sábado, agosto 24, 2013

Ciao!!! 


Esse é mais um daqueles pobre princesa rica.
Prepare a paciência: vai precisar. Em doses cavalares.
A outra história desta edição é Melodia da Sedução, de Robyn Donald.

O dom da pureza – Caitlin Crews – Jessica 2 Histórias 142 (Vida de Princesa)
(Pure princess, bartered bride – 2009 – Mills & Boom Modern Romance)
Personagens: princesa Gabrielle de Miravakia e Luc Garnier

Luc queria a perfeição em todos os pontos da vida. Principalmente, na parte relativa à futura esposa. Queria distância de escândalos e tinha um parâmetro impecável. E de todas as possibilidades, apenas a princessa Gabrielle ainda não havia cometido nenhum pecado. Por isso, ele acertou o casamento.
Conhecer o noivo às vésperas do casamento não foi agradável e perceber que foi vendida para um homem tão intratável e seco quanto o próprio pai fez com que ela entrasse em pânico. Deu pra notar que a jornada não será nada fácil, né?

Comentários:

- Terapia. Talvez ajudasse Luc a baixar a bola. Vou encadear uma série de adjetivos relacionados a ele baseada apenas na observação literária: egoísta (o mundo tem que girar do jeito e no ritmo que ele quer – se tivesse prestado atenção na noiva, teria evitado problemas), egocêntrico (Gabrielle não tem outra opção ou forma de vida que não seja ele), neurótico (ele está sempre ameaçado e todos OS OUTROS são responsáveis por isso); grosseiro, rude... Ou seja, mais um daqueles para me tirar do sério. Que só salvaria meu dia se, ao final, ele encontrasse alguém que soubesse colocar um freio nele.

- Pode ser que Gabrielle seja essa pessoa, mas eu preferia que ela tivesse usado uma tática mais firme, menos “all we need is love”. Ela foi criada sem amor, por um pai preocupado com regras, trono, pompa e circunstância e que nunca estava satisfeito. E Gabrielle era impecável, com uma reputação inatacável, mesmo tendo estudado neste antro de perdição que são as universidades e visitando lugares pecaminosos como Nice. Foi vendida em casamento para um noivo que não se importou em conhecê-la e que, mesmo vendo os sinais, não compreendeu a angústia e o nervosismo dela. Pela primeira vez, Gabrielle perdeu o controle que tanto exigia de si mesma e tomou uma atitude inesperada... que custou caro a ela.

- Ando muito enjoada de ricaços dominadores, chatos que precisam de uma mulher que os mande catar coquinho no inverno na Sibéria usando apenas tule. O que ele faz com a Gabrielle gastou a minha paciência: os padrões de perfeição são deles, o trauma pelo escândalo familiar é dele, o papparazzo do mal... Enfim, ele a arrasta para o problema e sempre a culpa por tudo. Houve uma cena em que ele parecia uma daquelas criaturas saídas dos livros da Lynne e da Penny que tanto me tiram do sério. Embora devo dizer que o modus operandi da princesa Gabrielle, sofrimento, calma e amor, nunca seria o meu. Só por isso, ela merece a minha admiração, porque só tendo a paciência do tamanho de Júpiter pra aturar os personagens masculinos desta história. Enfim, devo dizer, pra quem gosta do perfil, excelente leitura. Para mim, só mais um caso pelo bem do Literatura de Mulherzinha.  

Links: Goodreads autora e livro.

Bacci!!!


Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Ah, eu não fui seduzida, sequer por ela, sequer por ele: tem personagens que precisam ter um pouco mais além de um clichê para eu sentir atração de leitura !

    ResponderExcluir