sábado, setembro 06, 2014

Ciao!!!



Continuações geralmente são um problema. Que os digam todo autor e todo cineasta que teve a ideia de fazer uma sequência. É a missão de manter (sem repetir) o espírito original e avançar, apresentando novos aspectos e te prendendo a cada página.
Então, comunico a vocês que a Marina Carvalho marcou um golaço ao trazer mais uma etapa na vida de Ana, princesa de Krósvia.

De repente, Ana – Marina Carvalho – Novas Páginas
(2014)
Personagem: Ana Carina Bernardes Markov, princesa de Krósvia

Dois anos e meio depois, Ana vivia a rotina das atividades como princesa de Krósvia e namorada do Alex, se equilibrando entre os deveres reais e a vida como uma jovem “normal”. No entanto, um acidente muda tudo. Ana é forçada a lidar com o pai entre a vida e a morte e com as pressões de ter que assumir o trono sem estar vagamente preparada para isso. Claro que a oposição encontra nela um bode expiatório ideal. E Ana se sente perdida em meio a tanta pressão e não consegue nem rezar por uma luz no fim do túnel.

Comentários:

- O que eu mais gosto nos livros, além do jeito leve e gostoso da autora escrever, é como ela usa os clichês a favor. Afinal de contas, querendo ou não, todos crescemos sob a sombra das princesas da Disney – que são releituras brandas de contos de fadas não tão fofos assim. Some-se a isso o “incrível” trabalho da imprensa de celebridade que reforça o “padrão real” no nosso dia a dia (Kate Middleton que o diga. Não pode fazer nada sem ter um clique. Sem contar o papel dos paparazzi na morte de Lady Di). E no meu caso específico, acrescente ainda ter revisto recentemente - por obra da programação da TV por assinatura - o clássico "A princesa e o plebeu", com a minha diva-mor Audrey Hepburn (eu amo a história da princesa estressada à beira de um colapso nervoso que foge do castelo e acaba tirando um "dia de folga" ao lado de um jornalista em Roma). Ou seja, ela usa elementos deste imaginário - que está por aí, aqui e ali, na cabeça das pessoas - para criar a base da história.

- Ana está acostumada com a rotina de princesa, equilibrando as tarefas sociais e aprendendo mais sobre o país do pai. Ela está firme e forte com o Alex, com aquelas coisinhas boas e chatinhas típicas de namoro. Só que tem uma intuição de que algo ruim está para acontecer e acontece: o pai dela sofre um acidente e fica internado em estado grave na UTI. Sem rei, Ana é forçada a assumir o governo, sem a menor noção do jogo político na Krósvia, guiada por um chefe de relações públicas que pega no pé dela sem dó e piedade. Se não souber como agir, Ana corre o sério risco de ser destruída pela pressão. Como desgraça pouca é bobagem, a ex do Alex, a venenosa “nome de cachorro” ressurge das cinzas disposta a aprontar. Haja paciência e coração!

- E não vou contar mais nada, porque o livro tem algumas coisas muito legais que exigem que o leitor descubra. A narração continua em primeira pessoa, mas com um acréscimo bem interessante para a narrativa. Ah, sim, seguir a intuição nem sempre é problema. E temos que aprender a lidar com aquele povo que só quer saber de derrubar os outros (porque sempre tem gente assim e você nem precisa ser princesa para sofrer isso). Ah, quaisquer menções a Bon Jovi (já que sou uma fã do grupo por osmose) e Backstreet Boys me fazem rir (nada como ter boas lembranças, né?). Se eu já tinha gostado do primeiro, posso dizer que amei ainda mais o segundo, que conseguiu dar sequência às aventuras, desventuras e loucuras da vida da Ana como princesa, sem perder a personalidade, tanto da autora quanto da personagem.  

Série Ana:

* Simplesmente Ana – 2013
* De repente, Ana – 2014
* Elena, a filha da princesa - lançamento em abril de 2015 

A autora disse em entrevista ao G1 da Zona da Mata (sim, blogueira pautou a jornalista de novo) que a série terá um terceiro livro, mas com outros protagonistas. Tenho minhas suspeitas, mas não vou contar aqui. Leiam e criem as suas. Quando ela divulgar oficialmente, publico aqui :)

Links: Goodreads autora e livro; site da autora (onde está rolando um concurso para ser Beta Reader do 3º livro da série), mais sobre ela no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta 
Reações:

Um comentário :

  1. Zeus, eu imagino que carga deveria ser herdar um reino inteiro ao ver seu pai e seu rei em queda graças a um acidente sério que colocou-o entre morte e vida sem que você tivesse oportunidade de saber o que fazer para reinar, orientada pelas mãos dele. Mas eu não creio que seria possível que ela não houvesse aprendido e estudado sobre como ser rainha em alguns momentos de "aulas diárias" nesse dois anos e meio ... Tadinha ...

    ResponderExcluir