domingo, abril 21, 2013

Ciao!!!



Em meio à minha fúria consumista de Florzinhas no ano passado, este foi um dos que eu trouxe para casa. Sim, porque tinha grego no meio. Sim, porque a protagonista é jornalista. Me disseram que era bom. Mas acho que o li em um dia muito chato...

Paraíso Grego – Margaret Hudson Koehler – SuperBianca 16
(A charm for Adonis – 1983 – Harlequin Books)
Personagens: Candice Meyhew e Nikolas Mylonis

Candice saiu de Nova York, enviada pelo chefe, para fazer uma reportagem sobre uma comunidade grega na Flórida. No entanto, um acidente impediu que ela fotografasse uma importante cerimônia para a matéria e dependesse da ajuda de um morador recluso e que parecia ser muito poderoso. isso não evitou que ele se interessasse por ela, que também se sentiu atraída por ele... No entanto, ao saber que ela era jornalista, ele a queria longe, mas não conseguia abrir mão dela.

Comentários:

- Odeio gente que não sabe o que quer: e Nikolas é assim. Ele ODEIA jornalistas – pronto, fim de qualquer simpatia que eu possa ter por ele – mas quer Candice. Só que, quando acontece algo que sai do script, a culpa é dela, por ser jornalista. Aí tem hora que ele dá a entender que vai superar isso, só pra ele ser um grosso machista em seguida. Haja coração!. Ok, eu entendo que ele tem um segredo que não gostaria de ver exposto. Mas não era atrás disso que Candice estava – e foi justamente ele quem atraiu a atenção dela para que havia mais na história. Claro que ela nunca iria trai-lo, mas ele a trata como se ela fosse uma mistura de todos os males do mundo. Sério, Candice é uma santa, porque eu o teria mandado tomar um rumo pouco cristão e educado. #affe

- Candice, a desastrada, pelo menos espero que depois do perrengue neste livro, ela tenha aprendido que há sapatos lindos e sapatos adequados para o trabalho. Ainda mais porque, pelo que foi descrito no livro, o local realmente renderia uma reportagem muito interessante. Pelo menos gostei de que ela não ficou sofrendo tanto pelo chato e também soube se impor (dentro dos limites aceitáveis para a época – por mais que o mundo no inicio de 1983 já tivesse sofrido mudanças no que diz respeito à emancipação feminina, elas ainda não tinham chegado aos livrinhos: nossa heroína é uma repórter independente, mas dentro de normas que não vão ferir nem desafiar os padrões da sociedade. Caso contrário, nem seria publicado, né?). E como se não bastasse, ainda tem outro grego chato e idiota. Sim, muito pra meu pobre sistema nervoso, né? Entre idas e vindas, eles vão precisar decidir o que querem da vida: bem, Candice tem mais noção do que o grego teimoso, que vai gastar toda a paciência de quem lê neste processo...

- Links: tem post sobre ele no Mulheres Românticas(feito pela Carol, provavelmente pela mesma razão que eu kkk) e há uma página no Fantastic Fiction para a autora e para o livro. Outras informações no Fiction DB.

Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Eu não sei se eu apreciaria um grego teimoso dessa forma porque não respeito teimosia que beira estupidez (falta de inteligência). Mas simpatizei com ela (tadinha !).

    ResponderExcluir