quarta-feira, novembro 06, 2013

Ciao!!!



Ah, a mania de escolher um livro pela capa. Foi o meu caso aqui. Eu me apaixonei pela capa... 

A cortesã e o samurai – Lesley Downer – Editora Record
(The courtesan and the samurai - 2010)
Personagens: Hana e Yozo

A luta pelo poder dividia o Japão, mas parecia perto de um desfecho em 1868. De um lado, os nortistas que defendiam o governo do xogum. Do outro, os sulistas que lutavam para restabelecer o Imperador e ganhavam cada vez mais espaço. Em meio à guerra, Hana, esposa de um guerreiro sulista que partiu para a batalha, é obrigada a fugir de casa e termina em Yoshiwara, o bairro do prazer em Edo (que seria Tóquio). E ainda Yozo, um dos 15 jovens japoneses enviados para estudar no exterior, retorna para encontrar um país totalmente diferente e tentar mudar o rumo com o que aprendeu, mesmo que muitos dos próprios companheiros não aceitassem um estilo que diferia da conduta samurai.

Comentários:

- Para entender esse livro, tive que pesquisar um pouquinho (o que leva a um dos links que vou mencionar abaixo) e sofrer com a mente em dia desatento, porque confesso, inverti quem lutava por qual lado até o meio do livro. E não foi culpa da autora, que deixou claro desde o início. Foi pasmaceira minha mesmo.

- Se você gosta do Japão ou tem curiosidade em saber mais sobre um cenário que muitas leitoras não costumam prestar atenção (a maioria das histórias usa Estados Unidos e Europa como cenário), o livro tem descrição detalhada de roupas, costumes, locais do Japão no século 19. Do jeito que a autora conta, a gente pode imaginar os locais – a descrição de Yoshiwara é um exemplo disso. O livro é dividido de acordo com as estações do ano, acompanhando o desenrolar da reta final da guerra e as consequências dela.

- Os protagonistas são dois jovens que têm a vida afetada diretamente pela guerra. Hana, fugitiva, vendida por uma cafetina a uma casa para se tornar cortesã. Ela acaba se adaptando à vida (não tinha como fugir) e se torna a sensação de Yoshiwara, sendo disputada pelos melhores clientes.  Yozo viajou com um grupo de amigos para aprender conceitos de guerra e informações sobre o Ocidente e, quando retornou, não era aceito nem pelos próprios companheiros de batalha, por terem se envolvido com os estrangeiros. Dentro do grupo nortista, que ainda lutava pelo xogum, havia esse racha entre os homens que seguiam o comandante Yamaguchi, que era um samurai – e respeitava rígidas normas de conduta. Por causa de uma desavença que resultou em uma morte, o comandante e Yozo não se davam bem e isso será apenas uma batalha dentro da guerra.

- Só o romance é que eu achei que foi meio “vapt-vupt”: eles passam mais da metade dos capítulos separados, cada qual lidando com as decisões tomadas em tempo de guerra. Quando eles se encontram, se apaixonam em um piscar de olhos. Quando a situação se torna crítica, eles precisam correr contra o tempo e contra os inimigos para poderem se salvar. Senti falta de mais romance, mas talvez seja um reflexo de um período de guerra, onde tudo era instável e poderia se desmanchar a qualquer momento.

- No final do livro, há uma carta da autora, explicando as inspirações por trás de alguns personagens, como foram as pesquisas para o livro e ainda tem uma bibliografia extensa para quem se interessou mais sobre o assunto.


Bacci!!!

Beta 
Reações:

2 comentários :

  1. Ah, um amor à primeira vista em versão japonesa ... EXCELENTE !!! ^^

    ResponderExcluir
  2. A capa é realmente linda! Eu adoro tudo que envolve o Japão, então assim que falou que era livro histórico de lá já bateu a vontade.

    Beijitos

    ResponderExcluir