segunda-feira, abril 28, 2014

Ciao!!!



Sabe o livro onde dá vontade de distribuir esporro a torto e direito? Pois é, este aqui é um caso exemplar...

Um homem sensual – Sarah Holland - Sabrina 289
(Deadly Angel – 1982 – Mills & Boon)
Personagens: Olivia Courtney e Nick Baretta

Nick não pensou duas vezes em forçar Olívia a voltar com ele para Nova York para ajudar na recuperação do irmão Greg, que tentou se matar após o rompimento do relacionamento. Ele ignorou os protestos de Olivia e a manteve como prisioneira, impedindo que ela fugisse e ainda por cima apoiando o desejo de Greg de casar com ela... Isso se Nick não a convencesse a ser amante dele.

Comentários:

- Queridos irmãos Baretta,
tomem vergonha na cara. Parem de agir como crianças mimadas que, quando contrariadas, precisam de um bode expiatório. Isso é falta do que fazer. Aposto que o sr. Nick tem uma empresa para cuidar e o sr. Greg se não tiver como ocupar o tempo sugiro trabalho voluntário. Costuma ser uma beleza para ensinar humildade a egos inflados.
Obrigada, Roberta.

- Ódio mortal de Greg e Nick Baretta. Filhos de família siciliana agiram como crianças mimadas e birrentas, ao invés de homens adultos e maduros que se espera que criaturas nesta idade já sejam. O bonito do Greg ficou apaixonado por uma jovem modelo, Olivia, que foi sincera e disse que não o amava. Para ajudá-lo a superar – e unindo com uma chance profissional – ela se mudou para a Inglaterra. Aí o que o bonito fez? Tentou se matar! Como a "beleza" é genética, o irmão mais velho, Nick, ao invés de providenciar um rumo para o caçula, (trabalho, voluntariado, psicólogo, psiquiatra), liga o modo #anjovingador e parte atrás da “culpada”. Ele praticamente sequestra a garota, a prende no apartamento dele, a arrasta até o hospital, a faz aceitar um pedido de casamento de um rapaz que merecia um pulso firme para parar de ser um mimado egoísta e, como se não bastasse, Nick ainda a assedia, porque está fascinado pela beleza dela e não se importaria de experimentar a mulher que arrastou para o irmão. Para isso, não hesita em fazer o possível para controlar a vida dela – e ele não tem limites!

- Sério. Totalmente sem limites. Exatamente. Meu eu escorpiano teve ganas de sangue ao longo da leitura. Queria chamar a Polícia (uma que fizesse algo além de “Ah, a senhorita é hóspede do sr. Beretta, então tudo bem”. COMO ASSIM, TUDO BEM, SEU POLÍCIA???), Ministério Público, aquela equipe do Law and Order Special Victims Unit ou a do Agents of S.h.i.e.l.d, o Dexter, qualquer ser humano que desse um rumo nos ricaços idiotas. Mas estamos falando de um “romance à antiga”, então é óbvio que o amor vai surgir nesta terra inóspita e redimir as almas sofredoras bla bla bla. Definitivamente, se isso é amor, não é para mim.

- Links: Goodreads, Wikipedia.

Bacci!!!

Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Oh, céus, esse romance horroroso (porque tem de ser horroroso) lembrou-me de um conto horroroso sobre dominação masculina contra vítima feminina, escrito por um homem, que eu tive infelicidade de resolver ler. MUITO semelhante. Sua autora deve ter tomado chá de cogumelo em dia de criatividade muito baixa !!! Absurdo !!! Execrável !!!

    ResponderExcluir
  2. Virgem Santa!!! Esse vai direto para a lista de não lerei nunca,n inquina, de jeito nenhum, nem sob tortura ou tendo como prêmio ruivos maravilha alheios ou milionários irlandeses!! Naaaaaaaaaooooooooo!!
    Deveria ser possível entrar no livro e matar os personagens! Ou esganar os autores. Hehehehehehehe
    Tadinha da Betinha, livro-trauma no meio do Abril imperdível. Hahahaha

    ResponderExcluir