sábado, julho 19, 2014

Ciao!!!





É um dos lançamentos do mês de junho da Editora Record, que inspirou um filme lançado no ano passado.
Eu esperava outra coisa, tive problemas com a leitura e terminei remexendo no meu baú.  Enfim, vamos lá?

O maravilhoso agora – Tim Tharp – Record
(The spectacular now – 2013)
Personagens: o maravilhoso agora de Sutter Kelly

Sutter é o cara mais divertido e descolado, a alma das festas, a alegria ambulante. Até entrar em uma crise existencial pela chegada dos 18 anos, o fim da escola e a cobrança pelo tão falado “futuro”, agravada pelo relacionamento com a família e o fim do namoro. Até que ele conhece a deslocada Aimee e a transforma em seu projeto pessoal, torná-la integrada e mais social. O que não imaginava é o quanto ela também poderia afetá-lo...

Comentários:

- Ao contrário do que o livro – e a foto da capa – pode sugerir, não é um livro sobre pessoas felizes. Na verdade, acompanhamos a jornada de um adolescente de 18 anos, Sutter. O rapaz alegre, divertido, alma das festas enfrentava uma encruzilhada: a péssima relação com a mãe, o padrastro, a irmã e o cunhado. O final do relacionamento com a namorada, pela incapacidade dele de considerar os sentimentos dela. O fim do período escolar se aproximando e a necessidade de ter um plano para o futuro. Enquanto ele mantém a felicidade turbinada a refrigerantes batizados com álcool, começa a se envolver com Aimee, uma garota quase oposta a ele, uma nerd, ainda inocente, alimentando sonhos praticamente irrealizáveis em uma família desestruturada.

- “O maravilhoso agora” na verdade fala sobre a falta de esperança que assola muitas pessoas por aí, usando justamente um adolescente sem freio e sem rumo como personagem. Durante um bom tempo, quem lê e os próprios personagens temem pelo impacto que Sutter pode ter em Aimee, porque tudo leva a crer que não seria bom para ela. Ao mesmo tempo, todos desconfiam do impacto de Aimee pode causar em Sutter, uma luz no fim do túnel de quem vive um presente longe de ser maravilhoso.

- Eu li este livro em um momento errado. Imaginei uma história leve e fui brindada com uma trama mais pesada e profunda – e que, para o meu momento, pareceu arrastada até chegar onde finalmente revela que tode aquele “maravilhoso” era superficial e nada maravilhoso. E para minha tristeza, o motivo por trás do Sutterman alma (descontrolada) da festa mexia no meu baú pessoal. Confesso que fiquei triste por ver como uma situação mal resolvida, agravada pela falta de comunicação e de falar e ouvir aquilo que a gente joga para baixo do tapete e inventa esperanças para justificar. Claro que agora, do alto da minha vida pós-terapia com terapeuta e comigo mesma (consigo ser mais rigorosa que qualquer terapeuta graças ao meu eu escorpiano que quando encontra uma fraqueza, gosta de por o dedo na ferida sem muita piedade), posso dizer isso para o Sutterman. Seja aos 10, aos 18, aos 25, aos 36, aos 43, enfim, a gente não pode criar monstros e deixar que eles nos engulam – pelo menos, não sem lutar. Mesmo quando ignorar e se conformar parece mais fácil. Nem sempre o mais fácil é o melhor.

- Links: Goodreads autor e livro; site do autor

Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Muito interessante, mas eu deverei recusar este convite pois este romance pareceu-me ser mesmo muito angustiante e muito triste, portanto não sendo adequado ao clima de alegria e aventura, com emoções menos opressivas, que eu tenho escolhido ler ultimamente. Mas eu adorei aquela capa lindíssima, com um casal muito à vontade por um campo verdejante tão pujante de vida mesmo !!! Peninha ser tão destoante ...

    ResponderExcluir