sábado, julho 07, 2012

Ciao!!!





Este livro estava nos lançamentos de junho. Ele me chamou a atenção por ser de uma autora que costumo ler e por se passar em um país que está se fortalecendo na vida real, logo, vira palco de histórias...

A noiva de vermelho – Lucy Gordon – Harlequin Special 65 (Paraísos do Amor)
(And the bride wore red – 2009 – Mills & Boon Romance)
Persoangens: Olivia Daley e Lang Mitchell

Para supercar uma desilusão amorosa, Olivia se mudou para Pequim, onde trabalhava como professor de Inglês em uma escola para crianças. Por causa do espírito aventureiro de um aluno, ela e ele foram parar no hospital. Foi uma espécie de encanto à primeira vista que o dr. Lang Mitchell sentiu, mas não poderia fazer nada porque ela era paciente dele. Superado o tratamento, eles se aproximam para ver se a fé de Lang em amores para toda a vida poderia superar a reticência dela em ter o coração quebrado mais uma vez.

Comentários:

- Pense na sessão da tarde: moça e moço se conhecem em país exótico, mas o amor enfrentará alguns contratempos para florescer. A moça em questão é Olivia, que saiu da Inglaterra, disposta a recomeçar e ter experiências que a fizessem superar o rompimento de um relacionamento. O moço em questão é Lang Mitchell, o rapaz entre duas culturas – a chinesa e a inglesa. Dizia se sentir um peixe fora d’água entre os parentes na Inglaterra. Foi em busca das raízes chinesas e se encontrou, em meio a uma grande (enorme e bem interessada uns nos outros) família. Os Lang são unidos por uma poderosa história de amor, do tipo que não desiste nem diante de obstáculos mortais.

- O problema para o súbito amor de Lang por Olívia está em um sentimento definido por ela mesma como algo do tipo: “apenas molhei os dedos na água, não me atrevo a mergulhar”. Ela não quer sofrer de novo, porque já teve uma cota gigante de abandonos na vida: os pais, egoístas e imaturos, o namorado/noivo, em busca de algo que desse conforto, não companhia. O único ponto fixo na vida dela é Norah, a tia que sempre foi o porto seguro. Mas o bravo Lang não desiste e se empenha (às vezes, de uma maneira um tanto quanto mandona) para provar que ele e Olivia poderiam ter uma chance.

- Pegue esse casal onde ele quer e ela tem dúvidas, coloque em um roteiro turístico bem diferente do habitual para a mente ocidental – a China ainda é vista em cima de muitas “definições padronizadas” (algumas não muito positivas). Então é uma chance de ver, pelos olhos dos personagens (e da autora, que fez a viagem), um cenário pouco divulgado entre nós. Afinal de contas, a China está a passos largos para ser a economia mais forte do mundo, desbancando os EUA e o Mandarim está entre os idiomas mais procurados por brasileiros dispostos a aproveitar a onda e ter diferencial no mercado. E como nossos livrinhos costumam se aproveitar de coisas do mundo real, eis a China aparecendo nas histórias. O legal é que esta é uma história contemporânea, porque as que eu sempre me lembro são históricas: Perfume da China, de Margaret Moore e Pequim: Cidade Proibida, Patricia Potter (post sobre ambos).

- Linkitos: site oficial da autora, com página do livro - onde estão disponibilizados trecho da história, informações do que inspirou a autora (a carta traduzida que abre a edição) e reviews de outros sites. Também há avaliações no Goodreads, Mills & Boon. O Fantastic Fiction destaca que a história faz parte de uma série Escape around the world e também foi publicada em uma edição especial chamada Destination: Summer Weddings, onde também há um livro da Nicola Marsh, Um sonho de Amor.

*** Curiosidade para os cinéfilos de plantão: existe um filme de 1937 com o mesmo nome original deste livro The bride wore red, estrelado por Joan Crawford.

Bacci!!!

Beta
Reações:

4 comentários :

  1. Nossa que livro legal, geralmente as escritoras não escrevem livros com mocinhos asiáticos. Ok ele é mestiço mas tá valendo. Vou atrás deste livro afinal sou completamente tarada por japoneses e agora graças ao K-pop também pelos coreanos. Eu sei que ele é chines mas é só eu imaginar um dos meus amores no lugar dele.

    ResponderExcluir
  2. Hihihi ... Um vestido vermelho para uma noiva ficaria lindo em um casamento !!! ^^ Uma dica legal ...

    ResponderExcluir
  3. Beta, um livro com mocinhos chineses, ambientado no Século XIX, é "A concubina", de Jade Lee. Particularmente, gosto muito dele, mas sei de leitoras que não o aprovaram por seu teor erotizado.

    Ah, para as meninas: um ator charmoso de origem asiática é Tim Kang, que faz o Kimball Cho de "The mentalist".

    ResponderExcluir
  4. Agora que você falou... não li nenhum que fosse na China... huuum... só no Japão. =)
    E gostei da resenha!!!
    Vou procurar para dar uma lida!!!
    Mocinho que luta pela mocinha é show!!!

    ResponderExcluir