sexta-feira, outubro 18, 2013

Ciao!!!


Estava eu em casa, quieta no meu canto, quando a Tonks comentou comigo sobre uma fanfiction que tinha lido e achado muito legal. Como fiquei curiosa, ela me indicou. E deu no que deu, em cerca de 4h, tive crises de risos vindas do além que renderam olhares esquisitos de #madrehooligan: “endoidou, é?”

Aluga-se um noivo – Clara de Assis
Personagens: Debora Albuquerque e Théo

Débora estava muito encrencada. Seria madrinha no casamento do irmão... E o ex dela também. Pior, com a atual dele que era uma (falsa) “amiga” dela. Seria muita humilhação chegar lá sozinha e por isso, com a ajuda inestimável de Carolina, resolveu contratar alguém para ir com ela... Quando as opções se esgotam, ela consegue um homem lindo, chique, refinado, gostoso pra chuchu. Théo seria o homem ideal para se apresentar à família, exceto pelo insignificante detalhe de ser um garoto de programa.

Comentários:

- Repetindo aqui o consenso a que eu e Tonks chegando: algumas coisas precisam ser corrigidas (vi uns erros de Português de cortarem meu coraçãozinho neurótico em fatias desajeitadas), alguns aspectos da trama podem ser melhorados, lapidados (avalição da Tonks), editados (no meu caso, achei a parte final muito doce. E vocês estão ouvindo isso de uma pessoa cujo link do site é “livro água com açúcar” e adora um doce. Cabe numa fanfiction, mas para um livro... Bem, não sou editora, nem entendo disso literariamente falando, mas acho que o encerramento pode ser aperfeiçoado). No entanto, a história-base e a forma como foi desenvolvida são muito boas. Se fosse um livro publicado em banca ou livraria, teria grandes chances de vir parar aqui em casa.

- Primeiro porque tem algo que eu amo de paixão: humor. Adoro livros que me fazem rir. E olha, em boa parte desta trama, eu dei gargalhadas (ao mesmo tempo que estava xingando as maldades da Amora e a parvice do Bento, tietando Fabinho e Giane em Sangue Bom e lanchando: prova que eu estava em um sábado altamente geminiano mil e uma atividades tudojuntojá). Gosto de diálogos espirituosos, debochados, engraçados sem forçar a barra. Tem trechos que são impagáveis: por exemplo, se eu tivesse uma amiga como a Carolina nunca, jamais, em hipótese nenhuma, deixaria que ela respondesse mensagens em meu nome ou sobre mim. Parentes que mais parecem recenseadores existem dentro e fora da ficção. Os “acasos/encontros/desencontros” também são ótimos. Cansei de chamar Débora de louca, Théo de louco, no fim das contas, concluí que ambos são insanos e que eu estava adorando me divertir com a insanidade deles.

- Débora está nos 30 anos e atende ao perfil delineado neste tipo de livro: insatisfeita com o trabalho, vinda de uma mágoa amorosa profunda (e cá entre nós quem no lugar dela também não gostaria de revidar em alto estilo?), um tanto desconfiada, um muito descompensada. Não sei por que há um consenso no fandom ou no mundo literário de que toda mulher na casa dos 30 subitamente enlouquece. Entre dúvidas, crises existenciais legítimas (ou exageradas), lidando com as consequências das decisões que toma e da interferência da amiga, Débora faz a parte dela como narradora da história.

- Theo é a concretização de muitos delírios femininos. Alto, bonito, culto, elegante, gostoso, disponível e interessado. Não sei em que momento concluí que realmente R$18 mil eram uma pechincha pelo falso namorado que, como o título antecipa, se torna noivo alugado. Loiros (pelo menos no início) não são meus favoritos, volta e meia declaro por aqui a minha preferência por morenos e ruivos. Mas Théo tinha uma arma secreta para ganhar minha simpatia e o que mais quisesse: fala Italiano. Fala muito Italiano. Fala Italiano nos momentos íntimos. Esqueça coerência e sensatez: onde tem um assim? Por favor, contribuam para a campanha “Faça uma blogueira muito feliz”. Ainda mais porque meu cérebro lá pelas tantas cismou que Fernando Llorente (jogador espanhol que atualmente está na Juventus – eca! – da Itália) a representação física do Théo. Aí, no popular, danou-se!

