domingo, dezembro 01, 2013

Ciao!!!



Comecei uma nova série de machões über-alfa bonitões. Eles são como mercenários: grandes, habilidosos, um pouco perigosos e muito sensuais. Quando se trata de salvar inocentes, fazem o que é preciso, da forma como for preciso. Gosto de dizer que são meus homens que ‘andam no limite da honra’.

Sério que eu preciso falar algo sobre a série, depois de uma explicação desse calibre vinda da autora?
Não, né? Vamos ao que interessa!

Quando ousa... – Lori Foster – Rainhas do Romance 83
(When you dare - 2011)
Personagens: Molly Alexander e Dare Macintosh

Dare tinha se envolvido em uma missão de resgate pessoal e terminou com uma “complicação”. Ele pretendia resgatar a irmã do amigo, sequestrada por uma quadrilha de tráfico humano no México e voltouo para casa com outra mulher que destoava do grupo de reféns. E disposto a entender por que ela estava lá. Molly era escritora, mas a realidade superou a mais imaginativa de suas histórias. Levada, drogada, surrada, ela não conseguia entender o motivo, mas sabia que precisava descobrir o culpado para que tivesse sossego. Para isso, confiou no misterioso homem que a resgatou. Algo lhe dizia que ele sabia como resolver qualquer situação sem nenhum problema...

Comentários

- Mercenários? Homens durões? Mocinhas indefesas? Vilões malvados? Você já viu esse filme/livro com certeza antes – só a Diana Palmer tem uns 200 livros assim, onde a bucólica Jacobsville é o foco de todos os problemas. No entanto, Lori Foster resolveu criar os mercenários dela. E como diz o lema do Salgueiro: “nem melhor, nem pior, apenas diferente” e a gente sai lucrando, feliz e contente (só pra fazer uma rima pobre, poesia nunca foi meu forte).

- O livro é todo muito bom. Todo. Protagonista durão, forte, poderoso, invencível, inteligente, lindo, sarado, gostoso pra chuchu resgata jovem em situação muito indefesa. E cuida dela. E decide descobrir quem foi capaz de mandar sequestrá-la e agredi-la. Lori Foster pegou o cavaleiro de armadura branca, vestiu de guerreiro, colocou a faca entre os dentes, abasteceu com testosterona para fazer a plateia feminina desesperar pela ausência de um exemplar desses na vida real, tirou a burrice e ogrices e partiu para a porrada. Onde acha? Meu eu escorpiano anda em uma vibe muito sanguinolenta e flertando com o lado negro da força (quem me segue nas redes sociais já encontrou várias demonstrações do meu total e incontrolável transtorno obsessivo-compulsivo pelo Loki – e pelo Tom Hiddleston) e uma força da natureza como o Dare faria muito bem neste momento. Afinal de contas, o homem com visual de exterminador é um gentleman. E seja exterminador ou gentleman, tem aquele poder de fazer uma mulher desejar tudo e mais um pouco... Ah, e ele realiza tudo, mais um pouco e faixas bônus. Quem é que vai reclamar? Você? Eu é que não vou!

- E, outro momento de ode ao meu signo (perdoem as demais constelações), mas LORI FOSTER, eu amo você. O motivo? Não fez uma heroína parva irritante que me faria perguntar “o que o Dare viu nela???!”. Molly passou por momentos difíceis e, mesmo traumatizada, não perdeu o humor e a coragem (aliás, justamente a forma como lida com o trauma é que deixa Dare tão impressionado com ela no início). Ela não entende o que aconteceu e quer saber quem foi capaz de submetê-la ao sequestro. Contrata Dare e a partir disso temos um passo a passo detalhado para protegê-la, levantar suspeitos e descobrir os culpados. Adorei o fato de ela ser escritora e de conseguir canalizar para o livro em que trabalhava o tumulto de sentimentos que viveu a partir do momento em que perdeu o controle da própria vida. Até os habituais momentos de desobediência ao “fique aqui enquanto vejo o que está acontecendo” não me estressaram (se bem que a Açucena/Aurora implodiu a minha paciência com isso em Cordel Encantado, tanto que eu já queria que alguém a matasse pra ela deixar de ser besta e colocar os outros em risco).

