domingo, julho 22, 2012

Ciao!!!




Eu preciso ter uma conversinha com a Dona Nora. Ela tem uma mania irritante de lançar zilhões de livros por dia, como se eu tivesse tempo e dinheiro pra dar conta. Ainda estou na fase paleolítica da Série Mortal por causa disso. E para piorar, #madrehooligan na fase tracinha supersônica me perguntou porque eu não tenho as outras trilogias/quadrilogias/séries (detalhe: esta série é "antiga" e ainda inédita no Brasil). A resposta foi imediata: “porque não tenho árvore de dinheiro nem poço de petróleo no quintal... E muito menos não achei o pote de ouro no fim do arco-íris”.
No entanto, ao escolher meu autopresente do mês, não resisti ao poder da minha cor favorita no título e na capa...

Dália Azul – Nora Roberts (Trilogia das Flores 1/3)
(Blue Dahlia - 2004)
Personagens: Stella Rothchild e Logal Kitridge

Uma história de recomeço de uma família: ao ter seus planos interrompidos pela morte prematura do marido, Stella resolve levar os filhos de volta para a cidade natal, no Tennessee. Assim, teria o apoio e a infraestrutura para dar a eles segurança após este período turbulento. E ela mesma poderia se reerguer em um emprego em uma área que ela adorava: a jardinagem. Por isso, se mudou para a Harper House, disposta a ajudar a organizar a empresa da família. Claro, não contava em se desentender e, ao mesmo tempo, ficar atraída pelo chefe de paisagismo e muito menos ter uma fantasma acompanhando os seus movimentos...

Comentários:

- Pois é, este é o livro do intervalo: do trabalho, do Mestrado, da espera do ônibus e, inclusive, da espera para resolver uma bobagem envolvendo a TV por assinatura (as primeiras 60 páginas foram lidas no tal lugar, enquanto aguardava ser atendida). Pior, quanto mais você lê, mais você quer e quando acaba, já surge a crise existencial do “CADÊ O PRÓXIMO?!”.

- Aviso aos navegantes: o início é uma porrada, daquelas bem dadas que te deixa tonta – isso se não te nocauteia. Porque é algo que pode acontecer com qualquer pessoa: ter um dia normal, fazer as coisas cotidianas, planejar algumas coisas a curto, médio e longo prazo... E de repente, nada mais fazer sentido. Nem preciso dizer que Nora, que sabe descrever com maestria até formiga atravessando a rua, deita e rola com esse tema. E se você não estiver em público (como eu estava), vai derramar caixas d’água de lágrimas.

- Enfim, a fase seguinte do livro mostra Stella e os filhos Gavin e Luke chegando ao Tennessee onde ela assumiria o emprego de gerente de uma empresa de jardinagem – No Jardin (In the Garden – o nome original da série). Ela, tão metódica e organizada, seria uma grande novidade em uma empresa guiada pela competência e pela intuição da dona, Roz Harper e dos poucos funcionários. Claro que a organização, o planejamento, o sistema de computador e os formulários causam um choque – em especial, no paisagista Logan, que não queria nenhuma chata de cidade se metendo no jeito dele trabalhar. Sim, claro que o começo entre eles teria espinhos e arestas, né? Nem tudo na vida é mar de rosas, uai. No entanto, enquanto a família se acostuma à nova vida e as crianças à nova cidade, ao ambiente e aos amigos, o estranhamento entre Stella e Logan evolui para algo um tanto indefinido que deixa a ambos confusos e um tanto deslocados de suas áreas de conforto... E para saber o que acontece, só lendo.

- Apesar de ser um livro temático, não fica chato.Vai por mim: adoro rosas e flores, mas só sei meia dúzia de nomes e ainda não desenvolvi mão boa pra fazer as coisas florescerem sobre meus cuidados. E lá pelas tantas quem lê já está viajando nos jardins e nos arranjos (deu até vontade de comprar flores aqui pra casa, já que não tenho espaço pra ter jardim).

