domingo, junho 28, 2015

Ciao!!!




No post sobre Mais do que um casamento de conveniência, eu comentei que nem todas as pessoas acham Veneza a cidade mais romântica do mundo. Eu, por exemplo, prefiro Florença. No entanto, uma relevante parcela considera que o título permanece ali na região do Vêneto, no norte da Itália, mas em uma cidade marcada por uma história local eternizada por William Shakespeare.
Lucy Gordon usa Verona como cenário desta trama que reflete bem o drama do desencontro do casal protagonista.

Outra vez o amor – Lucy Gordon – Harlequin Special 2 Histórias 101 (Amor na Itália)
(Reunited with her Italian ex – 2014 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Natasha Bates e Mario Ferrone

No cenário do desencontro que causou a tragédia dos jovens amantes Romeu e Julieta, ocorreu o improvável, Mário e Natasha se reencontrarem. Dois anos antes, eles se conheceram, se apaixonaram em Veneza, mas a certeza de que era apenas mais uma conquista de um playboy fez Natasha ir embora sem olhar para trás. Agora, ela precisava recomeçar a carreira e a chance de fazer artigos que relacionassem os hotéis da Verona aos marcos da história dos mais famosos moradores atribuídos ao local. Justamente ao lado do único homem pelo qual ela se permitiu apaixonar e que partiu seu coração.

Comentários:

- Minha longa experiência como leitora foi o que me impediu de levantar bandeira pró-Natasha ao final do prólogo que narra o fim do relacionamento dela com Mário em Veneza. A pressa com que ela tira conclusões a partir do que é obrigada a presenciar e o jeito como foi embora sem dar chance a Mario de falar o lado dele já ligou o pisca-alerta de que a situação mal resolvida não era apenas o que aparentava.

- Dois anos depois a durona, independente, criativa, talentosa jornalista Natasha está às voltas com um homem que não sabe ouvir nem respeitar o “não” de uma garota. Após recusar claramente os avanços do empresário rico e poderoso, ela se viu banida de diversos jornais e revistas na Inglaterra. No entanto, surgiu uma oportunidade de substituir uma amiga em um trabalho free-lancer para a comunidade hoteleira de Verona: uma série de artigos que liguem os estabelecimentos ao mito de Romeu e Julieta. Ela fez as malas foi para a Itália e, surpresa: o presidente da comunidade hoteleira e, portanto, chefe dela era o Mário!

(Nem precisam fazer a piadinha infame, porque ela sabe muito bem qual Mário e ele sabe muito bem qual Natasha)

- Natasha está certa de que foi traída por Mário e ele está certo de que ela o traiu ao não confiar nele. A encrenca é que, desde pequena, ela foi ensinada que os homens não são dignos de confiança porque abandonam as mulheres que os amam sem remorso e sem satisfação. E sabendo que Mário era um charmoso jornalista que atraía todas as mulheres, podendo ter várias ao mesmo tempo, ela sabia que ele não poderia ser diferente. Quando eles se reencontram, Mário não parece o mesmo. Largou o jornalismo, se tornou hoteleiro como o irmão, só que em outra cidade, estava mais sério, mais contido, aparentemente menos leve, mas ainda assim capaz de causar impacto em qualquer recinto com representantes do sexo feminino. E ele apenas destacou que ela foi covarde ao não deixá-lo se explicar porque tinha medo de que estivesse errada. De que tudo que sempre acreditou não se sustentasse.

- Com esta dúvida pairando entre eles, ambos trabalham juntos e desenvolvem um projeto que é abraçado pelos hoteleiros. Enquanto desbravam a cidade atrás de Romeu e Julieta, acabam dissecando o passado comum e esbarrando nos problemas do stalker-tarado de Natasha. Não é um livro perfeito, há algumas pontas soltas, soluções rápidas e aparentemente simples demais para situações complexas (ok, entendo que nem sempre é necessária uma super-produção, mas sabe quando você acha que “tanta confusão para acabar assim???”), mas consegue ser uma história boa de ler. Por Mário.

- Não são apenas o sentimento e a confiança de Natasha que estão em risco neste reencontro. O ponto crucial é o limite da capacidade de Mário suportar ser considerado menos que digno para os padrões dela. Porque, sendo muito sincera, se fosse o contrário, xingaria a onipotência do protagonista que se julga sabe-tudo. Natasha tem certezas demais construídas em cima de fatos que ela conhece parcialmente. Chance de isso funcionar? Ainda bem que todos sabem que amar em Verona não é fácil. Em vários momentos, me vi desejando alguém mais legal para o passional e protetor Mário.

Apesar de não estar creditado nem no Goodreads nem no site da autora, este livro faz parte de um dueto. E a Harlequin Brasil teve a sacada (ALELUIA!) de publicar as histórias dos irmãos Ferrone em edição única. Afinal de contas, reencontramos Damiano, Sally, Pietro, Toby e Charlie aqui e sabemos como eles ficaram alguns anos depois. Os desdobramentos da dinâmica da família Ferrone baseada em Veneza e como Mário se encaixa neste contexto.

Dueto irmãos Ferrone:
* Publicados na Harlequin Special 2 Histórias 101 - Amor na Itália
1 - Mais do que um casamento de conveniênciaNot just a convenient marriage – Sally Franklin e Damiano Ferrone
2 - Outra vez o amor – Reunited with her Italian ex – Natasha Bates e Mario Ferrone


Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. eu tenho esse livro e vou cadastrá-lo no goodreads.

    ResponderExcluir
  2. Um romance mais denso que seu parceiro de dueto, mas tem seus encantos, embora eu preferisse que esses irmãos tivessem um vinhedo ao invés de um hotel porque vinhedos são mais lindos que hotéis. Ela está certa em ser cautelosa. Ele está certo em ter ficado magoado. Mas ambos deveriam saber ser mais empáticos entre si. Eu preciso saber dessa história de stalker tarado em seus calcanhares também !!!

    ResponderExcluir