sábado, dezembro 08, 2012

Ciao!!!!


 Imagem retirada do site Meus Romances


Já falei sobre a primeira publicação deste livro, no Especial Grandes Autoras 01, uma edição que me fez sofrer pra encontrar. Agora, li o lançamento entre idas e vindas de Mestrado, ônibus, filas de banco, etc... etc... etc... Como já fiz em posts semelhantes, vou usar o resumo já existente no LdM e ampliar, ok?

Desejo Proibido – Diana Palmer – Coleção Primeiros Sucessos 29
(Enamored – 1989 – Silhouette Desire)
Personagens: Melissa Sterling e Diego Laremos

"Cuidado com seus desejos, eles podem se realizar". Melissa amava Diego, mas uma rixa familiar impedia qualquer aproximação. Mas o desejo falou mais alto e eles acabam obrigando a se casar. No entanto, abandonada por Diego à família dele, a situação ficou insustentável. Melissa fez as malas e foi embora. Cinco anos depois, um acidente força um reencontro e os dois têm que aparar as arestas... que incluem um lindo menino de 5 anos de idade.

Curiosidade:

- Lembro que esse foi um dos primeiros livros que li que me apresentaram o protagonista favorito da Diana Palmer: teimoso, arrogante e, para variar, tira conclusões precipitadas... É que meu pontapé inicial com a autora foi com a Família Biscoito, onde estas características aparecem diluídas pelo humor e a leveza da história. Então, Diego Laremos foi a primeira cavalgadura que eu li. E não gostei.

- Naquela época, era inédito algo que hoje sei de cor: mocinha pura, inocente, imaculada se encanta por homem mais velho, bruto, endurecido pela vida, com cicatrizes emocionais (e, às vezes, físicas) e que, sempre, sempre, sempre, sempre pensa mal da mocinha por alguma razão (muitas vezes equivocada). Ao mesmo tempo, ele se sente atraído por ela, não se segura e temos uma crise.  A mocinha sofre mais que cão abandonado na enchente até a redenção e ao amor eterno.

- Diego e Melissa moravam em fazendas vizinhas na Guatemala, um país em crise política e nada tranquilo na época em que se passa a história (década de 1980). Ela sempre foi apaixonada por ele, mas havia uma rivalidade entre as famílias, porque a mãe dela tinha abandonado o noivo (pai dele) para se casar com o imigrante britânico que se estabelecera na região e que seria padrinho do casamento! Amor à primeira vista, mas que criou um conflito de honra entre as famílias. E nem isso impediu que Melissa se encantasse com Diego e que, de certa forma, ele incentivasse essa adoração. Um dia, ela escolheu o pior momento da face da terra para dar uma volta a cavalo, ele a viu e a salvou, eles se tornaram alvos, se refugiaram em umas ruínas maias... E aí o autocontrole (mais dele, que dela, que não tinha noção nenhuma do tamanho da encrenca que estava buscando) foi para o espaço e as vidas deles foram para sempre interligadas. Pegos em (praticamente) flagrante delito, foram obrigados a se casar. Melissa é maltratada pela avó de Diego, que ainda tinha bem viva na memória a deserção da mãe dela e resolveu fazer com que a filha pagasse por todos os pecados do mundo. Claro que o que começou tão ruim, não vai terminar bem. Uma tragédia faz com que Melissa precise ser levada para o hospital, de onde ela consegue escapar dos sonhos desfeitos e do coração partido...

- Só que cinco anos depois, é novamente em uma cama de hospital que Diego a reencontra. Ela estava morando nos Estados Unidos e havia sobrevivido a um acidente de avião. Como o nome dele constava nos documentos dela, Diego foi informado da existência da esposa, que ele acreditava estar morta. O ex-mercenário, agora um empresário do setor de segurança, se depara com várias informações inesperadas: a esposa sumida vivia em condições muito humildes e tinha um filho, Matthew. Um menino com forte herança latina. De quem Diego não gostou. Afinal, era a prova de que o amor eterno que Melissa dizia sentir por ele não durou mais que meses, já que, pelas contas, ela teria engravidado pouco depois de fugir do casamento infeliz.

- Pausa para o momento AVAIANAS DE PAU (sim, minha irmã me mostrou os vídeos do Mundo Canibal). Vamos por partes: ok, ele tinha razões para acreditar que Melissa não estava grávida. Mas quem ele pensa que é pra exigir fidelidade, quando contribuiu, com omissão e indiferença, para o calvário que ela passou nos meses em que morou com a família dele? Ainda: ele sabia da adoração juvenil da garota, incentivou, deu no que deu e a culpa é dela? Aham. E quem era a outra metade envolvida na lambança? Afinal de contas, para fazer o que eles fizeram (pelo menos nos livros da Diana Palmer, que não seguem práticas sexuais solitárias), são necessárias duas pessoas. E pelamordeDeus, ele tava achando que o moleque era filho de que? Chocadeira? Da cegonha? Do Espírito Santo?

- Aí temos a história de reencontro do casal casado que não tinha convivido. Agora Diego está disposto a viver com a família da qual ele poderia fazer parte, mesmo não gostando do moleque (pobre Matt, era a coisa mais fofa da face da terra. Espero que tenha se tornado um homem muito melhor que esse pai tapado e obtuso que foram arrumar para ele, tadinho!). Então, vários fatos do passado são esclarecidos e, claro, lá no fim o amor vai imperar...

- Para piorar a minha opinião do Diego toupeira, eu li a edição dupla, que tinha a história do Eric “Dutch” Van Meer, o mercenário holandês. Outro mundo. Outro nível. Outro planeta. Tanto que Uma Estranha ao Meu Lado está entre os meus favoritos da autora. Ah, e desculpa, não vou poder detalhar se há grandes diferenças de tradução entre a edição nova e a publicação da NC-Harlequin. Faz tempo que li a original, então não consegui fazer grandes comparações. Vou ficar devendo para a grande maratona de releitura da Diana Palmer, que pretendo fazer em algum momento futuro. Se houver, podexá que aviso aqui.

- Linkitos: você pode ler sobre Desejo Proibido no Uma Conversa sobre Livros; no Mania de Ler. E também tem imagens do Fiction DB e informações no Goodreads e no site gringa da Harlequin.

Bacci!!!

Beta

Reações:

3 comentários :

  1. Acho esse mocinho um cavalgadura sem noção, mas nada, nada mesmo, supera o nosso Rodrigão, el bigodon Ramirez... Haja coragem...

    E o Dutch van Meer... Suspiro por ele desde os 14 anos! kkkkk Coitado do Laremos, foi comparado logo a ele, chance zero! kkkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Isso seria uma espécie de romance shakespeariano sobre famílias inimigas: escrito por ELA ! Eu tenho muito receio quanto ao haras de mulas de Diana Palmer !

    ResponderExcluir