domingo, fevereiro 14, 2016

Ciao!!!!



No tempo dele, trabalha temas como família, primeiro amor, adolescência, amizade, bullying, saudade.
E mesmo mexendo em coisas pesadas, consegue manter a doçura e ser fofo.

Para todos os garotos que já amei – Jenny Han – Intrínseca
(To all the boys I’ve loved before - 2014)
Personagens: Lara Jean Song, as irmãs, o pai e cinco cartas

Uma vez uma garota Song, sempre uma garota Song. Este era um dos ensinamentos da mãe falecida que as irmãs Margot, Lara Jean e Kitty tentavam manter vivos. Margot vai estudar na Escócia e as duas irmãs estão tentando se adaptar à dinâmica sem a irmã mais velha. Enquanto isso, cinco cartas que Lara Jean escreveu para garotos por quem foi apaixonada sumiram e foram misteriosamente enviadas para os destinatários, criando desdobramentos que vão deixar Lara Jean muito confusa e encrencada.

Comentários:

- Um dos méritos do livro é mostrar a adolescência partindo de um núcleo familiar normal. As irmãs Song Covey lidam com a perda da mãe, anos antes, mas possuem uma relação saudável com o pai e com a avó. Entre elas, não é nada perfeito, são como irmãs reais: Margot, a mais velha e líder; Lara Jean a do meio e a caçula Kitty, que tanto quer um cachorrinho. Há os momentos em que se unem, em que se detestam, em que odeiam perceber que elas sabem mais do que querem mostrar, em que conversam sobre tudo e sobre nada. Ou seja, gente como a gente.

- Justamente por isso é compreensível entender como Lara Jean gostava de analisar os próprios sentimentos quando envolviam garotos. Esperava a paixão acalmar e escrevia uma carta para o garoto, se despedindo dele. As cartas serviam como um momento de reflexão, uma forma privada de dar fim e seguir a vida. Elas ficavam guardadas em uma caixa de chapéus azul-petróleo. Um dia, a caixa sumiu. Desapareceu. E em seguida, Lara Jean teve o constrangimento de descobrir que alguns garotos receberam as cartas. Como tudo sempre pode ficar mais complicado ainda, um dos garotos é Peter Kavinsky, lindo e alvo da babação das meninas da escola. Outro é Josh Sanderson, vizinho das garotas Song e o namorado com quem Margot rompeu antes de ir para a universidade na Escócia.

- No desespero de escapar da situação de ver seus sentimentos (embora antigos – ou será que não?) pelo ex-namorado da irmã expostos claramente para ele, Lara Jean inventa um namoro de mentira com Peter, que estava passando por um rompimento com Genevieve, a linda do colégio. Só que ela não lida bem com a mentira e só se complica. Para piorar, Geneviéve é a ex-psicopata, que não compra nem vende nem desocupa a venda, porque tem certeza de que Peter é para usos e frutos só dela, mesmo que ela não o queira e esteja com um cara da faculdade.

- O livro desenvolve a trama mostrando as complicações, as furadas, os dramas existenciais de uma menina que sempre optou por ser a observadora, não a observada; que não se via (pelo menos, até então) na dinâmica onde outras garotas já estavam – festas, ficantes, crushes, bebidas, sexo. De repente, lá estava ela agindo como “uma garota normal” (isso é dito a ela em determinada passagem). E confusa entre Josh e Peter, sobre como lidar com esta alteração tão brusca de sua rotina segura.

- Claro que você entende que problemas graves vão acontecer – afinal de contas, isso é muito anunciado durante o livro. E então devo antecipar o único defeito. A trama termina sem concluir. Há uma nova mudança na dinâmica dos personagens que não é 100% resolvida. Afinal de contas, há uma sequencia, anunciada no fim do livro – que chega às livrarias agora em 11 de janeiro – que eu, com a curiosidade escorpiana/ geminiada devidamente atiçada, espero ler logo para ver como será solucionada.

- No mais, cenas emocionantes entre pai e filha; bem perto da realidade entre as irmãs; muito divertidas e fofas entre Lara Jean e os garotos para quem escreveu. Queria que Lara Jean ficasse mais forte para lidar com o problema que teve que enfrentar na reta final da forma como ele merece. E sobre como as cartas foram enviadas, o que posso dizer é que nunca mexa nas coisas de um escorpiano sem autorização. É problema sério. Muito sério mesmo. Se Lara Jean fosse escorpiana, algumas coisinhas teriam sido diferentes neste livro. Ainda bem que ela não é. É bom ver o mundo por outra ótica.

Serie 
To all the boys I’ve loved before – Para todos os garotos que já amei
P.S.: I still love you – P.S: Ainda amo você – lançado em 11 de janeiro


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. A capa desse livro me lembrava de "Se Eu Ficar" por conta da fonte. Como eu detestei o outro livro a associação ruim estava me afastando de procurar saber sobre esse, mas que bom que resolvi ler essa resenha. Ver uma história em que a família não é a catástrofe toda que sempre rola e a dinâmica das irmãs me animou para querer ler!

    XX
    Pryh
    http://liriosaomar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oh, uma dinâmica amistosa e encrenqueira em medida certa entre irmãs é muito bem vinda, mas eu ficaria uma cobra caninana ao saber que meus pertences foram remexidos e meus segredos foram revelados dessa forma - eu adoraria saber quem foi que postou aquelas cartas, com endereço certo para cada uma, depois de tanto tempo ! Eu poderia imaginar muito bem todo constrangimento que ela teve de enfrentar então !

    ResponderExcluir