segunda-feira, abril 08, 2013


Ciao!!!



No Abril Imperdível 2013, é o segundo dia da semana sobre as autoras que amo de paixão. Mesmo quando elas me enlouquecem. E hoje temos... 
Diana Palmer.
Diana Palmer escrevendo ogro.
Diana Palmer escrevendo ogro em busca de redenção.
É, segura na mão de Deus e vai...

Uma noite mágica – Diana Palmer - Coleção Primeiros Sucessos 27
(Betrayed by Love – 1987 – Silhouette Desire)
Personagens: Kate Walker e Jacob Cade

Kate era a melhor amiga de Margo, mas elas se afastaram porque o tio de Margo, Jacob, considerava que ela era uma péssima influência para a sobrinha. Uma libertina, liberada bla bla bla. Ele tinha certeza disso por causa de um mal entendido, que terminou com Kate sendo expulsa da fazenda dos Cade. Anos depois, Kate volta para acompanhar o casamento da amiga e se surpreende com o súbito interesse de Jacob por ela. Acreditando que finalmente ele a corresponderia, Kate decidiu arriscar...

Comentários:

- Há livros da Diana Palmer que deixam meu eu escorpiano sanguinário feliz. Enquanto leio, ele se diverte imaginando as mais torturantes, doloridas e cruéis formas de aniquilar um personagem. Por isso, informo a vocês que esta parte de mim se divertiu com o livro. Ok, levei em consideração que é uma história “das antigas” da autora, de 1987, dentro da forma mocinho durão e implacável + mocinha inocente e apaixonada = nuvem enorme de lágrimas (da inocente da vez).

- Jacob é o mocinho que ama o próprio umbigo, cheio de moral e certezas, com um padrão de exigências elevadíssimo. Por causa disso (além do ódio pelas mulheres), após flagrar uma cena e tirar conclusões sem ouvir os fatos, estabeleceu que a Kate era uma vadia que desencaminharia Margo (claro que não é, aliás, tem um trauma no passado que é de causar calafrios). Por causa disso, ela ficou anos sem aparecer até o fatídico reencontro no casamento. Enfim, vamos ao que interessa, agora, Jacob está interessado nela e disposto a investir nesta atração, sem compromisso. Afinal de contas, quem prometeria algo para uma mulher liberada, que mora na cidade grande e trabalha cercada de homens (na mundana e promíscua profissão de JORNALISTA. Esquece o Hulk, eu mesma acabo com ele na porrada) – é um jogo que os dois podem jogar, apenas pela paixão e luxúria. Já viu que vai dar errado, né?

- Jacob me irritou em várias cenas, mas a moralidade duas caras dele e a estupidez da nota de 100 dólares são campeãs (A desculpa? É que ela feriu o orgulho dele. Acho que vou pedir o Hulk emprestado à Marvel). É um ogro diplomado e claro que, quanto maior a lambança, maior a obrigação de redenção. A traumatizada também faz bobagem (no livro, bobagem = sair do jornalismo político e passar para a editoria de polícia), fica entre a vida e a morte e termina sob os cuidados da topeira. E com total, absoluto e irrestrito medo dele, do que sente por ele, de ser humilhada de novo. Só que agora, do jeito dele, Jacob decidiu que Kate vai ser dele e ela não tem como fugir disso. Devia, mas sabemos que não vai acontecer.

- Gostei do irmão de Kate, Tom. Ele também tem uma história – aliás, fica meio óbvio isso, porque ele é tão traumatizado quanto ela. Espero que não sofra da tradicional esquizofrenia que afeta os personagens masculinos que os transforma em monstros incontroláveis quando são promovidos a protagonistas.

- E não sou especialista em tradução, mas creio que deveria haver uma análise se a frase “Queria atirá-la ao chão e violá-la” era realmente a forma adequada. Porque dá a entender algo muito diferente de sexo intenso. E de uma certa forma, contribuiu para aumentar a minha antipatia pelo protagonista masculino desta trama.

Links: Goodreads; Flavinha, do Mulheres Românticas; Romantic Girl (onde tem a explicação de qual série este livro faz parte e do livro do Tom - até onde sei, não lançado em Português);  Sempre Romântica; Lady D’Arques; Livrólogos; Fantastic Fiction, site da autora e outros muitos livros da autora no LdM

O livro veio com uma história de presente: Beije-me agora, da Maureen Child (que eu jurava que tinha lido, mas não encontrei), em breve no LdM.

Bacci!!!

Beta 
Reações:

3 comentários :

  1. "A traumatizada também faz bobagem (no livro, bobagem = sair do jornalismo político e passar para a editoria de polícia), fica entre a vida e a morte e termina sob os cuidados da topeira"
    Beta, eu acho que já comentei isso em algum canto (ou aqui, no Orkut, no meu blog, mas com certeza com a Lady D'Arques... rs): parece que a única maneira de os mocinhos da DP se redimirem é se a mocinha trouxa sofrer um acidente e eles levarem pra casa pra cuidar dela. Aconteceu em "Avassalador", "Adeus ao Amor" e vários outros.

    Pelo que você falou, bem que esse livro é, como diria a Lady D'Arques, "Uma Noite Trágica" kkkkkkkkkkkkkkk

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Jacob ogrãããããão-jumento-cavalo do caramba, hehe!!! Tb senti muita raiva lendo isso. E li no trem, o que me impedia de gritar de frustração, kkkk

    Tô doida pra ler sua resenha da outra história. Eu amei!!! ♥

    ResponderExcluir
  3. Um ogro que merecia um açoite três vezes por dia ! Você tem razão quanto à frase polêmica: eu creio que "possui-la" seria melhor que "violá-la" para tradução.

    ResponderExcluir