domingo, novembro 01, 2015

Ciao!!!



Na corte do rei Eduardo, histórias de amor começam das formas mais inusitadas. Mesmo que seja para impedir outro romance. E que transformem em parceiros os mais reticentes dos aliados.
E com uma capa linda, que te cativa à primeira vista!
Preciso dizer que gostei?

Rumores na Corte – Blythe Gifford – Harlequin Histórico 161
(Whispers at Court – 2015 – Harlequin Historicals)
Personagens: lady Cecily, condessa de Losford, e Marc de Marcel

A guerra entre França e Inglaterra tinha causado perdas aos dois lados. Um grupo de reféns estava na Inglaterra aguardando o pagamento do resgate. Alguns privilegiados receberam a honra de conviver com a corte. O carismático e envolvente Enguerrand de Coucy logo atraiu a atenção de Isabella, a filha favorita do rei. Com medo de que o flerte comprometesse a princesa, lady Cecily, decidiu proteger a amiga. Para isso, encontrou no cavaleiro Marc de Marcel um reticente aliado. Ela detestava os franceses. Ele não gostava dos captores ingleses e contava os dias para ser libertado. Quanto tempo levaria para ambos mudarem de ideia sobre isso e muito mais?

Comentários:

- Ah, casal que não se suporta mas é obrigado a trabalhar em conjunto. Ah, casal onde cada um pensa ter ressalvas sobre o outro. Ah casal que não percebe quando o sentimento muda. Ah, história de amor que não surge num estalo, mas é construída em pequenos e grandes momentos. Ah, leitora babando aqui por ler um livro que a fez esquecer por alguns momentos de dias tensos, exaustivos e um tanto amargos.

- Em três anos, Lady Cecily perdeu o pai na guerra – e culpa os franceses por isso – e a mãe durante uma caçada. Agora sozinha, ainda perdida no luto próprio, ela sabe que terá que assumir os deveres esperados de uma condessa, inclusive se casar, afinal de contas o castelo é vital para a defesa da Inglaterra. Marc perdeu os pais ainda muito novo e foi acolhido por lorde de Coucy. No entanto, era apenas um cavaleiro sem fortuna, mantido refém por les maudits (como ele se referia aos ingleses), dependendo de que o conde d’Oise pagasse o resgate para voltar para o lugar que ele conhecia como lar.

- Lady Cecily percebeu o perigo no plano de Isabella em ter um flerte com o charmoso refém francês e decidiu convocar o homem mais próximo dele para ajudá-la na missão de vigiar e impedir que os pombinhos inconsequentes fossem longe demais. Só que Marc pretendia ser “agente duplo”, ou seja, não trair o amigo que pretendia usar a influência da princesa para conseguir um favor pessoal junto ao rei.

- Cecily e Marc são forçados a conviver e por isso percebem que as primeiras impressões sobre o outro e o povo de cada um podiam estar muito equivocadas. E estes são apenas os primeiros questionamentos que eles farão sobre os pensamentos, sobre a forma como enxergam a vida e sobre si mesmos. No meio do caminho, o que começou como uma antipática aliança de conveniência pode ganhar novos contornos. A princípio, inesperados, confusos, intensos e complicados. Afinal de contas, Marc continua sendo um refém francês e Cecily uma condessa que terá o marido escolhido pelo rei.

- A autora não corre com a trama e soube explorar bem a pesquisa realizada para criar a história, sem desperdiçar informação onde não seria útil. Afinal de contas, mais uma vez, Blythe Gifford parte de fatos reais para reimaginar como era a corte de Eduardo III (ela explica e detalha quais são em uma carta no posfácio). Aprendemos detalhes curiosos sobre situações de guerra, a rotina dos reféns à espera do resgate que não era pago, o código de conduta entre cavaleiros, as negociações entre reis que se desenrolavam em festividades sem fim e sem resultado, como a corte celebrava o Natal. Entendemos as fraquezas e as ansiedades de Marc e de Cecily, de nunca estar a altura do que era esperados, de não serem suficientes para ninguém.  

- Ah, existem duas menções discretas ao livro anterior. A primeira quando Cecily cogita o que terá ocorrido com Anne de Stamford e a segunda quando a rainha Philippa diz que está com saudade do filho Eduardo, que se mudou após se casar com lady Joan.

- E se você leu a mensagem escrita pela Blythe Gifford para o Literatura de Mulherzinha, lembram que eu comentei que havia um segredinho que ela me contou e que eu só comentaria aqui. É que ela comentou que está pesquisando para o terceiro livro da série, que seria protagonizado por alguém que está em Rumores da Corte. Sim, tenho um nome em mente, mas não vou comentar. Vou esperar que vocês leiam e comentem aqui para ver se chegamos à mesma conclusão ;)

Série Royal Weddings
1. Secrets at Court – Segredos da Corte – Harlequin Historicos 156
2. Whispers at Court  Rumores na Corte - Harlequin Históricos 161 (lançamento em outubro de 2015)


Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Essa autora tem mesmo dom de saber o que escrever para cativar seus leitores em uma de suas series !!! Eu amei esse frances e sequer comecei a ler esta serie ainda !!! Eu estou sentindo muita simpatia pela heroina tambem porque ela demonstrou nao ser uma submissa apatica que nao tem capacidade de um gesto de comando ou de vontade que seja !!! Esse romance sera maravilhoso de ser lido e de ser saboreado mesmo !!!

    ResponderExcluir