quinta-feira, abril 28, 2016

Ciao!!!





Um duelo de egos, de convicções, de visões de mundo, de personalidades, de liderança chega hoje aos cinemas brasileiros como – oficialmente – o 3º filme do Capscolé e extraoficialmente – o 3º dos Vingadores e o 4º do Homem de Ferro.


Não li os quadrinhos de Mark Millar e Steve McNiven que serviram como base para o filme nem para esta novelização. Mas, ao encontrar a história em formato de livro – a um preço lindo, tão lindo, divino e maravilhoso na livraria – não resisti e o incluí na farra da compra desenfreada que fiz no Natal. Afinal de contas, já tinha em mente que seria a leitura perfeita para esta quinta-feira.

Guerra Civil – Stuart Moore – Novo Século
(Civil War Prose Novel – 2014)
Personagens: #TeamCap x #TeamStark, governo, S.H.I.E.L.D e população

Uma desgraça causada por um supervilão cercado por jovens e inexperientes heróis envolvidos em um reality show matou 853 pessoas, muitas crianças, em Stamford, desencadeia uma reação da população e do governo contra os superheróis. É aprovada uma lei que obriga todos a se registrarem, revelando suas identidades secretas, poderes e fraquezas. Consumido pelo remorso, Tony Stark se oferece para liderar o projeto. No entanto, o Capitão América considera a lei um absurdo e reúne um grupo de rebeldes na Resistência á Lei, para mostrar que os super-heróis eram importantes como forma de convencer a população a rejeitar o registro. Mais cedo ou mais tarde, os dois lados vão se enfrentar em conflito e nada mais será como antes.

Comentários:

- Guerra Civil na verdade revela o quanto Capitão e Tony Stark guardam ressentimentos fortíssimos um do outro. Uma conversa franca poderia ter destacado que, no fundo, os dois queriam a mesma coisa: que os super-heróis continuassem garantindo a segurança da humanidade contra qualquer tipo de vilão. Só que a tragédia de Stamford fez Tony entender que era necessário, sim, saber quantas pessoas com super-poderes ou habilidades extraordinárias existem, quem eram e do que eram capazes. O Capitão percebe que é uma forma de um governo humano controlar aqueles que são diferentes. De certa forma, os dois estão certos. E se tivessem conversado e buscando, juntos, uma alternativa, muita dor e morte teria sido evitada.

- O que temos são duas pessoas carismáticas e inteligentes, por quem outros se arriscariam a mover montanhas, se recusando a dialogar por antipatias prévias. E ainda porque um se recusava a ceder ao outro. Não há santos, nem salvadores messiânicos em Guerra Civil. Cada um pensa nos próprios interesses conforme o cenário político e social. Como a Física diz: “para cada ação, há uma reação contrária de igual força” – e quando o embate envolve uma Lenda Viva e uma das mentes mais inteligentes do mundo, vocês podem prever o grau de encrenca em que estará o mundo envolvido.

- Wolverine faz uma ponta; Doutor Estranho e X-Men são citados (o que é uma pena, porque o bom senso do Professor Xavier seria tããããããããão bem-vindo), o Quarteto Fantástico é protagonista, Homem-Aranha tem uma trama própria sobre a eterna cruz dele, até Namor e os guerreiros atlantis aparencem. Supervilões podem se aproveitar do quadro. A S.H.I.E.L.D, sob o comando de Maria Hill, está disposta a tudo para caçar os rebeldes. Famílias são divididas, aliados se tornam inimigos, supostos aliados são espiões. Nada está sob o controle dos dois líderes e o tom de tragédia gigante a caminho só aumenta até a gente se questionar como será possível impedir?

- Pela pesquisa que fiz, há sérias diferenças entre os Quadrinhos originais e a novelização. Com certeza, o filme será ainda mais diferente, por não contar com vários personagens (X-Men e Quarteto Fantástico são da Fox, Doutor Estranho só em novembro, Namor nem deu as caras, só pra ficar nos que citei) e também por ter uma dinâmica própria, com outras situações que foram conduzidas para levar ao embate chamado Guerra Civil.

- Falta ler a HQ para formar uma opinião; pelo livro, os dois estão errados e, graças a egos gigantes e birra um com o outro, não percebem isso. No MCU, quem me segue nas redes sociais, sabe que sou #TeamIronMan porque sofro de uma séria antipatia pelo Capscolé (não pelo ator, o Chris Evans não tem nada a ver com a antipatia). Depois que assistir ao filme, posso acrescentar um PS. se ainda mantive a opinião.


- Links: Goodreads livro e autor; Skoob; site da editora.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Já eu sou #TeamCaptain porque adoro o capitão (se tivesse a chance de ter um único membro dos vingadores como amigo minha escolha recairia automaticamente sobre Steve Rogers, talvez porque também tive minha cota de surras na infância e admiro pessoas leais e decentes) e não sou exatamente fã de Tony Stark, que seria a última pessoa com quem eu dividiria um café da manhã. Mas ainda não sei se assistirei o filme, pois estou num momento em que preciso ir ao cinema para me divertir, não para me angustiar ou ficar tenso.

    Renan.

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu amo Capitão América por algumas razões e eu amo Homem de Ferro por algumas razões. Nenhum deles é meu preferido mas eu pendo mais para Capitão América pelo seu senso de responsabilidade, sem aquele ar de todo-poderoso-fodástico que seu aliado-antipatia tem. Portanto eu sei que chorarei muito em um filme próximo em que ele aparecer. Eu concordo com ambos, mas aliei-me ao Capitão América. Controlar ? RÁ !

    ResponderExcluir