quarta-feira, maio 01, 2013


Ciao!!! 





Maio. Mês das Noivas. E a parceria do LdM com a Editora Record começa no feriado (espero que alguém esteja curtindo o descanso, porque eu estou trabalhando) com um livro que fala sobre casamento. Eu já li outros livros desta autora, assinados como Sophie Kinsella. E posso dizer que é uma chance de reconciliação. Não é que a autora seja ruim, acho que havia uma incompatibilidade entre mim e as personagens dela...

Louca para Casar – Madeleine Wickham – Record
(The Wedding Girl – 1999)
Personagens: o casamento de Melissa “Milly” Havill e Simon Pinnacle

Faltando poucos dias para o casamento do ano, entre Milly e Simon, uma atitude impulsiva do passado dela bate à porta: ela já era casada. E se subisse ao altar e assinasse os documentos, corria o risco de ser presa por bigamia. Enquanto tenta contato com o marido de fachada, começa a questionar o momento da vida: o casamento, as relações familiares, as escolhas de antes e de agora...

Comentários:

- Primeiro: não é uma comédia. Embora tenha coisas engraçadas, este não é um livro que te fará dar gargalhadas. A menos que você seja do tipo que ria da desgraça alheia.

- O livro fala sobre escolhas e arrependimento. Dez anos antes, Milly escolheu ajudar um casal de amigos/colegas/conhecidos gays. Allan precisaria se casar para permanecer na Inglaterra. Ela foi a esposa de fachada. Seria algo temporário e, além da gratidão de ambos, ganhou um colar de pérolas de água doce.
Ok, o tempo passou, eles perderam o contato e Milly ficou com a sensação de que isso aconteceu em outra vida, em um universo paralelo e abandonou a memória em algum canto da mente dela.

- Só que, agora, uma testemunha do primeiro casamento, estava envolvida nos preparativos do segundo casamento. E se dá conta de que apenas ele e ela sabem disso. Ninguém mais sabe. E se o segredo vier à tona, adeus cerimônia, adeus Simon, adeus tudo. No entanto, independente disso, ela dá demonstrações de que este “tudo” em que estava prestes a entrar não era assim exatamente como ela queria. Na verdade, Milly começa a se questionar, porque não teria sido fiel aos próprios princípios.

- Ao mesmo tempo, temos histórias paralelas: Simon não se dá bem com o pai, o ricaço famoso Harry Pinnacle (concordo com os motivos, entendo as reações, só queria que Simon entendesse que, agindo daquele jeito, apenas ele sairia ainda mais ferido no final – sim, experiência própria), a mãe de Milly, Olivia, está mais deslumbrada que a noiva com a cerimônia e o que representa (comecei detestando esse personagem. Lembranças da mãe da Bridget Jones e de Lucia, personagens fúteis e deslumbradas, que mereciam ser devidamente enquadradas pelas filhas), a frustração do pai de Milly, James, com o casamento da filha, o próprio casamento e a vida em geral; as dúvidas da irmão mais velha, Isobel, sempre tida como independente e bem resolvida, mas que também está com uma encrenca para resolver.

- Ou seja, é muita gente confusa, reavaliando expectativas e frustrações sobre a própria vida – tudo isso em meio ao estresse da organização de um casamento que, eles ainda não sabem, pode não acontecer. Ou seja, é uma bomba-relógio a espera de colocar todo mundo – não apenas Milly e Simon – diante de novas escolhas que implicam em decisões que não poderão ser adiadas.

- E só queria fazer um parêntesis, me permitam falar do milagre sem contar o santo, mas fiquei triste com um final – que trata exatamente do arrependimento que mencionei antes. Foi realmente uma pena. Mas é coisa que aconteceria na vida real.


Bacci!!!

Beta 
Reações:

2 comentários :

  1. oi flor te seguindo! vem conhecer meu cantinho *-* ,pinkbjs.
    http://pinkbelezura.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/pinkbelezura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Milly e Simon parecem perfeitos !

    ResponderExcluir