- Nora tem talento para escrever crianças como ninguém. Nem preciso dizer que gamei nas crianças, né? As citações a super-heróis, o fato de eles agirem como gente de verdade (não aquelas crianças que só existem em comercial de margarina e filmes da Disney). Temos coadjuvantes ótimos (preciso de um David para colocar ordem na minha vida, onde arrumo?). E, claro, no primeiro livro, a gente já tem ideia de quem vai aparecer nas próximas histórias. Devo dizer que bateu uma simpatia fulminante pelo Harper, o filho de Roz que trabalha com ela (na verdade, vive por conta do jardim). Nas vezes que ele aparecia, tive uma lembrança afetiva do Dr. Mac, o que já me fez gamar no personagem e querer mais detalhes sobre ele.

- E devo dizer que, embora esperasse o que aconteceu na reta final, não foi menos emocionante. Aliás, foi tão lindo que não consegui fechar enquanto não li as últimas 70 páginas. É tanta emoção diferente que você chega no fim alegre pela jornada dos personagens, mas triste porque não vai ler o próximo livro já.

*ALIÁS, QUANDO SAI O PRÓXIMO?*
sim, existem pessoas curiosas e discretas. Logo em seguida, estou eu...
ps.: viva as redes sociais: olha a resposta aqui (valeu Elis por perguntar)!!!

Trilogia das Flores (In the Garden)
Blue Dahlia - Dália Azul - Stella Rothchild e Logan Kitridge.
Black Rose - Rosa Negra - Roz Harper e Mitchell Carnegie.
Red Lily - Lírio Vermelho - Hayley Phillips e Harper.

- Linkitos: A Tonks (rapidérrima) já falou sobre o livro no Romances in Pink; a Carol também já falou no Mulheres Românticas; e a Carla também comentou no Doida y Romântica; também há informações Goodreads, na Barnes and Noble, no site oficial da Nora Roberts, onde o livro está na parte sobre trilogias. No Nora Roberts Brasil, eu peguei a foto da capa brasileira. E se quiser saber alguma outra dica entre os zilhões de livros que ela lançou, veja o que já consegui ler e colocar no Literatura de Mulherzinha.

Bacci!!!

Beta

ps.: Ah, ainda tem o sobrenatural! Não vou falar muito para não dizer demais... Só uma coisinha: que a Noiva Harper me perdoe, mas tive vontade de providenciar um descarrego para promover o encontro dela com a luz branca da paz. Já basta família pitacando, fantasma se achando no direito de piar é um pouco demais, né?.

ps.: Nada a ver, mas eu ainda prefiro Beatles.
Reações:

5 comentários :

  1. Fantasma empata-love, só a Nora mesmo uahuahuahuahauhaua

    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Que capa linda !!! Azul é lindo e reconfortante. Dálias são sofisticadas. Unir ambos criou uma capa linda. Mas eu estou falando daquela primeira capa apenas !!! Meu momento gargalhada dessa resenha: "... E para piorar, #madrehooligan na fase tracinha supersônica me perguntou porque eu não tenho as outras trilogias/quadrilogias/séries ..."

    ResponderExcluir
  3. Já li a maioria das outras resenhas, mas estava esperando a sua sair para dar um veretido para o livro da Nora :D

    Só vou comprar quando a trilogia estiver completinha em português! De ansiedade já basta com a Série Mortal...

    Resenha linda Beta, Parabéns!

    :*

    ResponderExcluir
  4. Beta,
    Faz tempo que não passo por aqui, pura falta de tempo, mas suas resenhas continuam um estouro.

    É impossível para mim ler e não rir muito, ou ficar babando tremendamente por um livro que antes nem era tão desejado. Maldade pura!

    Mais um que vai para lista dos desejos mais-do-que-urgentíssimos (já que a lista dos desejos já está maior que o Everest!).

    Bjkas!
    Monique Martins
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  5. Beta, saudades de estar por aqui !
    Eu gostei demais desse livro. Nora escreve crianças como ninguém mesmo. Concordo com você !
    Agora, cá entre nós o Harper promete né ?! Aquele jeitão atrapalhado de cientista maluco já me fez perder um tempinho imaginando o que vem por aí rsrsrs

    Bjs

    Simone (Luka)

    ResponderExcluir