho 18, 2016

Ciao!!!




Penúltimo dia de Bienal foi para grandes encontros!!!!

Segura a marimba, Capscolé!! Olha quem veio à Bienal para felicidade da blogueira #TeamStark!!!

E olha o coração acelerando: a nova versão a Coleção Vagalume!!!!!

Já tinha lido sobre a reformulação, mas não tinha visto de perto.

Abri e olhei. É muito lindo!!!
A blogueira que jura que seria da Corvinal já registra uma linda sugestão
de presente de niver em 2016 #sonharnãocustanada

No Auditório 1, mesa redonda!


A autora Gisele Souza, da Editora Charme, autografou seus livros na Livraria Ca d'Ori. Ela contou que adorou a recepção e a movimentação na Bienal de Juiz de Fora

Sim, teve entrevista especial para o Literatura de Mulherzinha! Em breve!!!


Às 16h, começou o bate-papo com a Patrícia Barboza. Ela está lançando a versão atualizada de "Confusões de um Garoto" e é autora da série As MAIS, tudo lançado pela Verus Editora.

Ela destacou que trabalha em seus livros a mensagem de que as pessoas devem decidir e agir por aquilo que querem ou acreditam. 
"As minhas personagens são as protagonistas das suas vidas. Porque a gente fica 'quando eu fizer 18 anos' ou 'depois que acabar a faculdade'. A gente passa o dia querendo muitas coisas, mas não age para conseguir.  Através dos meus personagens, eu tento incentivar os meus leitores adolescentes para que eles transformem os seus quereres em decisões e vão atrás disso"
Uma leitora perguntou a Patricia Barboza alguma personagem da série As MAIS foi 100% inspirada nela.
"Sempre tem alguma coisinha do autor na história. Emprestei algumas coisas minhas para as MAIS. Eu sou atrapalhada como a Mari, deixo coisas caírem várias vezes ao dia. A Ingrid é romântica. No entanto, sou o oposto da Suzana. Ela namora o rapaz famoso que toca violão - quem nunca se apaixonou pelo vocalista de uma banda? Eu sempre! - e eu era a pior aluna de Educação Física na escola. Neste ponto, a Suzana realizou um pouquinho algo que eu gostaria de ser. Então sempre tem coisas minhas ou que eu gostaria de fazer". 
A autora também contou como busca informações na preparação dos seus livros. Vale pesquisas e até entrevistas para entender melhor a rotina dos personagens.
"Eu faço muitas pesquisas na internet, converso com as pessoas. Para entender como era ser atleta e criar a Suzana, eu entrevistei o time feminino juvenil de vôlei do Botafogo. Conversei com as jogadoras, o técnico, as mães para ter essa visão ligada à ela".
E para escrever e atualizar Confusões de um Garoto, o desafio foi entender como um garoto pensa. Além das entrevistas e da observação, valeu até agir como "infiltrada" durante pesquisas na internet.
"Justamente quando eu estava fazendo esta pesquisa, apareceu um congresso online masculino para conquistar as mulheres. E eu: 'opa, peraí', o banner no Facebook me chamou a atenção. Aí cliquei e entrei no site. Eram várias palestras gratuitas pela internet com várias especialistas para dar dicas para os caras aprenderem a paquerar as mulheres, a chegar, a conversar. Pensei que seria alguma furada, mas mesmo assim conferi. Fiz um e-mail como 'Patrick', me inscrevi e comecei a assistir às palestras para me inspirar para escrever o Zeca".
O resultado desta "espionagem" ajudou não só a entender como Zeca reagiria a alguns tipos de situações, mas também quebrou um esterótipo que Patricia Barboza tinha sobre o universo masculino.
"Eu percebi que tinha uma crença negativa que consegui curar, de que 'homem não presta, homem só quer paquerar, não quer saber de nada'. Não tem nada disso. Como eles estavam achando que só tinha homem assistindo, eles estavam tranquilos. Eles numa boa falando que tinham insegurança, que se sentiam tímidos para paquerar, para chegar perto, para conversar. Todos aqueles sintomas que falei de sentir a mão tremendo, a perna tremendo, ficar gago, sem assunto, isso também faz parte do universo masculino, A gente tem a crença de que homem é bem resolvido. Não é. É questão do ser humano, se sentir inseguro, com medo de ser rejeitado, essas coisas assim. Foi um exercício bem legal na hora de escrever"
 Depois do bate-papo teve autógrafos no estande do Grupo Editorial Record na Bienal do Livro:


E é claro que também conversei com a Patricia Barboza e o resultado você vai poder conferir em breve no Literatura de Mulherzinha!

Confira mais sobre Gisele Souza Patricia Barboza. E as fotos do sábado na Bienal de Juiz de Fora estão no Facebook do Literatura de Mulherzinha e para outras informações e entrevistas visite o LdMnaBienalJF!!!

E não perca neste domingo, a despedida da 1ª Bienal de Juiz de Fora com a presença de Carina Rissi!!!

Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Cobertura muito legal, adorei! Foi uma honra participar!

    ResponderExcluir