quarta-feira, abril 16, 2014

Ciao!!!



Só tem uma forma de apresentar este livro.
"Valente: quando a Diana Palmer me enganou."
Pegadinha da Titia Palmeirão!
Quer entender por quê? Peraí que já vou explicar tintim por tintim.

Valente – Diana Palmer – Rainhas do Romance 80
(Courageous – 2012 – HQN Books)
Personagens: Peg Larson e Winslow Grange

Winslow recebeu do patrão Jason Pendleton uma fazenda de presente por ter resgatado a esposa dele, Grace, de um sequestro. E junto com a fazenda, dois empregados, pai e filha, Ed e Peg Larson. E a jovem Peg não disfarçava o que sentia pelo chefe e estava decidida a conquistá-lo. Só que ele tinha uma missão militar a cumprir, ajudar na derrubada de um ditador na América do Sul, e não queria nada que o distraísse da missão. Ele sabia que poderia não voltar, mas queria retornar. E Peg estava disposta a esperar por ele.

Comentários:

- Eu estava no ônibus, lendo o início deste livro e quando vi as nada sutis tentativas de Peg para chamar a atenção de Grange, pensei “Ih, coitada, mais uma inocente que será fulminada já já”. Mas Diana Palmer quando escreveu este livro, estava no modo Chapolin Colorado: “Não contava com a minha astúcia”. E realmente não contava mesmo. Gato escaldado tem medo de água fria.

- Este livro tem todos os elementos da Diana Palmer: Jacobsville, fazendeiros, moços de moral rigorosa, mocinhas cegamente apaixonadas e capazes de tudo, vilãs rejeitadas dispostas a se vingarem, mercenários, momento xerifão do mundo, vilão mau, mas muito mau mesmo... mas escritos de uma forma que não é o “Diana Palmer tradicional way of writing”. Sei lá, ela deve ter acordado em um dia a fim de variar. E o resultado? Foi bom! Foi ótimo. Ao ponto de me prender por mais de 1h em leitura non-stop. Sério, lembrem-se dos seguintes elementos e saibam: eles não vão te estressar!
a) herói pura testosterona, mercenário, de passado nebuloso no Iraque e que NÃO é ogro. (Ele é um lorde. Ele a respeita. Ele a defende.)
b) heroína pura bondade. (Sim, pura, inocente, um tanto espevitada e que modifica o mundo com tanta bondade. Sério. Não é deboche).
c) uma vilã recalcada (Exato. Você terá vontade de matá-la... até descobrir que não tem motivo para torcer contra ela e, sim, a favor!)
d) Brasil como parte do cenário (????????????????) E Brasil bem usado na trama (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)
e) TEM UM BAILE DOS VAQUEIROS DE JACOBSVILLE ONDE NÃO TEM BAFÃO!!! (desculpa pelo spoiler, mas eu precisava desabafar isso com alguém!!!)
f) “O mundo estará nas mãos de pensadores superficiais quando os mais velhos se forem” (BAITA FRASE. Página 31)

Só tem um problema. Que não é da Diana Palmer. Este livro, se entendi bem, é sequência direta de True blue, a história do Rafa Marquez, Rick Marquez. PelamordeDeus, Harlequin Brasil, cadê? Lança antes da Copa, vai que eu encontro o moço e posso pedir um autógrafo!?

Voltando ao post. Estão vendo? A promessa de um “livro daqueles” da Diana Palmer não se confirma. E o mais chocante. Winlsow Grange foi a terceira ponta do triângulo amoroso daquela ameaça nuclear-literária chamada Avassalador. Sim, algo de muito bom surgiu a partir daquele livro pavoroso. Ele retorna em Sem Coração onde acontece a ação que rende a ele a fazenda de presente.

Diana Palmer é uma das relações mais duradouras do Literatura de Mulherzinha e está aqui (oficialmente) desde o Cap. 58 (houve alguns pedidos antes, mas eu precisava organizar o que tinha dela até então), mesmo depois de todas as vezes em que me estressou com aquelas ameaças terroristas conhecidas como Avassalador e Coragem. Ela sempre volta porque espero encontrar boas histórias como todas as vezes que ela me presentou com uma cena antológica em Corações Laçados, Jon Blackhawk e Kilraven, Meredith Ashe, Dutch Van Meer, Gretchen Brannon e Cash Grier (o único dos personagens dela que é marcador no LdM). Por isso tudo, por essa relação entre estresse e tietagem, não é que Diana Palmer, titia Palmeirão ficou com o dia do niver de 9 anos do Literatura de Mulherzinha neste Abril Imperdível? Afinal de contas, um livro como Valente não merecia uma data menos que muito especial para aparecer aqui. Gostei tanto de ser surpreendida que espero – torço mesmo, descaradamente – para que ela faça isso de novo, muitas vezes!

- Links: A Suelen fez, como sempre, primoroso trabalho – vale ver no Romantic Girl os posts sobre Courageous e Valente, Goodreads, site da autora, outros livros da Diana Palmer no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Betinhaaaaaa!!!!
    Niver do LdM com Palmeirão é tudo de bom!!!!!
    Juraaaa que esse livro é tudo isso????
    Aí mô pai, lá vou eu pular coisa na pilha!
    Tu não tens jeito, né? Sempre fazendo isso comigo!, #adoro

    Parabéns pelo niver do meu amado e que muitos e muitos venham ainda!!!!!

    Bjus

    Ba

    ResponderExcluir
  2. Me lembro de quando a titia Palmeirão estava pra lançar esse livro e disse que era o melhor livro que ela já tinha escrito até então.
    Você precisa ler o próximo, PROTECTOR... achei ainda melhor, hehehe!!!
    Obrigada pela referência! ^__^

    Bjnhs!!!

    =)

    Suelen Mattos
    _____________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
  3. Ah, meu anjo de guarda, com que pé eu piso nessa calçada de ovos que é essa trilha literária dessa titia complicada ?! Ok, eu estou confessando meu fracasso total em não ficar interessada nesse romance, anotando mais uma aquisição para breve ...

    ResponderExcluir
  4. Oi, Beta!

    Me lembro da gente no carro com a #madrehooligan e com a Tonks, voltando da Bienal do Livro falando da bipolaridade e das ogrices dos mocinhos e das parvoíces das mocinhas da Ttitia Palmeirão e que o papo tava tão bom que eu peguei o caminho errado e tivemos que fazer um retorno enorme pra poder chegar em casa! kkkkk

    Titia Palmeirão e assim. Um verdadeiro Guilty Pleasure! A gente reclama, mas le assim mesmo, porque de vez em quando aparece uma redenção dessas!

    Esse eu ainda não li, mas vou procurar por ele, com certeza!

    Bjs!

    ResponderExcluir