- O bom do livro enorme é que tudo acontece com tempo, embora, se não me perdi, a trama se desenrola em questão de dias. Acho que a narrativa dura, no máximo, até um mês após Dare resgatar Molly do cativeiro. Então a paixão e o amor entre eles surge de forma natural – estresse pós-traumático, compreensão das personalidades, interesse pelo próximo, desejo de proteger os mais fracos e, pelo amor de Deus, com um homem daqueles, qualquer trauma é implodido para galáxias muito, muito, muito distantes. O ruim do livro enorme é que se você não tem tempo para ler direto, sofre de crises de angústia por ter que interromper a leitura (sim, isso aconteceu comigo).

- Amei Chris e, acima de tudo, palmas para Lori Foster por escrever um dos mais legais “bromances” que li (a cena onde isso fica claro é muito linda). Os “cachorreiros” vão ficar felizes com as representantes da espécie mencionadas na história. E outros personagens que aparecem aqui terão seus próprios livros na série, onde espero poder rever Dare, Molly e Chris. Aliás, Harlequin Brasil, acho bom essa série ser lançada completinha, ok?

Série “Homens que andam no limite da honra”/“Men who walk the edge of honor” (conforme Goodreads)
0,5 – The guy next door (também é o 0.5 na série Donovan Brothers Brewery) – Natalie Alexander (irmã de Molly) e Jett Sutter – ambos aparecem neste livro
1 – When you dare – Quando ousa - Molly Alexander e Dare Macintosh
2 – Trace of fever - Trace Rivers and Priscilla Patterson
3 – Savor the danger – Alani Riverse Jackson Savor
4 – A perfect storm – Arizona Storm e Spencer Lark
4.5 – What Chris wants – Chris Chapey e Matt Houser
5 – Bare it all (também é da série Love Undercover #2) – O Segredo de Alice – Alice Appleton e Reese Bareden
* No site da Lori Foster tem uma página  que explica a relação entre os personagens da série. E vocês podem reparar pelos links que a tônica da série é ter capas assim horríveis, sem inspiração, nada a ver com a história que a gente só compra mesmo por amor à literatura de banca e de mulherzinha. Eu nem queria em 3D mesmo... Falando sério, eu acho que a promoção devia ser compre o livro e leve o modelo da capa. Só para a gente conferir se ela foi feita seguindo todos os critérios de qualidade de respeito ao trabalho de Deus em criar alguém assim e do design em reproduzir... (sonhar não custa nada, né?)

E se quiser saber mais da Lori Foster, confira os outros livros que já estão no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta
Reações:

5 comentários :

  1. Ai ai ai ai MEU DEOS!
    PRECISO deste livro!
    Só não comprei ainda porque o frete para minhas terras é de matar!
    Mas ele chegará nas bancas daqui... ah se vai!

    ResponderExcluir
  2. HAHAHAHAHAHA! Amei essa resenha Beta :D
    O meu já chegou, vontade de passar ele na frente de todos e ler <3
    Lori sempre nos fazendo babar em cima dos livros.

    Só uma coisa, o último livro - Bare it all - já foi lançado. Traduzido aqui como O Segredo de Alice. Eu já tenho o meu ;) E saiu primeiro que o Quando Ousa...
    Pra variar, série publicada fora de ordem. Mas, com ordem ou sem, publique inteiraaa Harlequin (yn)

    :*

    ResponderExcluir
  3. Jesus, Maria e José!

    Beta, para de me tentar, garota! Não vejo a hora desse arraso em forma de livro chegar às bancas!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Beta, já que você gostou tanto de Chris por favor entre na campanha "Publiquem os livros do Chris e da Melissa também!". As duas histórias são pequenas, acredito que poderiam ser publicadas num volume só, e Chris é um personagem tão marcante que merece ter sua história publicada em livro, ao invés de só em livro virtual como foi nos EUA.

    Ah, e por curiosidade quando li o livro pensei no Dare mais ou menos como se ele fosse o ator Cole Hauser, que protagonizou a série "Chase - Perseguição", talvez porque o personagem dele, Jimmy, fosse tão forte e cavalheiresco como Dare.

    ResponderExcluir
  5. Oh, céus, este livro será como todos aqueles livros que prendem mesmo minha atenção: meus dedinhos imóveis suados marcarão sua capa para sempre !!! Ecoando todas: ai, ai, ai, eu quero e pare de tentar meu espírito !!! (anotando para comprar)

    ResponderExcluir