- A propósito, outra coisa que funcionou comigo: o primeiro capítulo é muito bom. E o fato de eu conhecer e gostar de visitar as ruas citadas nele – a ação se passa nas proximidades da Rua do Ouvidor, no centro do Rio de Janeiro – ajudou a me identificar e a prender a minha atenção na história. Pois é, antes mesmo do garoto de programa que fala Italiano fluente, esse foi o detalhe que me fez continuar lendo. Pequenos detalhes podem sim fazer grandes diferenças.

- Ah, para encerrar com um tema que vai agradar muita gente, as cenas quentes são quentes e sem frescuras, nem de escritas nem de puritanismo. Sabe aquelas cenas que o povo adora nos romances eróticos e que às vezes parecem tão mecânicas? Ok, pensa no oposto ao quadrado (ou ao cubo): é o que você vai encontrar neste Aluga-se um noivo. Uma coisa que eu sinto muita falta na maioria dos romances eróticos que li (incluindo a trilogia famosa): aqui sim temos sexy, sensual, erótico e sentimento entre os personagens.  Sim, é do tipo que dá inveja ou ideia, dependendo do seu estado civil.

- Não faço a menor ideia de quem seja a autora, ela nunca entrou em contato comigo. Simplesmente, uma sequência digna de “Seis graus de separação” (pela metade) me levou ao texto dela: Lizzy, colunista do Romances in Pink, leu, adorou e recomendou para a Tonks que comentou comigo. Como disse, gostei muito, acredito que pode ser melhorado e compraria se fosse publicado. A propósito, não sei se é pseudônimo ou nome de batismo, mas “Clara de Assis” é mais que um nome, é praticamente com uma bênção.

- Linkito: Skoob (onde tem o link para quem quiser ler).

Bacci!!!

Beta

ps.: Atualizado em 21/10/2013:
A Clara de Assis entrou em contato comigo no fim de semana e pediu para esclarecer uns detalhes: o texto publicado na internet é um rascunho incompleto, que não corresponde à história finalizada e que está circulando na internet sem o consentimento dela. Surgiu a partir de uma brincadeira entre um grupo de amigas e ganhou uma proporção inesperada. 
Vamos torcer agora para que a gente possa ver a versão finalizada em breve, porque, como disse a ela, foi melhor que muitos livros finalizados e editados que li neste ano. E quanto à circulação sem consentimento, o Literatura de Mulherzinha deixou claro lá no início que se tratava de uma Fanfiction, ou seja, de um texto escrito de forma independente, em um site na internet (cujo link está indicado aqui em cima). 
Obrigada, Clara, pelo contato e aguardo boas notícias em breve! :)
Reações:

13 comentários :

  1. Uauuuuu! *.*
    A Tonks me convenceu a ler Despedida de solteira e agora você me convence a dar uma chance ao Aluga-se um noivo. Não sei onde arrumar tempo para tanto livro, hahaha.
    Resenha excelente Beta :*

    ResponderExcluir
  2. pode ser um tanto clichê o enredo, mas é tão lindinho! vou querer ler sim!
    obrigada por deixar o link!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Beta, você sabe que nesta sequência digna de “Seis graus de separação” já está rolando mais de 20 graus, porque se espalhou. Andrea Jaguaribe leu. Vamos ver o que ela vai comentar. rs

    bjokas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Beta!

    Pois, é, a Tonks me meteu nesse rolo! kkkkk

    Achei o seguinte: tive muitos momentos de vergonha alheia pela Débora, rolei de rir com as situações nonsense que a autora criou, mas chegou num certo ponto em que, na minha opinião, ela se perdeu e virou o samba do crioulo doido! kkkkk

    Depois ela se aprumou de novo e a coisa foi em frente. Como disse a Tonks, merece lapidação, o mote é ótimo, a autora é espirituosa e divertida, tem tudo prá dar certo, mas ela precisa de um pouco mais de pesquisa em certos assuntos (moda e carros, por exemplo) e ligar melhor os pontos.

