domingo, julho 27, 2014

Ciao!!!




Mais um provável candidato a aparecer na minha lista de melhores do ano. Gosto de histórias simples que não precisam inventar moda para nos emocionar.
E que ainda serve de alerta sobre o quanto a gente se perde nos caminhos da vida.

A lista de Brett – Lori Nelson Spielman – Verus
(The Life List - 2013)
Personagens: Brett Bohlinger

A vida de Brett não estava fácil, a mãe com quem ela tinha uma ligação incrível morreu. Além da dor do luto, o choque de descobrir que a mãe deixou tudo planejado para o próximo ano. Brett teria que cumprir os sonhos que escrevera em uma lista quando tinha 14 anos. Sem entender os planos da mãe, que a afastou de tudo que era seguro e a forçou em uma jornada nada fácil atrás de quem ela era e quem queria ser de verdade.

Comentários:

- Comecei a ler este livro às 7 da noite, quando cheguei do trabalho. Acabei às 11h30, mesmo assim porque fiz umas pausas para lanchar, para voltar a sentir a circulação nas pernas (sim, gente que começa lendo na postura correta e termina testando a flexibilidade do corpo em formas absurdas) e parei para ver O Rebu (se não estão vendo, assistam. É bom demais).

- Elizabeth Bohlinger morreu muito nova. Todo o sofrimento e luta foi acompanhado pela filha, Brett, a caçula dos três filhos e a única menina. A dona de uma empresa de cosméticos deixou uma herança enorme aos filhos e uma missão para a filha: parar de se esconder atrás de uma vida confortável e em busca de uma aceitação desnecessária e ser quem sempre quis. Para isso, a mãe estipulou que ela completasse uma lista de 20 sonhos que escreveu quando era uma adolescente. E faltavam 10 metas para cumprir. Mesmo as mais simples agora soavam estranhas, como se ela fosse obrigada a escalar o Everest ou salvar o mundo de uma invasão alienígena. Só que se quiser receber a herança, terá que cumprir uma por mês até 13 de setembro do ano seguinte. E tem algumas metas idealizadas pela Brett adolescente que soam impossíveis para a Brett adulta, confusa e insegura nesta maré onde tudo é incerto.

- Em alguns momentos você se compadece de Brett, porque resgatar laços perdidos, estabelecer o perdão consigo mesma, entender e enfrentar os piores medos não são moleza. Ah, lidar com fracassos e decepções também não. E especialmente desapegar de hábitos (o que inclui pessoas) que estão ali por costume e conformismo. A autora conseguiu fazer essa jornada sem despencar no drama e tendo momentos de leveza e sorrisos, sem ser piegas. Além de trazer alguns caminhos inesperados à jornada de Brett. Isso foi capaz de prender a minha atenção e me fez ler até o fim, porque não aguentaria dormir curiosa.

- Ah, claro, me fez lembrar que realizei alguns sonhos de quando era adolescente. Mas tem um, justamente o #1 da lista que ainda não saiu do papel. Mas sairá. Com certeza, sairá.

- Links: Goodreads autoralivro; uma entrevista com a autora; notícia de que o livro pode virar filme (se fosse há alguns anos, eu escalaria a Sandra Bullock para o papel de Brett sem pensar duas vezes!!!); site da autora

Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Imaginar uma lista de sonhos feita por uma adolescente que uma mãe queira ver completada para que sua filha receba sua herança não tem sido uma tarefa simples para mim, pois não vejo o que uma adolescente impulsiva poderia ter listado como sonho para ser realizado por uma mulher adulta. Entretanto posso entender muito bem o que sua mãe esperava alcançar com essa condição severa. Fins ... Meios ...

    ResponderExcluir