sábado, janeiro 11, 2014

Ciao!!!



Definitivamente, meu santo não bate com os sheiks. Eles sempre dão um jeito de fazer o comportamento honrado parecer desonrado...

Súditos do prazer – Emma Darcy - Harlequin Jessica 200
(Traded to the sheikh – 2005 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Emily Ross e sheik Zageo Bin Sultan Al Farrahn

Um traficante pego em flagrante em Zanzibar tentou negociar a liberdade com o sheik oferecendo uma mulher que estava no barco. Não deu certo: sheik Zageo entregou o grupo à polícia, exceto a mulher, porque ele deu a ela o benefício da dúvida. As encrencas se sucederam rápido demais para Emily: primeiro descobriu tarde demais que pegou carona em um barco de traficantes. Depois teve que lidar com um sheik que achava que ela era garota de programa. E tudo que queria era chegar ao ponto de encontro com a irmã, mas agora tinha que conseguir convencer o sheik a acreditar nela e a libertá-la.

Comentários:

- Ok, ponto em defesa de sheik Zageo: ele deu à Emily o benefício da dúvida. Mas a forma como ele fez isso me estressou. As palavras do bandido sobre os atributos físicos de Emily atiçaram a curiosidade – e algo mais – no sheik. Aí ele começou a bancar Deus, testando a prisioneira/convidada sobre as habilidades que ela dizia ter. Confesso que a cena da roupa de dançarina do ventre foi o que me tirou do sério. E também, cá entre nós, que raio de sheik meia-pataca é esse que fica retido em burocracia?

- Até que Emily tem dignidade de sobra para reagir às exigências do mandão da vez – até ri quando ela disse que “australianos têm uma forma diferente e mais clara de ver o mundo”. Mas tem hora que até ela mesma não aguenta mais, usando a desculpa do “bem do próximo”. Aí temos a trama se tornando a redenção do sheik perante a convidada (e, se me lembro bem, não há pedido de desculpas) e ela assumindo a vontade de ter um caso de mil e uma noites. E então teremos a habitual confusão causada pela falta de comunicação – e o sheik deveria ficar bem quietinho porque ele quer tudo do jeito dele, inclusive que Emily leia pensamentos. Para quem gosta do tipo sheik mandão tudo de bom na cama, ótima leitura. Lembrem-se de que eu raramente morro de amores por este tipo de personagem.


As outras histórias deste livro são Paixão Dominadora, da Susan Stephens e Brilho do Amor, Kimberly Lang.

Bacci!!!


Beta
Reações:

2 comentários :

  1. Boa tarde,
    Sei que você não aprecia sheiks, mas leia "Em nome da Honra" de Caitlin Crews, Série Jéssica, edição 204. Nesta história é a garota que não sabe o que quer.
    Naines

    ResponderExcluir
  2. Ver um sheik tirano exercendo sua tirania não tem sido prazeroso para mim nesses últimos anos desde que eu tinha meus dez anos, saturando minha cota de sheiks em filmes de sessão de tarde. Não foi uma coleção de sheiks muito estimulante ...

    ResponderExcluir