    Outra coisa que me incomodou foi o linguajar que ela usou. Soltava umas expressões vulgares como quem diz que vai à padaria, ou seja, em excesso. Não gosto disso, não. E o final totalmente nonsense. Fala sério, ficou fofinho mas muito sem noção! kkkkk

    Vale a leitura.

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciao, Andrea!

      Eu embarquei completamente na história. E por estar em um site de fanfiction permite uma liberdade criativa. Cá entre nós, tem muito livro nonsense por aí (a Bridget Jones me tira do sério tanto nos livros quanto nos filmes). Gostei da história, a base é muito boa e agora que a autora me escreveu dizendo que é um rascunho incompleto fiquei mais empolgada ainda pra ver a versão final. ;)

      Bacci!!!

      Beta

      Excluir
    2. Estou contigo, Andrea. Vou mais ou menos a meio e ao mesmo tempo que acho o livro divertido e bastante bom até para uma amadora, tb acho que ela exagerou muuito. Linguagem chula excessiva, o sexo é praticamente pornô e sentimento? naquelas cenas? eu não vi. Numa das cenas, no pós-sexo ela até o chama de cavalo. Que ternura. kkkkkkkkk E o italiano dele parece tirado de uma gramática, dito de modo quase formal. Não pega. kkkkkkkk Além de cafonas: "vc me fez gozar tanto, penso que encontrei a mulher da minha vida". Há alguém que diga uma coisa dessas? e onde está o romantismo disso? Eu sinceramente não consigo entender a euforia com esse livro apesar de até ter umas partes engraçadas.

      Excluir
  5. AVISO IMPORTANTE: A HISTÓRIA POSTADA NÃO CORRESPONDE COM TODOS OS CAPÍTULOS DO LIVRO ORIGINAL, REGISTRADO. TRATA-SE DE UM RASCUNHO, INCOMPLETO, DISPONIBILIZADO PARA ENTRETER, NÃO COM FINS COMERCIAIS OU LUCRATIVOS. fonte original http://fanfiction.com.br/historia/395449/Aluga-se_Um_Noivo/ageconsent_ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciane Rubi!

      Valeu por reforçar o que já está escrito ali :)

      Bacci!!!

      Beta

      Excluir
  6. OI, Beta!
    Estou lendo o livro e adorando! Só que para mim a imagem que faço do Théo é do ator cubano Willian Levy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciao, Rubia Elaine!

      Opa, não conhecia o William Levy, valeu pela dica. Mas a minha imaginação cismou que o Théo é o Fernando Llorente :) Nossas mentes têm muito bom gosto :)

      Bacci!!!

      Beta

      Excluir
  7. Uh, eu fiquei muitíssimo interessada !!! Eu não tenho queda por loiros porque loiro significa irmão e primo para mim - mas abro uma exceção de vez em quando também. Porém morenos são meus preferidos, de qualquer idade e de qualquer raça.


    Uh-uh, mas ruivos ... Tem de ser muito excepcionais, senão sem ruivos !!! Entrementes falar italiano comigo faz maravilhas para mim também, a qualquer hora e em qualquer lugar e sob quaisquer circunstâncias: muito acariciante simplesmente.


    Você tem parecido minha irmã quase siamesa, minha anfitriã querida ! ^^ Este enredo lembrou-me muito de uma gracinha de filme com tema muito semelhante: "Muito Bem Acompanhada", embora não haja muito humor em suas cenas, mas é belo.

    ResponderExcluir
  8. Achei uma copia dessa fanfic no meu kindle e comecei a ler... No começo fiquei meio sem entender o q um livro brasileiro tah fazendo aki? (Confesso q fora Paulo Coelho nem lembro a ultima vez q li um livro daki) continuei a ler e achei muito engraçado, amo livros engraçados entao Adorei!!! Ai na melhor parte o livro acabou rsrsrs
    E aki estou eu procurando a continuaçao e descubro q eh uma fanfic e melhor uma fanfic com final. Acabei de baixar e lah vou eu saber o q acontece depois do banho juntos...
    Adorei a tua resenha! Me tentou ate ler online se nao encontra-se em pdf.

    ResponderExcluir